Por que a escola precisa envolver os pais na vida escolar do aluno?

A escola, o aluno e a família, compõem uma comunidade escolar onde, seus esforços somados, contribuem para o aprendizado das crianças e adolescentes. Assim sendo, quanto mais engajados os pais estiverem na criação dos seus dependentes, mais estes terão possibilidades de se desenvolverem pessoal e intelectualmente. 

No entanto, por conta da vida corrida, com seus muitos percalços, acaba-se minimizando o valor da participação e compartimentam-se esses espaços de atuação, ou seja, família e escola se distanciam cada vez mais e esse distanciamento pode ocorrer por diversos motivos como falta de planejamento, de iniciativa, de estratégias de aproximação, entre outros.

Para corrigir este problema é muito importante que, ainda no momento da criação do planejamento didático anual, a escola elabore formas de inserção da família nas atividades. Palestras, cursos, eventos culturais podem ser boas alternativas de promover a integração e permitir o livre diálogo entre esses três elementos tão interconectados.

Neste post vamos esclarecer alguns pontos importantes sobre a participação dos pais na vida escolar do aluno. Continue sua leitura e conheça alguns dos benefícios que esta ação pode gerar.

Alunos com melhor desempenho

Crianças e adolescentes em fase escolar necessitam de acompanhamento constante para que se sintam protegidos e possam focar suas energias no aprendizado diário. Nesta fase da vida, é importante que a família esteja presente para apoiar as escolhas que a criança faz, além de permitir que ela seja valorizada pelas suas vitórias, recebendo o apoio necessário para a continuidade de seu desenvolvimento acadêmico.   

A escola pode constituir uma experiência que causa tensão para a criança, especialmente quando ela passa de um nível a outro, muda de ambiente, ou ainda se vê pela primeira vez inserida em uma experiência nova. Dessa forma, a família pode proporcionar apoio e compreensão para facilitar a aceitação da nova etapa.

Crianças mais seguras

Uma criança que se sente segura é um indivíduo livre para conhecer e preencher seu espaço na sociedade. O medo e a insegurança podem fazer com que a criança ou o adolescente se fechem em suas subjetividades e acabem se tornando pessoas introspectivas e pouco preparadas para suas incursões na realidade.

Nesse contexto, a educação é uma experiência intelectual e emocional que devem ser supridas pela escola e pela família conjuntamente, em busca de desenvolver as habilidades socioemocionais — capazes de os tornarem alunos mais resilientes.

Cada escola tem o seu papel, e eles são complementares. O Laboratório Inteligência de Vida (LIV), estimula os alunos a encontrem sua posição no mundo, como uma alternativa interessante de trabalho junto às famílias que colaboram ativamente na construção de indivíduos mais preparados.

Menor incidência de conflitos

Crianças e adolescentes que se veem sem o apoio familiar têm maiores chances de se tornarem indivíduos conflituosos, que projetam suas carências afetivas em outras pessoas, geralmente de maneira violenta. Quando a escola toma a iniciativa de promover uma interação maior da família com a vida escolar do aluno, a situação tende a melhorar.

A escola é um microcosmo que imita a vivência adulta em sociedade. Com base na pesquisa comandada pela ONG Todos Pela Educação em 2014, última disponível, apenas 25% dos pais acompanham de perto a rotina escolar dos filhos.

Por isso, trabalhar as relações interpessoais é uma forma de ajudar na preparação das crianças para terem uma vida adulta saudável e capaz de conquistas os seus projetos de vida acadêmica e profissional.

Veja como incentivar a participação da família

A seguir, mostraremos algumas dicas para trazer as famílias para o dia a dia da escola empregando práticas de uma gestão escolar democrática. Acompanhe:

Receba bem todas as famílias

A escola é um ambiente de inclusão. É neste lugar onde o conhecimento é construído e, portanto, deve permitir o livre discurso sempre pautado no respeito às diferenças, às vivências de cada família, às formas de compreensão de mundo sejam elas religiosas, culturais, sociais ou econômicas.

Ao encorajar o respeito entre os indivíduos, a escola estará cumprindo seu dever social de formar novos cidadãos mais conscientes e empáticos. Vivemos em um mundo onde a multiplicidade de experiências aliada à falta de informação, faz com que conflitos aconteçam. A escola e a família podem trabalhar juntas para promover um maior reconhecimento e respeito às diferenças.

Estabeleça um canal de comunicação efetivo

Existem muitas maneiras de manter as famílias envolvidas na vida escolar do aluno, mas algumas mostram mais eficiência que outras. Se informar sobre as decisões tomadas pela equipe pedagógica, sem participar de reuniões ou abster-se de formar um pensamento analítico a respeito, é uma participação reduzida e pouco efetiva.

Por outro lado, se os pais forem encorajados a participar das reuniões, se estiverem por dentro tanto das funções administrativas mais básicas como a prestação de contas, quanto daquelas que envolvem diretamente a experiência do aprendizado como os projetos pedagógicos, só assim o aluno poderá vivenciar uma experiência escolar completa e recompensadora.

Libere a informação

Pode ser que nem todos os pais possam estar presentes em todos os encontros mediados pela escola, portanto, crie canais alternativos de comunicação e participação. Hoje em dia, a tecnologia avançada permite inúmeras maneiras de atuação. Vídeo conferências, vídeos para serem assistidos em casa, e-mails com informações diversas, assim como as formas mais simples e antigas como anotações em cadernos e agendas são maneiras de interação.

Foco no sucesso do aluno

Tanto a escola quanto o núcleo familiar devem ter consciência de que o foco principal deve estar sempre no aluno e em seu aprendizado. Compreender quais são suas dificuldades, traçar planos que promovem a melhoria nas técnicas de ensino, assim como estar sempre presente para valorizar suas realizações são ações que podem transformar uma educação normal em uma experiência extraordinária.

Promova a orientação dos familiares

Para que a interação da família na escola promova bons resultados, é importante que a experiência seja direcionada por meio de orientação adequada. Assim, a escola ajuda a criar uma comunidade mais preparada, mais envolvida, e melhor conectada aos processos educacionais, auxiliando na mudança da realidade educacional à partir de um microcosmo em expansão.

A participação da família na vida escolar do aluno é extremamente importante e vivenciamos um momento em que esse tipo de ação é altamente recomendada. Anteriormente, por falta de informações suficientes a escola era tratada como um espaço exclusivo aos alunos, e a família e a comunidade se mantinham afastadas. No entanto, essa separação vem sendo, a cada dia, mais diluída.

Gostou das informações acerca da interação entre família e escola? Assine nossa newsletter e receba novos posts diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This