O que é preciso para lidar melhor com alunos com déficit de atenção? Veja!

O que é preciso para lidar melhor com alunos com déficit de atenção? Veja!
6 minutos para ler

A escola tem uma grande responsabilidade ao lidar com alunos com déficit de atenção. A condição, também conhecida como TDAH ou Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade, atinge muitas crianças e adolescentes, que acabam tendo o desempenho escolar significativamente prejudicado.

Uma das principais dificuldades dos estudantes portadores de TDAH são os problemas comportamentais no colégio. Eles podem se manifestar pela dificuldade de obedecer a regras e pela constante agitação em sala de aula durante as atividades.

Acompanhe, a seguir, o que é preciso saber para lidar da melhor forma com alunos com déficit de atenção na instituição de ensino!

Entenda quais são as principais características do TDAH na aprendizagem

O TDAH é uma patologia típica do mundo moderno, veloz e inundado de informações, tendo um grau de incidência entre 3% e 5% em crianças e adolescentes em idade escolar. O transtorno acomete o desenvolvimento e o autocontrole, sendo caracterizado pela oscilação de atenção, impulsividade e hiperatividade.

Com isso, os estudantes ficam facilmente agitados e apresentam muita sensibilidade, o que os leva a ter reações fortes e impulsivas. Em sala de aula, os professores devem ter um atendimento diferenciado, uma vez que alunos com TDAH precisam de maior flexibilidade e estímulo constante para superar as dificuldades.

É interessante que a escola identifique o problema e comunique os familiares dos estudantes para que as providências necessárias sejam tomadas, como diagnóstico e tratamento. Uma criança ou jovem com TDAH precisa ser atendido por neurologista, psicólogo, psicopedagogo e fonoaudiólogo para impedir que seu processo de ensino seja comprometido.

O currículo pedagógico pode passar por adaptações curriculares e apresentar atividades que sejam prazerosas e de curta duração, auxiliando os alunos na compreensão de regras e no estímulo à expressão artística e à prática de esportes em grupo. Essas são estratégias valiosas que facilitam o convívio em sala de aula e possibilitam um melhor aproveitamento na aprendizagem.

Descubra como garantir uma boa relação com os alunos com déficit de atenção

Antes de tudo, é interessante conhecer de perto a realidade dos estudantes com TDAH e comunicar-se com eles compreendendo suas particularidades. A escola deve ter bastante cuidado ao lidar com alunos nesta condição, estimulando-os a sempre superar suas limitações de organização e autocontrole.

Uma boa dica nesse sentido é investir em formação continuada para funcionários e professores do colégio. Com conhecimento atualizado, os agentes educativos aprendem a lidar melhor com diferentes situações em sala de aula e as que se apresentam na rotina.

Mas é importante ter em mente que estudantes com TDAH trazem desafios para os educadores e para toda a instituição de ensino, uma vez que favorecer a sua aprendizagem não é tarefa apenas do professor, mas também de familiares e da rede de apoio.

A seguir, confira algumas dicas para garantir uma boa relação com os alunos com déficit de atenção!

O que é preciso para lidar melhor com alunos com déficit de atenção? Veja!

Promova a união entre escola, família e equipe médica

A união entre a escola, a família e a equipe médica especializada é essencial para que o estudante com TDAH consiga superar suas dificuldades e, com isso, atingir um melhor aprendizado. Alunos com sintomas do transtorno necessitam de uma atenção especial ou, até mesmo, de um método de ensino personalizado.

Mas os bons resultados só têm chances de se tornar realidade caso ocorra a união entre os responsáveis. Os pais, por exemplo, podem incentivar o filho com TDAH com atividades práticas e artísticas em casa, uma vez que essa é uma forma estratégica de impactar de maneira positiva o seu cotidiano.

Capacite o corpo docente

Os professores, da mesma forma, devem receber uma capacitação específica para entender os comportamentos e de que maneira o estudante enxerga e percebe o mundo ao seu redor. Em sala de aula, por exemplo, é interessante que o jovem sente longe de portas e janelas e fique o mais próximo possível da mesa do educador. Com isso, há mais chances de reduzir as distrações.

Quando bem qualificados sobre o assunto, os professores podem auxiliar os alunos com TDAH em todas as etapas do processo de aprendizagem, possibilitando acolhimento, foco, determinação e mais vontade para se dedicar aos estudos.

Adapte o currículo pedagógico da escola

Outra dica importante é a instituição de ensino adaptar o seu currículo pedagógico para estudantes com TDAH, de modo a criar um ambiente educativo mais inclusivo. É possível também organizar as salas de aulas com turmas reduzidas ou até mesmo criar um programa de tutoria especial para os alunos com a condição.

Até porque quem apresenta TDAH tem um grande potencial de aprendizado, com uma série de aspectos positivos, como criatividade, entusiasmo e iniciativa. A escola, portanto, deve se esforçar e adaptar o planejamento de maneira a acolher as diferenças sem que haja espaço para o preconceito.

Estimule o aluno e evite situações depreciativas

Contando com um corpo docente e com funcionários preparados, o colégio pode elaborar estratégias para estimular os alunos com TDAH e, com isso, evitar a incidência de situações depreciativas. Este tipo de ocorrência acaba atrapalhando o desenvolvimento do estudante em diversos níveis, tanto cognitivo quanto socioemocional.

Da mesma forma, para evitar ao máximo casos de bullying, é interessante que a gestão escolar crie um programa de conscientização para que toda a comunidade de ensino tenha empatia e respeite a diversidade no ambiente educativo.

Incentive o tratamento adequado

Ao perceber estudantes com sinais de TDH, a instituição de ensino deve incentivar a família o quanto antes a oferecer um tratamento adequado à criança ou adolescente. Sem isso, o jovem pode ter sérios problemas não apenas na aprendizagem, mas também em seu crescimento e em sua vida pessoal.

Após iniciar o tratamento, a maioria dos jovens apresenta uma melhora significativa no comportamento e em sua capacidade de aprendizado. Em pouco tempo, eles passam a prestar mais atenção nas aulas e conseguem se concentrar melhor em tarefas repetitivas.

Lembre-se de que lidar com alunos com déficit de atenção não deve ser uma responsabilidade a ser conduzida sozinha, mas depende de um conjunto de esforços para garantir melhores resultados na aprendizagem. A escola ainda deve investir em qualificação para os educadores e desenvolver uma abordagem adequada para lidar tanto com os estudantes quanto com os familiares.

Se você gostou deste conteúdo, aproveite a visita e assine a nossa newsletter para receber, diretamente em seu e-mail, todas as novidades da Plataforma de Ensino Eleva!

O que é preciso para lidar melhor com alunos com déficit de atenção? Veja!