Como ficará o ano letivo de 2020? 6 perguntas respondidas pelo pedagógico da Plataforma Eleva

ano letivo
6 minutos para ler

Com a proximidade do fim do ano, muitos diretores de escolas têm se preocupado com o ano letivo de 2020. Afinal, a pandemia do novo coronavírus trouxe impactos consideráveis ao calendário escolar, exigindo grandes adaptações e o adiamento de processos avaliativos.

Tanto as escolas que adotaram o ensino não presencial como aquelas que interromperam as aulas por completo precisam se atentar a alguns detalhes para se organizarem e se prepararem para retomar as atividades presenciais e concluir o ano letivo.

Pensando nisso, conversamos com Carolina Pavanelli, diretora pedagógica da Plataforma Eleva, sobre seis pontos importantes a respeito do ano letivo de 2020. Continue lendo este artigo e entenda!

1. Quais foram os impactos da pandemia no calendário do ano letivo de 2020?

Devido à suspensão das aulas presenciais, o calendário letivo de todas as escolas precisou ser alterado. Até mesmo os colégios que rapidamente se organizaram para continuarem as atividades em formato não presencial passaram por um período de adaptação antes de realizarem avaliações.

Carolina Pavanelli explica que essa modificação foi necessária porque as escolas precisaram repensar suas avaliações nesse novo formato e, consequentemente, definir novas datas para realizá-las.

No primeiro momento, foi preciso reelaborar os planos de aulas, definir as ferramentas a serem utilizadas e encontrar novos métodos de avaliação, adequados ao ensino não presencial. Só então os professores puderam dar continuidade ao processo de ensino e avaliar o aprendizado de seus alunos.

2. Quais foram as alternativas encontradas pelas escolas?

A alternativa mais viável para contornar a situação de distanciamento social foi o ensino não presencial. Isso inclui aulas e grupos de estudos online, uso de ferramentas tecnológicas — como plataformas de ensino —, entre outros recursos.

Segundo Carolina, as escolas precisaram se adaptar em tempo recorde, principalmente no que diz respeito à questão tecnológica. Nesse sentido, os desafios foram desde encontrar plataformas digitais até promover capacitação de professores para que eles conseguissem dar continuidade às aulas com o menor impacto possível.

3. Por que é fundamental se preparar para o restante do ano e também para 2021?

A grande questão, de acordo com Carolina Pavanelli, é as escolas entenderem que no restante de 2020 — e muito possivelmente em parte de 2021 —, teremos uma escola diferente. Ela explica que “certamente, ao longo de 2020, as escolas que abrirem vão ter o ensino híbrido. Logo, é muito improvável que alguma fique 100% presencial”.

A diretora pedagógica também presume que essa talvez se torne uma realidade em médio prazo, seja por necessidade, seja por vontade, já que se provou uma estratégia bastante positiva.

Desse modo, é importante acompanhar as tendências e novidades para a educação e fazer um planejamento estratégico escolar, oferecendo suporte para implementar estratégias e recursos que atendam às necessidades dos alunos e professores diante do “novo normal”.

4. O que acontece caso as aulas presenciais voltem em 2020? E se não voltarem?

Se as aulas presenciais voltarem ainda em 2020, a diretora pedagógica da Plataforma Eleva ressalta que as escolas precisarão seguir uma série de cuidados operacionais, observando a higienização adequada dos espaços e garantindo o distanciamento seguro.

Além disso, ela acredita que é muito importante as escolas não só cumprirem a carga horária e os conteúdos previstos, mas também adotarem boas práticas para garantir o acolhimento de alunos, professores e toda a comunidade escolar. Afinal, todos foram bastante afetados; há pessoas enlutadas e traumatizadas. Então, esse cuidado é indispensável.

Caso as aulas presenciais retornem apenas em 2021, o ensino continuará como está, com o cumprimento da carga horária em formato não presencial. Já foi autorizado pelo Ministério da Educação que as atividades escolares realizadas nesse formato contem como horas letivas. Então, explica Carolina, a escola vai terminar o ano letivo de 2020 como terminaria no calendário previsto ou alterado por causa da pandemia.

5. De que forma as decisões de 2020 influenciarão em 2021?

Para Carolina Pavanelli, essa questão deve ser pensada do ponto de vista do que a escola aprendeu com a situação da pandemia, com as aulas não presenciais, e o que ela pode tirar de lição disso. A partir daí, o colégio deve pensar nas possibilidades que os recursos de educação não presencial podem trazer para o ensino de maneira geral.

Nos casos das escolas que continuaram realizando as atividades curriculares no formato não presencial, será possível contabilizá-las para cumprir as horas e dias letivos previstos em lei. Assim, elas conseguirão fechar o ano letivo de 2020.

Se for necessário repor horas letivas para cumprir o ano letivo de 2020, o Conselho Nacional de Educação (CNE) recomenda utilizar sábados, estender a jornada escolar diária e reprogramar períodos de férias, por exemplo.

6. Como a Plataforma da Eleva pode auxiliar nesse processo?

Entre as diversas soluções e recursos oferecidos pela Plataforma Eleva, Carolina Pavanelli destaca o Guia de Retomada Escolar, desenvolvido especialmente para ajudar nesse momento. Esse material apresenta várias dicas sobre aspectos operacionais — abrangendo medidas apropriadas de sanitização e cuidados com a saúde recomendados por especialistas — e procedimentos que serão adotados pelas escolas da rede própria.

Além disso, a Plataforma Eleva elaborou um calendário completo de recuperação e cumprimento das horas letivas dos conteúdos curriculares para as escolas parceiras. Ela também disponibilizou avaliações diagnósticas para que esses colégios consigam entender o desenvolvimento acadêmico dos alunos.

Por meio dessas avaliações, é possível verificar quais dificuldades os estudantes tiveram e pensar em maneiras de saná-las neste ou no próximo ano letivo.

Considerando essas questões, você deve ter percebido que há diversos fatores a analisar para se preparar para a conclusão do ano letivo de 2020 e o início do ano letivo de 2021. Para fazer isso da melhor maneira possível, é essencial contar com uma plataforma de ensino especializada, como a Plataforma Eleva.

Esse tipo de solução auxilia em vários sentidos, facilitando as tomadas de decisão e a implementação de recursos educacionais nas escolas. Em um momento tão delicado, contar com esse suporte pode fazer toda a diferença.

Quer conhecer os recursos que a Plataforma Eleva e saber tudo o que ela pode fazer pela sua escola? Visite o nosso site e descubra!

Como ficará o ano letivo de 2020? 6 perguntas respondidas pelo pedagógico da Plataforma ElevaPowered by Rock Convert