Respondemos 5 dúvidas sobre aprendizagem significativa

Respondemos 5 dúvidas sobre aprendizagem significativa
7 minutos para ler

Antes de tirarmos as suas dúvidas sobre aprendizagem significativa, é preciso relembrarmos que, tradicionalmente, a aprendizagem é o processo pelo qual se adquire conhecimentos, valores, habilidades e atitudes. Ela está dividida entre a cognitiva, que provém das informações organizadas na mente do indivíduo, a afetiva, que vem das experiências e sentimentos, e a psicomotora, que se relaciona com respostas musculares adquiridas a partir de treinos.

O psicólogo de educação estadunidense, David Ausubel, foi além desses conceitos e desenvolveu a teoria da aprendizagem significativa, focada no aspecto cognitivo, na qual existe uma estrutura da organização e integração de aprendizagem que estão interligadas e se processam. Desse modo, o que influencia a aprendizagem é aquilo que o estudante já sabe, que funciona como uma espécie de ponto de partida para a construção de novos conhecimentos.

De acordo com essa proposta, a aprendizagem de um novo conteúdo tem que levar em consideração os saberes prévios do aluno, o que permite integrar essas informações com os novos dados com os quais se tem contato e, assim, dar significado concreto para o assunto. Quando isso não ocorre, o conhecimento é armazenado de maneira isolada, sem se relacionar com a estrutura do aluno e, consequentemente, sem apresentar atribuição de sentido, podendo ser esquecido facilmente.

Entender essa teoria é fundamental para propor estratégias de ensino menos mecanicistas e repetitivas. Neste post, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre o tema. Confira!

1. Qual o objetivo da aprendizagem significativa?

A aprendizagem significativa pode ser entendida como um processo que acontece quando uma ideia se relaciona aos conhecimentos já existentes, diante de um cenário importante para o aluno, em decorrência da proposta apresentada pelo professor. O objetivo dessa modalidade de aprendizagem é ampliar e atualizar as informações armazenadas pela pessoa, fazendo com que ela atribua novos significados aos seus conhecimentos.

De acordo com o artigo do professor e especialista no assunto, Marco Antônio Moreira, a aprendizagem significativa está alicerçada na interação entre o conhecimento adquirido e o novo conhecimento, sem que isso transcorra de uma forma padronizada. Com isso, as novas informações fazem sentido para o aluno, e as informações prévias, além de ganharem outras interpretações, também geram estabilidade cognitiva.

2. Quais são as suas características?

As principais características da aprendizagem significativa são a não arbitrariedade e a substantividade, também chamada de não literal. A combinação desses dois aspectos é o que possibilita esse processo.

O fator de não arbitrariedade aponta que não há uma relação imperativa entre os conhecimentos novos e os prévios. O aluno é o receptor da informação, e o responsável por conectar os conhecimentos de um modo que faça sentido para o seu contexto de aprendizado.

Devemos ressaltar que o conhecimento prévio funciona como a matriz que cumpre o papel de organizar, integrar, compreender e assimilar o conteúdo mais recente, conforme ele vai se ancorando na estrutura cognitiva já formada. Isso só é possível graça aos subsunçores — que nada mais são que a associação dos conhecimentos mais importantes.

Respondemos 5 dúvidas sobre aprendizagem significativa

Por sua vez, a substantividade se refere à forma não literal de entender o conteúdo, visto que tem um viés subjetivo, pois é o estudante quem define o significado da informação ao conectá-la com outro elemento formado por um aprendizado anterior.

Em situações em que o conteúdo é relacionado à estrutura cognitiva somente de forma arbitrária e literal, a tendência é que a aprendizagem não evolua, já que o processo não gera significados para o estudante, tornando-se algo meramente mecânico.

3. Quais são os tipos de aprendizagem significativa?

Para que essa teoria se concretize, é preciso que se depare com uma série de condições que direcionam o modo como ela acontece, o que depende dos estímulos oferecidos no ambiente em que o aluno está inserido. Veja quais são esses tipos de aprendizagem significativa:

  • aprendizagem representacional: acontece por meio do conhecimento do significado de símbolos em separado e dos seus respectivos significados;
  • aprendizagem proposicional: trata-se de significados de ideias oriundas de grupos de palavras que resultam em conceitos, que são combinadas a partir de sentenças ou proposições;
  • aprendizagem conceitual: utiliza os símbolos individuais para assimilar com quais conceitos os conteúdos devem ser conectados e o que significam;
  • aprendizagem subordinada: promove a organização hierárquica das informações com o auxílio da estrutura cognitiva, com base na conexão com conhecimento prévio;
  • aprendizagem subordinada derivativa: se dá em circunstâncias em que a informação nova deriva de outra que já está registrada na estrutura cognitiva;
  • aprendizagem subordinada correlativa: é quando um conteúdo novo se assemelha a outro já existente e, por causa disso, pode ser interpretado como elaboração, extensão ou até mesmo quantificação;
  • aprendizagem superordenada: se refere à condição em que um novo conceito é mais amplo do que aquele que foi assimilado, a fim de substitui-lo pelo mais atual e completo;
  • aprendizagem combinatória: diz respeito aos conhecimentos aprendidos que não são classificados como subordinados nem superordenados, tendo em vista que são compreendidos como generalizações que agregam e esclarecem.
Respondemos 5 dúvidas sobre aprendizagem significativa

4. Quais são as vantagens dessa teoria?

Com o intuito de potencializar a formação dos alunos, a aprendizagem significativa tem conquistado cada vez mais espaço nas escolas, o que se deve às vantagens que oferece tanto para o professor quanto para o aluno. A principal delas, sem dúvidas, é enriquecer a estrutura cognitiva do estudante.

Dessa maneira, o indivíduo cria uma rede de conhecimentos, que podem ser facilmente lembrados após aprendidos, o que permite que possam ser associados às aprendizagens futuras. Portanto, a modalidade contribui para um aprendizado mais sólido e estável.

5. Como aplicar a aprendizagem significativa?

São várias as alternativas para trabalhar a aprendizagem significativa em sala de aula, inclusive, algumas já são conhecidas no meio da educação. Esse é o caso dos mapas mentais, que são uma representação visual de elementos significativos de um conteúdo em formato de proposições, que conectam termos para que formem um significado.

A partir dos seus saberes anteriores, os estudantes podem realizar as suas próprias associações, o que melhora a compreensão do conteúdo, além de colocá-los no centro da sua aprendizagem, atuando como protagonistas da sua formação.

Outra possibilidade é a adoção da sala de aula invertida, na qual os alunos são estimulados a buscar informações prévias sobre o conteúdo que vai ser trabalhado na disciplina. Assim, eles poderão contribuir ativamente com a aula e trocar experiências uns com os outros.

E aí, conseguiu esclarecer as suas dúvidas sobre aprendizagem significativa? As metodologias aplicadas nessa modalidade ajudam a atrair a atenção dos estudantes, ponto primordial para fortalecer a retenção de conhecimentos. A associação de conceitos, que é a base dessa teoria, também favorece o desenvolvimento de habilidades e competências no campo prático — aspecto que aproxima a criança ou adolescente do objeto de aprendizagem, criando significados que facilitam a assimilação dos conteúdos.

Quer saber mais sobre educação? Siga as nossas redes sociais e acompanhe mais posts inéditos! Você pode nos encontrar no Facebook, YouTube, Instagram e LinkedIn.