Atividades complementares crianças brincando de jogar argolas no pátio da escola
Atividades complementares: como promovê-las na sua escola?
5 (100%) 1 vote

Uma maneira de oferecer um ensino mais dinâmico é com as atividades complementares. Também chamadas de atividades extraclasse, elas são parte importante da vida escolar do aluno, uma vez que as formas de aquisição de conhecimento são renovadas e isso permite um engajamento maior em sala de aula. É papel da escola planejar experiências que estejam de acordo com a faixa etária do estudante e que tragam benefícios para o processo de aprendizagem.

Entenda, a seguir, o objetivo das atividades complementares, como colocá-las em prática e os ganhos que elas propiciam aos alunos!

Indisciplina na Escola - projeto Político Pedagógico

Qual a finalidade das atividades complementares?

São atividades que vão complementar — e não substituir — o que é ensinado na grade curricular. É uma maneira diferenciada de apresentar o conteúdo, pois vai além dos livros e aulas expositivas, propondo novas experiências aos alunos. Dessa maneira, o objetivo é propiciar o contato com novas fontes de conhecimento — podendo ser uma visita ao museu, ao parque ou ainda uma dinâmica com jogos educativos, desde que tenha relação com os assuntos estudados.

As atividades complementares são, portanto, uma oportunidade de tornar mais fácil a compreensão de temas estudados em uma ou mais disciplinas. Um passeio ao zoológico ou jardim botânico, por exemplo, pode auxiliar no entendimento de questões ligadas à biologia, meio ambiente e sustentabilidade. Desse modo, a escola consegue atrair a atenção dos alunos, despertando o interesse pelo aprendizado. Afinal, com a internet e tantas informações disponíveis, os estudantes são ávidos por novas maneiras de aprender que saiam do modelo tradicional — com caderno, livros e lousa escolar.

Como planejar essas vivências?

As atividades complementares podem ser planejadas no início do ano para que, dessa forma, sejam incluídas no cronograma escolar. Assim, coordenadores e professores conseguem selecionar as ideias de acordo com a faixa etária dos alunos e se programarem para pedir autorização dos pais, no caso de vivências que ocorram fora da escola. Além disso, os professores devem deixar bem claro aos estudantes qual é o objetivo das atividades para que elas não sejam vistas apenas como um momento de lazer.

A instituição de ensino deve, inclusive, tratar sobre o assunto com as famílias, de modo que elas entendam a finalidade do exercício prático. É importante pontuar como será a atividade, o que os alunos vão observar e aprender. E se você ainda está na dúvida sobre como promover esses momentos, veja a seguir algumas ideias de atividades complementares para oferecer na sua escola.

Visitas educativas

Uma dica interessante de atividade complementar é realizar visitas educativas, que podem ocorrer em diferentes ambientes, como:

  • museus;
  • exposições de arte;
  • teatros;
  • bibliotecas;
  • zoológicos;
  • parques;
  • praças;
  • planetários.

Essas podem ser oportunidades para explorar temas de biologia, geografia, história e literatura. Além de serem, também, maneiras de apresentar pontos culturais importantes da cidade. Uma exposição de arte torna-se, por exemplo, um exercício para que os alunos retratem suas impressões, sentimentos e desenvolvam sua sensibilidade para a arte. É também uma forma de mostrar as diferentes formas de manifestações culturais e seu valor para determinado grupo ou sociedade.

Jogos

Os jogos são vistos, muitas vezes, como objeto de diversão. Contudo, eles também podem ser voltados para o aprendizado. Jogos de xadrez, dama, dominó, quebra-cabeças, entre outros, são ideais para o exercício do raciocínio lógico e estratégia. A escola ainda pode organizar gincanas, olimpíadas de matemática ou quizzes e dividir os alunos em times, para que a disputa gire em torno do conhecimento. É um momento lúdico, dinâmico e que vai promover o aprendizado.

Gamificação

Essa é uma maneira de utilizar elementos de jogos — tão familiares aos alunos — para a conquista de um objetivo ou a resolução de um problema. Desse modo, a escola pode se valer de jogos digitais, formatados para esse propósito, em que a busca de informações ou a solução de um problema serve para pontuar ou passar de fase. Essa ideia também pode ser colocada em prática sem recursos tecnológicos. Assim, os professores podem criar atividades com missões e desafios que envolvam temas de disciplinas e que, a cada etapa vencida, haja alguma forma de recompensa, como no universo dos games.

Atividades complementares online

Se estamos trabalhando com uma geração chamada de nativos digitais, realizar atividades que dependem do uso da internet pode ser uma boa alternativa para conseguir a participação efetiva dos alunos. Dessa forma, é possível utilizar o notebook, tablet e até o smartphone, ou seja, dispositivos que atraem a atenção dos estudantes. Mas, como fazer isso sem que o momento se torne apenas uma distração? Para isso, busque:

  • propor a pesquisa sobre um determinado tema;
  • utilizar recursos como o Google Maps para aprender mais sobre sua cidade ou ainda usar o Google Earth para conhecer outros países e sua localização nos continentes;
  • criar um blog colaborativo em que os alunos possam publicar seus textos.

Projetos mão na massa

Outra ideia de atividade complementar são os projetos do tipo “mão na massa”. Com eles, a escola pode propor a criação de peças com sucatas, ensinando sobre reciclagem de lixo, sustentabilidade e também sobre arte. Essa é uma oportunidade para que os alunos trabalhem em grupos, usem a imaginação e exerçam sua criatividade. No caso dos alunos mais novos, esse exercício é interessante para trabalhar também a coordenação motora e a noção espacial — com recortes ou encaixe de peças, por exemplo.

Quais os benefícios para os alunos?

Promover atividades complementares despertará a curiosidade e também a criatividade dos alunos. Mas não apenas isso. Acompanhe abaixo outros benefícios quando essas vivências são proporcionadas a eles:

  • interesse pelo aprendizado;
  • protagonismo na aquisição do conhecimento;
  • fortalecimento do vínculo entre aluno e escola;
  • desenvolvimento da habilidade de observação;
  • exercício do senso crítico;
  • ampliação do universo cultural;
  • desenvolvimento das competências socioemocionais;
  • descoberta de talentos;
  • interação com a comunidade;
  • reflexão sobre seu papel de cidadão.

Percebeu como é importante planejar atividades complementares na sua escola? Essa é uma maneira lúdica e dinâmica de oferecer uma formação mais completa aos alunos, ampliar suas vivências e despertar, assim, seu interesse pela busca do conhecimento.

Gostou das ideias que trouxemos neste artigo? Quer acompanhar mais dicas para engajar seus alunos? Então siga as nossas páginas nas redes sociais — estamos no Facebook, YouTube e Instagram!

 

sistema de ensino na educação infantil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Shares
Share This