Descubra agora mesmo como engajar alunos durante as aulas remotas

Descubra agora mesmo como engajar alunos durante as aulas remotas
6 minutos para ler

A realidade das salas de aula sofreu algumas mudanças nos últimos tempos. Com a tecnologia trabalhando em favor da educação, foi possível agregar conteúdos interativos e uma dinâmica mais próxima entre professores e alunos. Isso é importante especialmente para as novas gerações que ingressam no ensino básico, que são os chamados nativos digitais.

Para eles, videoaulas são comuns e, inclusive, produtivas para a retenção dos conteúdos e, em consequência, aquisição de conhecimentos. Nesse sentido, o modelo das aulas remotas tornou-se uma possibilidade real — em especial diante do cenário da pandemia do novo coronavírus.

Por ser um novo modelo de ensino, tanto os pais quanto a escola têm uma preocupação em comum: como engajar alunos durante as aulas remotas? É o que veremos neste conteúdo. Siga a leitura e confira algumas sugestões relativas ao ensino não presencial!

Chats e fóruns de discussão

Os chats e fóruns já fazem parte da tecnologia educacional há alguns anos. Neles, os estudantes ganham voz e espaço para tirarem suas dúvidas, debater assuntos aprendidos em sala de aula, entre outros benefícios. Nesse sentido, sentem-se mais próximos dos professores e ainda ganham destaque, pois podem contribuir com suas respostas.

Esse recurso também serve para aproximar a comunidade escolar das famílias. Afinal, esses espaços não precisam ser destinados apenas para os alunos. Com esse diálogo aberto, os professores podem, inclusive, colher ideias e transformá-las em aulas e atividades a distância.

Gamificação

Os videogames são parte da vida de muitos jovens, inclusive a ponto de causar preocupação nos pais por não largarem os controles e dispositivos. Prova disso é que existem mais de 75 milhões de jogadores no Brasil, tornando-o o 13º maior mercado de jogos. Para além da diversão, esse produto tem grande poder educativo.

Nos últimos anos, as escolas têm notado os benefícios de inserir alguns conceitos de aplicações de jogos em sala de aula, aliados ao ensino. Na gamificação, como esse processo é chamado, é possível:

  • desenvolver a capacidade de concentração dos alunos;
  • conquistar maior engajamento com conteúdos de diferentes disciplinas;
  • despertar a criatividade dos estudantes;
  • treinar o raciocínio rápido para resolução de problemas, fazendo com que crianças e jovens lidem bem com o senso de urgência;
  • incentivar uma competição saudável, em que o objetivo é o crescimento das turmas em conjunto.

Indicação de filmes e séries para atividades

Da mesma forma que os games, os conteúdos audiovisuais despertam o interesse e são capazes de engajar alunos durante as aulas. Com a diversidade de temas abordados por filmes e séries, é fácil encontrar aqueles que reforçam marcos históricos e seus desdobramentos, além de competências que os professores querem ensinar.

São alguns exemplos de filmes:

  • Escritores da liberdade;
  • 12 anos de escravidão;
  • O sorriso de Monalisa;
  • O menino do pijama listrado;
  • Olga;
  • A rede social.

Enquanto isso, as séries podem ser:

  • The Crown;
  • Merlí;
  • Explicando;
  • Cosmos;
  • A Segunda Guerra em cores;
  • Anne com E.

Além de engajar e tornar as atividades mais interativas, essas produções são muito úteis para a sequência desse aluno na escola. Tome como exemplo a redação dos vestibulares. Em muitos temas, seja de atualidades, seja de teor subjetivo, cenas ou personagens podem ser utilizados como fonte de uma análise.

Transmissão ao vivo

Durante a quarentena, uma prática ganhou força entre as pessoas: a live. Ela nada mais é do que uma transmissão ao vivo — nesse caso, artistas apresentam seu trabalho sem sair de casa, enquanto os milhares de telespectadores acompanham, também de onde estão. Esse conceito pode ser transportado para o ambiente educacional.

Muitos professores se especializam em determinadas áreas do ensino ou têm muita afinidade com elas. Essa pode ser uma oportunidade de criar um circuito de transmissões ao vivo, pelo menos um dia da semana, para que os alunos tomem contato com esse diálogo. Inclusive, é possível abrir um espaço para perguntas, o que é uma forma de engajar.

Um professor de Ciências pode fazer experimentos replicáveis e seguros para estudantes dos primeiros anos de ensino. Da mesma maneira, um educador de História, Geografia ou Redação é capaz de fazer uma “live” com temas mais prováveis para a redação dos vestibulares.

Esse tipo de recurso é adaptável a diversas situações e propósitos da escola. Mesmo que a intenção seja engajar alunos em um determinado momento, as transmissões podem ser gravadas e assistidas em outras oportunidades. Assim, aquela criança ou jovem que teve problemas na internet ou de alguma maneira não participou não fica de fora da atividade.

Projetos colaborativos

Ao estarem longe da escola, em um ambiente tradicionalmente de conforto e descanso, muitos alunos podem se sentir desmotivados na realização de tarefas. Para contornar essa questão, os professores podem pensar em projetos que envolvam interatividade e desenvolvimento de algumas competências, como o trabalho em equipe.

Para incentivar o aprendizado maker e um projeto de leitura, por exemplo, é possível dividir os alunos em equipes para gravar vídeos em que leem trechos de obras literárias. Essa atividade pode contar com os pais e restante da família e, se for de interesse da escola, mesclar estudantes de diferentes turmas.

Portal EAD

Esse recurso oferece tanto à escola quanto aos estudantes um bom conjunto de possibilidades. Inclusive, é possível combinar a maioria das dicas deste artigo em uma plataforma de ensino, na qual há uma nova forma de comunicação entre todos os elementos que compõem o aprendizado.

Com conteúdos motivadores, além de engajar alunos durante as aulas remotas, esses portais EAD trabalham as competências socioemocionais — tão importantes para a sociedade no atual contexto. Essas atividades são criadas em torno do projeto pedagógico da escola e são monitoradas para possíveis ajustes, a fim de melhorar a experiência de todos com a educação.

Com os portais, a escola pode, inclusive, colocar em prática seus projetos maker, como é o caso do TEC Educação. Essa metodologia em si já ensina como engajar alunos e funciona também para situações de isolamento social.

Se você estava em dúvida sobre como engajar alunos durante as aulas remotas, a realidade agora é outra. Agora, basta verificar quais dicas são mais adequadas à escola e colocá-las em prática. Para isso, conte com a ajuda dos pais para incentivar crianças e jovens em seu aprendizado contínuo! Saiba também que a Eleva tem muito a oferecer no tocante a tecnologias para a sala de aula.

Quer saber mais sobre a plataforma da Eleva? Então, entre em contato com a nossa equipe, conheça as ofertas e tire todas as suas dúvidas!

Descubra agora mesmo como engajar alunos durante as aulas remotasPowered by Rock Convert