Cultura digital: qual a importância e como ela pode ser trabalhada na escola

cultura digital
17 minutos para ler

A relevância de ter uma cultura digital na educação tornou-se ainda mais evidente durante a pandemia do novo coronavírus. As escolas que já haviam incorporado a tecnologia educacional às suas práticas pedagógicas tiveram menos dificuldades para se adaptarem ao contexto de isolamento social, por exemplo.

Embora esse assunto já estivesse sendo discutido por diretores de escolas e professores antes da crise, não havia tanta urgência para criar uma cultura digital. Em alguns colégios, certas práticas já haviam sido implementadas; porém, na maioria deles, de maneira insuficiente.

Os educadores já haviam notado a sua importância, considerando as necessidades que surgem à medida que a nossa sociedade evolui e a sua obrigatoriedade na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) também. Entretanto, essa era uma ideia a ser implementada em um futuro não tão próximo, ou seja, não estava entre as prioridades.

Para entender por que o seu colégio precisa construir uma cultura digital, descubra a seguir o que é, quais são os seus benefícios para os alunos e a escola, como implementá-la, quais ferramentas utilizar para isso e como integrá-la à grade curricular.

O que é a cultura digital

De maneira breve, podemos dizer que o termo “cultura digital” se refere às adaptações necessárias para acompanhar os avanços tecnológicos advindos da transformação digital, implicando o uso de ferramentas digitais em atividades cotidianas e a reflexão sobre isso.

No contexto educacional, isso significa integrar esse tipo de recurso às práticas pedagógicas. Isto é, em vez de usá-los apenas de maneira pontual — como em apresentações de slides ou exibição de vídeos durante as aulas —, as escolas os incluem extensivamente no dia a dia, tornando-os parte do processo de ensino-aprendizagem.

Em outras palavras, os colégios devem promover o uso dessas ferramentas, estimular a reflexão sobre elas, ensinar os alunos a utilizá-las em contextos distintos, mostrar como elas são criadas e de que maneira impactam a sociedade.

A pesquisa TIC Educação 2019 indica que apenas 28% das escolas situadas em regiões urbanas usa ambientes ou plataformas virtuais de aprendizagem, das quais 64% fazem parte da rede particular de ensino. Contudo, mais da metade dos alunos e usuários de internet (58%) utilizaram celulares para fazer atividades escolares no período analisado.

Diante disso, notamos que embora o potencial de atingir um grande número de estudantes usando tecnologia na educação seja alto, uma vez que há indícios de isso ser bem-aceito por eles, essa realidade ainda não chegou a boa parte das escolas brasileiras.

Por isso, é importante procurar caminhos para estabelecer a cultura digital em sua escola, garantindo que ela esteja antenada nas tendências da educação e saiba como despertar o interesse em seus alunos. Como resultado disso, vários benefícios serão notados.

Quais são as vantagens da cultura digital

As crianças e os jovens usam a tecnologia cada vez mais no dia a dia. Então, ela pode ser uma ótima aliada para garantir o seu engajamento no processo de aprendizagem e o desenvolvimento de competências que levam à formação integral dos estudantes.

Veja a seguir algumas das principais vantagens da cultura digital na escola tanto para os alunos como para o colégio.

Atende às novas necessidades dos alunos

Os nativos digitais — crianças e jovens que cresceram em meio à presença de tecnologias digitais — são naturalmente atraídos por esses recursos e têm facilidade para usá-los. Assim, seus comportamentos e hábitos são bastante diferentes daqueles de pessoas nascidas em outras épocas.

As crianças e os adolescentes de hoje estão acostumados a acessar um grande volume de informações rapidamente, navegar na internet, comunicar-se por dispositivos eletrônicos, jogar videogame ou jogos online, assistir a vídeos e desenhos animados com certa frequência.

Eles têm necessidades distintas, então, o ensino tradicional, em que o professor transmite conhecimento e os alunos aprendem de maneira passiva, seguindo o mesmo padrão e estilo, está ultrapassado e não atende às suas demandas.

Diante disso, tem se tornado cada vez mais desafiador prender a atenção deles durante as aulas e despertar seu interesse pelos estudos. Por um lado, eles são ávidos por descobrir coisas novas. Mas, por outro lado, muitas escolas usam métodos que não são suficientemente estimulantes.

Implementar uma cultura digital na escola é uma maneira de fazer com que o processo de ensino-aprendizagem esteja alinhado a essas novas demandas. Assim, é possível otimizá-lo e engajar seus alunos, como abordamos a seguir.

Ajuda a aumentar o engajamento dos alunos

Quando a escola consegue realmente integrar a tecnologia às suas práticas pedagógicas, é mais fácil engajar os estudantes. Isso acontece porque os alunos se sentem mais estimulados a participar das atividades propostas.

Além disso, a cultura digital possibilita a adoção da abordagem do ensino individualizado, que permite identificar dificuldades e pontos fortes dos alunos. Assim, cada um deles consegue se desenvolver em seu próprio ritmo e conforme seu estilo de aprendizagem.

Consequentemente, o engajamento dos estudantes aumenta — uma vez que reduz as chances de ficarem frustrados por não conseguirem aprender no mesmo ritmo que os seus colegas, por exemplo — e eles aprendem melhor.

Otimiza o processo de ensino-aprendizagem e a gestão escolar

As ferramentas tecnológicas otimizam todas as atividades relacionadas ao processo de ensino-aprendizagem, desde o planejamento das aulas, passando pelos deveres de casa e trabalhos em grupo até as avaliações.

Então, o trabalho dos professores é otimizado, pois eles gastam menos tempo para planejar as suas aulas e têm mais recursos à sua disposição para facilitar a explicação de conceitos complexos e avaliar seus alunos, por exemplo.

Os estudantes também notam a praticidade ao resolverem exercícios e estudarem em casa. Eles podem fazer isso por meio de plataformas digitais, obtendo feedback imediato e entendendo o que erraram, bem como assistir a videoaulas para esclarecer dúvidas que persistem após as aulas.

Os benefícios não se limitam a esses dois grupos da comunidade escolar. A cultura digital também deve estar presente na rotina dos diretores de escolas, otimizando processos de gestão do colégio.

Permite desenvolver competências e habilidades socioemocionais

Uma vez que a cultura digital promove uma transformação profunda no processo de ensino-aprendizagem, várias habilidades e competências apontadas na BNCC como fundamentais para a vida pessoal e profissional de qualquer indivíduo podem ser desenvolvidas.

Os estudantes são incentivados a ter uma postura mais ativa, tornando-se protagonistas de sua aprendizagem, por exemplo. Além disso, dependendo de como a escola utiliza os recursos digitais, é possível estimular a criatividade, o pensamento crítico, a comunicação, a colaboratividade, a liderança, entre outras habilidades socioemocionais.

Desse modo, a escola consegue fornecer o ensino integral e forma jovens preparados para enfrentar os desafios que surgirem no futuro, encontrando soluções efetivas para problemas e promovendo transformações benéficas para a sociedade.

Como a cultura digital pode ser trabalhada na escola

Ao longo da leitura deste artigo, você já deve ter notado algumas possibilidades de trabalhar a cultura digital na escola. Mas, a seguir, vamos nos dedicar especialmente a esse tema, apresentando algumas sugestões de como fazer isso.

A quinta competência geral descrita na BNCC determina que o estudante precisa saber usar e criar as tecnologias adotando uma postura crítica e reflexiva em práticas sociais para atingir as finalidades desejadas — comunicação, acesso e partilha de informações, produção de conhecimentos e resolução de problemas tanto na vida pessoal como na coletiva.

Por isso, além de dispor de recursos tecnológicos — computadores, smartphones, tablets, acesso à internet, entre outros —, é necessário adaptá-los às atividades educativas considerando várias dimensões envolvidas nisso. A cultura digital é muito mais que apenas utilizar dispositivos eletrônicos em salas de aula.

Promover reflexões sobre as tecnologias e ensinar a criá-las

Conforme a BNCC, as escolas precisam promover reflexões sobre a utilização de tecnologias e também ensinar os estudantes a criá-las. É interessante estudar aspectos teóricos, conceituais e práticos das tecnologias. Uma maneira de fazer isso é oferecer aulas de robótica, programação, eletrônica.

Além disso, é importante que os alunos entendam as implicações das tecnologias, isto é, como afetam a sociedade e de que modo podem ser utilizadas para atingir objetivos específicos, promovendo mudanças para tornar melhor o mundo e o seu cotidiano. Desse modo, elas farão um uso consciente e crítico, atendendo ao que é proposto na BNCC.

Adaptar as aulas

Em uma escola que adota verdadeiramente a cultura digital, as aulas são planejadas pensando nesse conceito. A abordagem, os conteúdos, as ferramentas de apoio às aulas e os materiais didáticos consideram o contexto em que os alunos estão inseridos e as suas demandas.

Além disso, os professores buscam desenvolver competências que vão além dos conhecimentos acadêmicos. Isso nem sempre é possível partindo de aulas preparadas segundo os modelos tradicionais, que geralmente não se preocupam em desenvolver essas outras habilidades.

Por isso, é importante que os educadores entendam o que é cultura digital, saibam como utilizar as ferramentas disponibilizadas pela escola para promovê-la e estejam abertos a efetuar mudanças em seus métodos de ensino.

Investir na personalização do ensino

Como mencionamos, a cultura digital permite personalizar o ensino. Essa abordagem respeita as características individuais dos estudantes, oferecendo o que eles precisam para se desenvolverem de acordo com seus perfis.

Então, além de ser uma inovação que está alinhada ao momento que vivemos e às novas necessidades dos alunos, por permitir que eles tenham liberdade e autonomia, o ensino personalizado aprimora e otimiza o aprendizado.

Isso é possível porque as aptidões e dificuldades dos alunos são identificadas pelos professores e levadas em conta quando eles elaboram as suas estratégias pedagógicas. Assim, os estudantes assimilam melhor os conteúdos estudados.

Para atingir esses objetivos, alguns dos recursos mais eficazes e práticos são as tecnologias educacionais, como plataformas adaptativas, de que trataremos em breve neste artigo. Por isso, a cultura digital facilita a implementação dessa metodologia.

Quais ferramentas podem ser usadas na educação

Veja agora as principais ferramentas que podem ser usadas para promover a cultura digital em sua escola.

Plataformas adaptativas

Entre as ferramentas disponíveis atualmente, as plataformas adaptativas merecem destaque. Afinal, elas são baseadas na personalização do ensino, que traz diversos benefícios que já abordamos, e oferecem diversos recursos. Alguns deles são:

  • videoaulas;
  • questionários;
  • jogos educacionais;
  • plano de estudos;
  • estatísticas do desenvolvimento dos alunos;
  • material didático completo;
  • avaliações online.

Além disso, o uso de uma plataforma de ensino permite que o professor torne as suas aulas mais dinâmicas, facilitando a compreensão, maximizando o aproveitamento das aulas e engajando os alunos.

Ela também é interessante por permitir que os pais e responsáveis acompanhem de perto a evolução das crianças e adolescentes, já que as informações ficam registradas na plataforma.

Livros digitais

Os livros digitais são ótimas ferramentas para implementar na escola. Em primeiro lugar porque é possível ter acesso a eles em qualquer local e a qualquer momento, basta ter um dispositivo para abri-los.

Assim, os alunos não correm o risco de esquecê-los em casa e não precisam carregar mochilas pesadas diariamente para ter todos os livros didáticos necessários para acompanhar as aulas e resolver os exercícios propostos.

Outro motivo é a possibilidade de interagir com eles. Os estudantes podem fazer marcações e anotações nas páginas, além de retornar facilmente a determinado ponto que desejam reler. Livros digitais também são interessantes por permitirem que eles façam pesquisas para tirar dúvidas no próprio dispositivo usado para leitura.

Gamificação

Na educação, a gamificação é uma estratégia que se baseia no uso de jogos educacionais. Eles promovem a imersão dos alunos nos conceitos estudados em aulas, permitindo que os estudantes os coloquem em prática, aprendam também fora da sala de aula e se divirtam durante o processo.

Além disso, os jogos despertam o interesse dos estudantes, fazendo com que se sintam estimulados com o aprendizado. Por consequência, os conteúdos são assimilados com mais eficácia e seu desempenho escolar melhora.

Os jogos também requerem a associação de diversas habilidades para solucionar os problemas propostos, como concentração, raciocínio lógico e criatividade. Esse é mais um motivo para incentivar a sua inclusão nas práticas pedagógicas de sua escola.

Outro ponto positivo dos jogos educacionais é o fato de existirem opções para alunos de várias faixas etárias, especialmente os da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental, que abrangem todas as disciplinas.

Redes sociais

As redes sociais também podem ser ferramentas úteis para escolas adeptas da cultura digital. É possível usá-las de diversas formas tanto para promover aprendizado como para estimular a conexão entre os membros da comunidade escolar.

Segundo a TIC Educação 2019, 94% das escolas particulares localizadas em áreas urbanas já têm perfil ou página nas redes sociais. Eles são ótimos meios para informar os alunos e seus responsáveis sobre eventos e atividades importantes relacionadas ao colégio, como semana de provas e realização de simulados.

Também servem como meio de comunicação direta com os familiares que não conseguem entrar em contato com a escola pessoalmente, dando a eles a oportunidade de fazer isso de uma maneira mais conveniente.

Outra ideia é criar páginas para divulgar conhecimentos e projetos realizados na escola ou grupos para discuti-los. Isso pode contribuir para aumentar o interesse dos alunos em participar dessas atividades, uma vez que ocorrem em um ambiente que eles se sentem mais à vontade para se expressarem.

Cultura digital: qual a importância e como ela pode ser trabalhada na escolaPowered by Rock Convert

Como integrar a cultura digital na grade curricular

Para integrar a cultura digital na grade curricular de sua escola, é necessário seguir alguns passos, observando alguns cuidados. Acompanhe!

Tenha um bom planejamento

Qualquer mudança nas práticas pedagógicas precisa ser bem pensada e planejada. Essa é a única maneira de ter uma visão clara e ampla do que está sendo proposto, como colocar em prática, quando fazer isso e o que será necessário em cada etapa.

Por isso, o colégio precisa estabelecer de forma clara e organizada como a cultura digital será implementada na escola, propondo uma agenda com todas as etapas desse processo e incluindo todos os educadores nas decisões e no planejamento. Assim, eles terão uma compreensão profunda do conceito e do que é esperado pela direção do colégio.

Isso também garante que os professores estejam alinhados ao planejarem as suas aulas e melhora o relacionamento entre eles, aproximando-os, o que facilita a criação e a execução de projetos interdisciplinares, por exemplo.

Prepare os professores

Não são todas as pessoas que aprendem a usar dispositivos eletrônicos com facilidade e descobrem intuitivamente todas as funções disponíveis. Então, para que a cultura digital seja trabalhada de maneira eficaz em sua escola, é fundamental que o corpo docente esteja preparado para isso.

Uma das maiores dificuldades enfrentadas nas escolas que decidem trabalhar a cultura digital às vezes não é ausência de dispositivos e softwares, mas sim a falta de conhecimentos dos professores de como usar essas ferramentas de maneira eficaz.

Pensando nisso, é interessante que os diretores desses colégios proporcionem aos educadores a possibilidade de aprenderem a utilizar ferramentas tecnológicas e explorarem suas funcionalidades nas aulas.

Por que isso é importante e como fazer?

Durante a formação para se tornarem educadores e ao longo de sua carreira, os professores aprendem métodos e fazem testes com seus alunos para verificar o que é mais eficaz — um processo que leva anos.

Aplicar a cultura digital em escolas requer reaprender alguns conceitos e repensar metodologias pedagógicas. Então, como um educador poderia fazer isso sem nenhuma preparação adequada e atingir resultados de aprendizagem satisfatórios? Os professores também precisam desenvolver habilidades específicas!

Isso pode ser feito por meio da promoção ou indicação de capacitações voltadas a esse assunto. Também é possível incentivar o corpo docente do colégio a se reunir para discutir sobre isso ou buscar maneiras de entrar em contato com outros educadores que estão trabalhando a cultura digital em suas escolas.

Forneça as ferramentas necessárias

Ter uma infraestrutura adequada é um dos pontos mais importantes na cultura digital. Então, os diretores de escolas precisam se certificar de que os educadores e alunos terão acesso a elas.

Os dispositivos eletrônicos que serão utilizados podem ser disponibilizados nas salas de aula ou em outros espaços dentro do colégio, mas os alunos também podem ser incentivados a levar seus próprios aparelhos.

Além disso, é essencial que todos possam se conectar à internet nas dependências da escola. Assim, os professores podem fazer pesquisas durante as aulas, exibir vídeos educacionais e os alunos conseguem resolver exercícios na plataforma de ensino, por exemplo.

Escolher uma plataforma de ensino é extremamente importante. Além de oferecerem inúmeras funcionalidades, elas permitem centralizar as atividades, facilitando o acesso e o uso, e disponibilizando materiais consistentes e bem fundamentados.

Crie disciplinas específicas

Para oferecer um ensino abrangente relacionado à tecnologia, a melhor alternativa é abrir espaço para disciplinas ou práticas voltadas especificamente a esse assunto. Aqui, a ideia é incluir na grade curricular tanto disciplinas como robótica, programação e eletrônica como outras focadas em cidadania, ética digital e uso de dispositivos tecnológicos.

Alguns temas que podem ser trabalhados nas aulas, até mesmo das disciplinas de ciências humanas, são: fake news, privacidade no meio virtual, importância de discernir público e privado na internet.

Em síntese, as disciplinas devem ser pautadas em três eixos: os impactos da tecnologia na sociedade, o uso de tecnologias para a solução de problemas e o modo de funcionamento do mundo digital.

Relacione as áreas do conhecimento

Mesmo se a sua escola optar por criar disciplinas específicas, os conhecimentos construídos nelas devem ser relacionados àqueles de outras áreas do conhecimento, de modo que os alunos percebam a conexão entre eles.

Dessa maneira, eles entenderão por que estão estudando e utilizando os dispositivos tecnológicos — o que vai ao encontro da proposta da BNCC de uso consciente desses dispositivos — e qual é a utilidade disso para as suas vidas.

Como mostramos ao longo deste artigo, aplicar a cultura digital na grade curricular da sua escola traz diversos benefícios, garantindo que seus alunos estarão preparados para lidar com os desafios do futuro.

Além disso, embora implementar a cultura digital seja desafiador, uma vez que isso requer a abordagem de diversos aspectos da tecnologia, há diversas maneiras de trabalhá-la na escola. Portanto, é possível encontrar maneiras de tornar essa mudança mais fácil para o seu colégio.

Agora que você já compreendeu a importância de criar uma cultura digital em sua escola, entre em contato com a Plataforma Eleva para saber como podemos ajudar você nisso e conhecer todos os nossos recursos.

Cultura digital: qual a importância e como ela pode ser trabalhada na escolaPowered by Rock Convert