Como fazer dinâmicas que encantam os pais

dinâmicas
9 minutos para ler

Algumas figuras são extremamente importantes ao longo da trajetória dos estudantes no ambiente escolar. Além dos professores, diretores e demais educadores que cumprem com os seus papéis no dia a dia, estamos falando dos familiares dos alunos — sim, para que as missões de formação e até mesmo aprendizagem sejam cumpridas com êxito, é interessante que família e escola formem uma parceria que beneficie todas as partes.

Existem, inclusive, os momentos em que esses responsáveis são chamados à escola para debaterem ou ficarem a par do desempenho dos alunos e do que está sendo ensinado a eles. Uma forma de tornar essas ocasiões mais proveitosas é aplicar a ferramenta da dinâmica na reunião de pais, gerando engajamento, entendimento e integração.

Foi pensando nisso que, neste conteúdo, falaremos mais sobre a importância dessa parceria entre familiares e escola, além de como aplicar a dinâmica na reunião de pais. Ainda reunimos alguns exemplos de dinâmicas que rendem ótimos resultados. Vamos conferir?

Parceria entre escola e família

Antes de comentarmos sobre a importância da parceria entre pais e escola, existem dois grandes paradigmas a serem quebrados. O primeiro é o de que a educação “vem de berço” e, o segundo, de que a instituição escolar é a única responsável pela formação e aprendizado dos alunos, uma vez que essa é sua principal função.

É claro que, em partes, essas afirmações tem embasamento — mas não podem ser encaradas como máximas. É muito importante para o desenvolvimento do aluno que pais e escola trabalhem em conjunto. Em casa, a família deve, além de passar os seus valores, buscar incentivar o filho a dar o melhor de si nos estudos. Já a instituição escolar, além de transmitir conteúdos aos estudantes, tem sim a missão de contribuir com a sua formação.

Por isso mesmo, pais, responsáveis e escola devem, juntos, formar uma entidade que fará toda a diferença no percurso de um estudante. Essa parceria gera motivação, amparo e mostra que ambos os lados estão interessados em ser parte do sucesso dos alunos, auxiliando-os durante seus percursos naquilo que for necessário.

A dinâmica na reunião de pais como ferramenta de engajamento

Lembra da entidade “família e escola” que comentamos logo acima? Para que ela se mantenha firme, é imprescindível a abertura de um canal de comunicação entre ambas as partes, afinal, sem esse diálogo, não há como conservar o alinhamento de objetivos, e missões, muito menos fazer o devido acompanhamento do rendimento dos alunos.

A problemática, aqui, é que para muitos responsáveis a reunião de pais ainda é vista como um evento escolar improdutivo, em que parte de suas rotinas atribuladas é interrompida para a escola mostrar o trabalho desenvolvido, alguns familiares fazerem perguntas relacionadas à nota de seus filhos etc. Na verdade, essa ocasião é bastante importante — e precisamos, como educadores, fazer algo para mudar essa visão equivocada.

Usar a dinâmica na reunião de pais é uma maneira eficaz de transmitir a mensagem desejada de forma descontraída e até mesmo divertida. Só isso já ajuda, logo de início, a quebrar um pouco aquela visão equivocada que alguns têm sobre o objetivo e o curso da ocasião. Afinal, muito mais do que estarem presentes de corpo, o momento requer que os familiares também estejam genuinamente interessados.

Algumas das vantagens da dinâmica na reunião de pais incluem:

  • quebra do gelo;
  • despertar do interesse;
  • facilitação da comunicação;
  • geração de engajamento;
  • criação de vínculos mais fortes entre pais e escola ou entre os próprios participantes etc.

Exemplos de dinâmica para reunião de pais

Bom, agora que você já sabe o porquê de aplicar dinâmicas na reunião de pais, reunimos algumas sugestões de atividades comumente empregadas pelos educadores.

Lembrando que o foco não é exigir uma exposição pessoal dos presentes: isso pode acabar causando desconforto e desviando o foco e o objetivo. Abaixo, confira algumas ideias!

Teia de aranha

A dinâmica “teia de aranha” tem como objetivo mostrar justamente a importância da união entre pais e escola para o benefício dos alunos. Para executá-la, é bastante fácil: você só precisará de um novelo de lã, barbante ou qualquer outro fio.

Como fazer dinâmicas que encantam os pais

Comece pedindo aos pais para formarem uma roda, todos de pé. Entregue o novelo a um voluntário que deseje iniciar a dinâmica ou selecione um responsável aleatoriamente. Proponha a essa pessoa que diga algo que represente as expectativas sobre a escola ou sobre o filho e, em seguida, que jogue o novelo para outro participante, segurando parte do fio. Todos os que falarem devem continuar a segurar o fio, até que seja formada uma espécie de “teia de aranha”.

Ao final da dinâmica, você deve comentar que, se alguém soltar a lã, a teia se despedaçará ou não se formará — e que a mesma lógica deve ser aplicada nas relações. As pessoas influenciam umas as outras, por isso, é importante que exista essa união entre família, alunos e escola. Por fim, fomente uma discussão sobre o tema e reforce a importância de sermos exemplos para os outros.

Com quem está meu filho?

Essa é outra dinâmica que tem como intuito mostrar a importância da participação dos pais na trajetória escolar dos filhos, conhecendo bem aquelas pessoas que são parte do seu convívio diário e entendendo o trabalho que vem sendo realizado em cada etapa. Você precisará de balões coloridos e canetões.

Peça que cada pai presente encha um balão colorido e desenhe nele o seu filho (pode ser um bonequinho de “pauzinhos” mesmo — reforce que o que está em jogo não são os dotes artísticos de cada um). Forme uma roda com os participantes e peça para que eles segurem firme os seus balões, seguindo aos comandos que virão em seguida.

Agora, vá dizendo “jogue levemente o balão para cima… esse é seu filho começando a sair de casa, indo para a escola”, “jogue mais forte, dessa vez, ele está saindo com os amigos”, “agora, mais forte ainda e em outra direção, já que ele já está indo dormir na casa do amiguinho”, “capriche no levantamento, agora, seu filho está fazendo a primeira viagem sozinho, portanto, jogue o balão com força…”.

Observe a reação dos pais. Peça para que peguem o balão caído mais próximo de cada um e faça a pergunta: “e agora, onde está o seu filho? Você conhece a pessoa que está o segurando?”. Na reflexão final, reforce o quão importante é compreender o cotidiano escolar do filho, sabendo de quais pessoas eles estão cercados, como a escola funciona, como os professores trabalham, afinal, é com eles que as crianças passam parte do dia.

Trabalhando juntos

Essa é uma dinâmica que tem ainda mais sucesso quando complementa a anterior (“com quem está o meu filho?”). Sugira que os pais façam mais uma vez uma roda segurando cada um o seu balão, se posicione no centro e convide um participante para auxiliar você na dinâmica.

Ao sinal, diga a todos para jogarem seus balões para cima, sem sair da roda. O papel da voluntária é tocar um pai de cada vez — que deverá deixar o círculo e se sentar. Enquanto cada participante sai da brincadeira, seus balões continuam, e você e a voluntária devem se esforçar para não deixar que nenhum balão se perca ou caia no chão.

É óbvio que, uma hora, vocês não darão conta de todos os balões. É aqui que a reflexão deve vir à tona: os educadores precisam da ajuda dos pais e responsáveis para executarem um bom trabalho. Ou seja, a família não pode simplesmente “largar” os filhos nas mãos da escola e sair de cena sem saber o que está acontecendo e o que vem sendo desenvolvido em sala de aula.

Bolinha de revista

Sabemos que os pais costumam depositar expectativas em seus filhos, contudo, é necessário que isso ocorra de forma saudável para ambas as partes. Trabalhar esse tema por meio de uma dinâmica na reunião de pais é uma ótima forma de promover o debate e reforçar, mais uma vez, a importância da colaboração entre família e instituição escolar.

Para essa atividade será necessário contar apenas com uma revista velha. Entregue uma folha para cada pai e peça que cada um diga quais são as suas expectativas em relação a seus filhos, enquanto forma uma bolinha com o papel. Ao terminar, o participante deve passar a bolinha para o próximo pai, que continuará e fará o mesmo, até chegar até você.

Ao receber a grande bola formada, você, como professor, explicará o intuito da dinâmica, mostrando que todas essas expectativas não devem ser entregues apenas aos educadores. É necessária uma colaboração mútua para que todos estejam alinhados e convivam de forma saudável.

Como você viu, aplicar a dinâmica na reunião de pais é uma ótima maneira de fazer com que os próprios responsáveis ali presentes quebrem uma possível barreira entre família e escola e se tornem mais engajados com a trajetória de seus filhos. Além disso, a função estratégica da dinâmica promove a integração entre os participantes, facilita o entendimento da mensagem e torna o momento muito mais colaborativo.

Se você gostou das dicas do conteúdo, aproveite a sua visita no blog para conferir nosso próximo post e entender como tornar a reunião de pais ainda mais efetiva!

Como fazer dinâmicas que encantam os pais