A importância da diversidade no sistema educacional

diversidade
5 minutos para ler

Djamila Ribeiro, uma das escritoras mais lidas do Brasil, foi uma das Keynotes do Festival Nova E-ducação. Em uma entrevista guiada por Amaral Cunha, Diretor Acadêmico da Escola Eleva, a mestre em filosofia fala sobre a importância de uma educação inclusiva e sobre os caminhos que as escolas podem e devem trilhar rumo ao abraço da diversidade, dentro e fora da sala de aula. 

O papel da escola no movimento antirracista

Djamila começa sua palestra falando sobre o significado da escola enquanto uma comunidade que acolhe e estimula, mas que também não se esquiva de debates importantes. 

Quando questionada sobre o papel da escola no movimento antirracista, a autora afirma “Não é uma questão de tratar esses temas como um tabu ou negar a existência deles. Quando compreendemos que somos ensinados a reproduzir essas práticas, entendemos, também, que podemos desaprendê-las e aprender práticas mais responsáveis”.

Com base na lei nº 3.639, de 2003, que alterou a lei de diretrizes e bases da educação, tornando obrigatório, assim, o ensino da história africana e afrobrasileira nas escolas, ela fala sobre a importância de serem oferecidas mais de uma perspectiva das narrativas às crianças. 

“Contar a história só pela perspectiva da opressão é muito danoso para a construção da subjetividade em crianças negras e brancas. Nas crianças negras, pois não se identificam; nas crianças brancas, porque, muitas vezes, legitimarão somente aquela perspectiva”, diz ela. 

E, para além do estudo da história propriamente dita, a autora relembra o papel da escola enquanto espaço de convívio saudável, de produção intelectual e de não reprodução de práticas desrespeitosas e depreciativas. 

Sensibilização e formação de professores

Pautada no fato de os educadores possuírem o importante papel de disseminar saberes, além de estimular boas práticas e pensamento crítico, Djamila ressalta a necessidade do engajamento da comunidade na formação de professores que tenham perspectiva da importância da diversidade e da inclusão. 

A autora fala ainda sobre a relevância de adotar uma perspectiva de que, mesmo graduados, seguimos aprendendo ao longo de nossas vidas e profissões, e as escolas precisam adotar formações de professores que abordem inclusão e antirracismo, acrescentando generosidade e acolhimento a esse processo. 

Amaral Cunha, Diretor Acadêmico da Escola Eleva, cita a importância de quebrar a inércia dentro dos ambientes de ensino-aprendizagem e da necessidade da tomada de consciência de que somos todos responsáveis pelas transformações que queremos ver. 

Perspectiva do aluno em espaços de não identificação

Quando questionada sobre a perspectiva do aluno negro que, em alguns momentos, é o único aluno negro de sua sala, de sua instituição, Djamila fala sobre suas experiências enquanto acadêmica e professora. 

“É muito doloroso quando somos o único dentro de um espaço, olhar para o lado e não ver um como nós, é o que eu chamo de solidão institucional. E, muitas vezes, por conta da naturalização do racismo, as pessoas brancas não entendem que elas também são responsáveis por quebrar com isso, por também se posicionarem contra situações preconceituosas”, diz ela. 

Para a autora, a falta de representatividade e a convivência em um ambiente não acolhedor pode levar esse aluno a não ter autoestima, e não ter autoestima dificulta seu aprendizado. 

Papel da escola sobre todas as formas de inclusão

Finalizando sua palestra, a autora sinaliza a importância de todas as formas de inclusão dentro do ambiente escolar. 

“A escola tem o papel fundamental de promover esse diálogo com a comunidade escolar. A escola tem a oportunidade de trazer esses diálogos, para entendermos que somos diferentes, e ser diferente não tem problema nenhum.”

Djamila complementa dizendo: “A diferença só é ruim quando ela significa desigualdade, e a gente precisa pensar em encontrar formas de combater essa desigualdade. Mas, sobre ser diferente, nós somos, temos características muito diversas e que bom que somos diferentes. Precisamos enxergar essas diferenças como fagulhas criativas.” 

Mensagem da autora para educadores de todo o Brasil

“Eu diria para investir sempre na educação antirracista, antissexista, contra qualquer forma de opressão. Esse é um exercício, um processo no qual temos que nos engajar, uma responsabilidade de todos e de todas nós. Porque, quando a gente muda a comunidade escolar, estamos promovendo mudanças na sociedade.

Essa importância de se responsabilizar pela mudança que queremos na nossa comunidade e, consequentemente, na nossa sociedade, tudo nos diz respeito. Não é porque a gente não vivencia que não devemos nos responsabilizar, porque nós somos afetados. 

Se existimos nessa sociedade, na nossa pluralidade, nas nossas diferenças, estamos nos relacionando o tempo todo. O engajamento por uma sociedade, por uma comunidade que, de fato, promova as transformações que a gente precisa, é uma responsabilidade de todos.

É uma responsabilidade de todos e todas nós, independentemente de vivenciarmos ou não uma opressão.” – Djamila Ribeiro. 

A importância da diversidade no sistema educacional
A importância da diversidade no sistema educacional