Educação do século XXI

Planejar os objetivos e atividades escolares faz parte da rotina anual de quem atua nos diversos setores do ensino. Porém, a educação do século XXI somou novos desafios ao planejamento escolar, que devem ser enfrentados para não arriscar a qualidade da aprendizagem. Entender o aluno dessa geração e conhecer os adventos tecnológicos são alguns deles.

Conquistar a atenção do jovem e lograr êxito nas aulas nunca foi tão difícil. E isso se deve à concorrência com games, redes sociais e outros atrativos digitais. Mas, afinal, a tecnologia é inimiga da educação? Como lidar com ela? Qual é o papel da escola nesse cenário?

Para sanar essas e outras dúvidas, fizemos um apanhado desses assuntos que tiram o sono de diretores e outros atores do ensino. Então, confira tudo sobre os principais desafios da educação atual. Boa leitura!

Quem é o aluno dessa geração?

As gerações que surgiram, uma a uma, deixaram marcas bem específicas no mundo. Passando pelos idealistas baby boomers e pelos materialistas da generation X, todos já se acostumaram com o meio-termo entre essas, que foi a geração Y. Mas, e agora, o que esperar dos Z?

A geração Z tem uma característica essencial que a distingue completamente das demais: ser nativa digital. Os nascidos após 1996 não conheceram um mundo sem a presença da internet e dos rápidos avanços tecnológicos. Isso impacta muito na forma com que eles veem o mundo.

Os generation Z são a população escolar atual e, consequentemente, suas peculiaridades despontam ali. Um dos principais desafios da gestão educacional é saber como lidar com eles. Isso porque suas preocupações com individualidade e tempo, por exemplo, são diferentes.

O aluno Z não se adapta bem a extensas aulas expositivas e literaturas didáticas, pois se acostumou ao dinamismo que comporta o real e o virtual. Logo, ele exige um ritmo de aprendizado do qual participe tanto quanto faz na internet.

Qual é o papel da tecnologia na educação do século XXI?

O avanço da tecnologia é tão veloz que surpreende indivíduos de gerações que viram os aparatos tecnológicos surgirem. Já para a geração Z, essa rapidez é normal. Drones, hologramas e impressoras 3D não passam de evoluções lógicas do mundo que esses jovens conhecem.

Em uma proporção mais específica, eles já lidam com aperfeiçoamentos contínuos de seus notebooks, tablets e smartphones. Estes últimos, atualmente, são telefones com mais de uma câmera, assistente virtual, touch screen e aplicativos de realidade aumentada — além de outros.

Obviamente, tanta tecnologia ao alcance das mãos faz com que os alunos vivam mais tempo no mundo virtual. Redes sociais, plataformas de vídeo e jogos ocupam boa parte do dia deles. E isso atrapalha pais, professores e diretores, que precisam atrair a atenção desses jovens.

Porém, esse desafio tem uma forma objetiva de ser enfrentado: com a própria tecnologia. Seguir a maneira mais intuitiva e querer tirá-los do mundo digital não é eficaz. Confrontar os atrativos tecnológicos deles com outras ideias inovadoras é o jeito mais lógico e efetivo de despertar seu interesse.

Quais são os temas de destaque?

Com o uso constante da internet, alguns temas se potencializaram, como bullying, os perigos do futuro, dentre outros. E com a geração Z na escola, essa ferramenta se torna essencial para orientar sobre esses assuntos, já que precisam de um guia para não se perderem em meio a tanta informação.

Bullying

Um desafio recorrente aos diretores e coordenadores é lidar com o bullying. As altas taxas de violência moral e física entre jovens jogou luz sobre esse tema e fez com que as escolas — palco de muitas dessas atitudes negativas — tivessem que trabalhar o assunto.

Para lutar contra o bullying, o principal trabalho é o de conscientização. Para tanto, é fundamental se incorporar ao mundo dos jovens e promover a comunicação entre eles, tanto real, como virtual. Isso porque o cyberbullying também é muito frequente e precisa ser evitado.

Relacionamento com os pais

Outra questão que acaba afetando a escola é o relacionamento com os pais. A dificuldade de educar os generation Z é enfrentada pelos responsáveis que não compreendem essa cultura tão digital e veloz. Logo, é comum que o jovem já vá para o colégio se sentindo incompreendido pelos adultos.

O papel da escola, nesse quesito, é aproximar os pais do processo de integração com esse novo mundo. Assim, todos descobrirão juntos qual a melhor maneira de usar a tecnologia com cada um dos alunos.

Futuro

Como essa geração vê o seu futuro também é pauta escolar, e isso ocorre em função da dificuldade que eles possuem em unir o seu mundo hipercognitivo com as lições que aprendem — e é a experiência das gerações passadas que auxilia nesse ponto.

A construção do ensino que compreende esse aluno e une o real e o digital na escola facilita o entendimento deles sobre o futuro. Perceber, já nas aulas, que é possível manterem suas personalidades e utilizarem o conhecimento adquirido ali potencializa a capacidade desses jovens.

Como lidar com os desafios?

É muito difícil ser dono de uma escola nessa época, pois as diretrizes analógicas ainda estão arraigadas na forma de atuar. No entanto, há pessoas-chave nessa transição entre gerações, por serem visionárias e objetivas. E são essas as características principais de um bom diretor de ensino atualmente.

Muitas vezes, o maior desafio não é entender o quanto a tecnologia e a inovação são aliadas, mas sim ter coragem para aplicá-las. As mudanças na forma de desenvolver a educação podem assustar, impedindo a escola de evoluir e alcançar seu objetivo principal: a qualidade do ensino. Portanto, decidir melhorar é o primeiro passo na jornada de aperfeiçoamento.

Ou seja, lidar com essa geração de nativos digitais está longe de ser fácil, mas é possível! E não só se pode entendê-los, como também melhorar a relação com eles e com os pais, além da forma como aprendem. O que é o foco de uma escola de qualidade, não é mesmo?

Assim, a educação do século XXI exige que se mude algumas práticas para melhorar o processo. A adoção de materiais contextualizados, com os quais eles se identifiquem, e de plataformas são ótimos exemplos de modificações positivas. São elas que farão a integração necessária para o sucesso.

Existem também outras formas de pensar a educação para o século XXI. Para saber mais sobre o tema, assine a nossa newsletter e confira conteúdos incríveis!

Comments (2)

  1. Plataforma muito importante para aqueles que atuam no setor educacional

    1. Eleva Educação

      Boa tarde, Luziete. Ficamos felizes que reconheça a importância da Plataforma de Ensino Eleva no setor educacional! Continue acompanhando as novidades do blog 🙂 Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This