Saiba quais são as tendências para a educação pós pandemia

educação pós pandemia
8 minutos para ler

De uma hora para outra, as escolas tiveram que fechar as portas devido à chegada da covid-19 no Brasil. Esse cenário impactou a comunidade escolar, obrigando educadores e alunos a se adaptarem a uma nova realidade, o que inclui lecionar e assistir a aulas online. O fato é que essas mudanças não são apenas para agora, pois a educação pós pandemia nunca mais será a mesma.

A volta às aulas presenciais ainda não tem data definida. Porém, sabe-se que esse momento será delicado, exigindo desde a manutenção de hábitos de prevenção adquiridos durante o isolamento social até o rodízio de turmas para evitar aglomerações.

Nesse sentido, é importante estar atento às tendências que vieram para ficar, o que permite que as escolas se preparem para oferecer aulas de um modo seguro e eficiente para os seus estudantes. Quer saber mais? Acompanhe, neste post, as principais tendências para o mundo da educação depois do coronavírus!

Ensino híbrido

O ensino híbrido é definido como uma modalidade de aprendizagem que mescla o ensino presencial com o virtual, ou seja, conta com aulas fora e dentro da escola. Nela, os alunos acessam um aprendizado que é considerado mais interessante, personalizado e eficiente.

A partir dessa metodologia, há situações em que o estudante tem mais autonomia e determina a sua velocidade de aprendizagem, já que pode utilizar as ferramentas virtuais para revisar conteúdos ou dar continuidade ao que aprendeu na aula presencial, mas sem deixar de contar com o suporte online do professor. E outros momentos em que a educação se dá de maneira presencial, o que contribui para valorizar a interação entre a turma e o educador, em que o processo de ensino é mais abrangente e menos personalizado.

Um dos diferenciais dessa tendência é ser centrada no aluno, funcionando como uma espécie de motor que fortalece a inovação, bem como a aquisição do conhecimento no ambiente escolar e doméstico.

Na atualidade, em que foi necessário adotar o uso de aulas virtuais, muitas escolas encontram uma maneira viabilizar a continuação do processo de aprendizagem.

Desse modo, entende-se que as soluções tecnológicas utilizadas com uma finalidade pedagógica aumentam a capacidade de adaptação e ajudam os professores a falarem a mesma linguagem dos jovens.

Sendo assim, na educação pós pandemia, a tendência é que as aulas tradicionais e expositivas diminuam, dando espaço para aquelas que coloquem o aluno como personagem principal, tornando-o mais ativo na busca pelo conhecimento.

Isso poderá ser proporcionado por recursos tecnológicos, que darão continuidade aos conteúdos trabalhados em sala de aula, permitindo que os estudantes se apoderem dos temas em casa.

Além disso, vale ressaltar que o ensino híbrido é mais personalizado e dinâmico porque possibilita que as famílias e o corpo docente acompanhem o engajamento e a evolução dos estudantes, e ambos podem interferir quando for necessário.

Ensino não presencial

As aulas não presenciais são uma opção utilizada por muitas universidades antes da pandemia, mas é uma completa novidade para as escolas brasileiras. Apesar de ser uma situação atípica, também traz à tona a inovação no formato das aulas.

É importante destacar que isso não significa que as aulas presenciais serão totalmente substituídas pelas virtuais. No entanto, é um caminho que se abre para que as escolas e as famílias entendam que o aprendizado também pode acontecer fora da sala de aula.

Assim, futuramente, pode ser comum encontrar escolas investindo em jornadas de aprendizagem que se integram à rotina dos estudantes. Da mesma maneira que o ensino híbrido, essa prática também será fundamental para para a retomada das aulas pós pandemia, já que as medidas de distanciamento implicam no revezamento de alunos em sala de aula.

Saiba quais são as tendências para a educação pós pandemiaPowered by Rock Convert

Uso de recursos tecnológicos

Sem o uso da tecnologia, o impacto da pandemia na vida estudantil teria sido muito maior. Graças a aplicativos para postagem de conteúdos e plataformas de reunião online, os alunos puderem continuar tendo aula sem sair de casa.

Com base nisso, a adoção de novas tecnologias e ferramentas virtuais para dar aulas expositivas é uma das tendências mais fortes para o futuro da educação. Uma das alternativas mais utilizadas na Nigéria e no Brasil é o Google Classroom — sistema de gerenciamento de conteúdo para escolas.

Contudo, o uso da tecnologia para lecionar também criou um desafio para as escolas: preparar os professores para utilizar corretamente as ferramentas virtuais. Afinal, nem todos nasceram na era tecnológica, podendo ter problemas para interagir com os recursos, o que compromete a qualidade das aulas.

Outra questão é que as próprias famílias podem ter dificuldades para a utilização da tecnologia nos estudos. Portanto, é dever das escolas não só investir em novas plataformas que facilitem o estudo remoto, mas também dar todo o suporte necessário para que professores, alunos e pais se beneficiem com as mesmas.

Valorização da cidadania

A cidadania sempre foi um conceito trabalhado na maioria das escolas. No entanto, os estudantes nunca tiveram oportunidade de entender a real importância de boas práticas na sociedade como agora.

Em tempos de pandemia, a cidadania precisa estar em foco, visto que vivemos de forma interconectada e não há mais ações e questões isoladas. Isso pode ser representado pelo uso de máscara, que faz com que o indivíduo se previna e também proteja quem está ao seu redor, bem como o respeito pelas medidas de restrição impostas pelos governadores de cada estado.

Nas escolas, será cada vez mais comum trabalhar situações que envolvam e incentivam boas práticas de cidadania. Com o entendimento da inter-relação entre as pessoas, é possível pensar o impacto das nossas ações em todos os níveis e contextos.

Sem dúvida, isso poderá melhorar a atitude de todos os membros da comunidade escolar, fazendo da escola um espaço mais consciente e agradável.

Aumento da solidariedade

Durante a pandemia, muitas pessoas perderam os seus entes queridos e outras tantas perderam os seus empregos, tendo suas finanças abaladas. Isso pode ter causado traumas, preocupações, inseguranças e angústias para muitas famílias.

Diante disso, um importante valor social que vem sendo resgatado é a solidariedade. Tanto empresas quanto a população em geral não estão medindo esforços para ajudar a quem realmente precisa. Um exemplo simples é das pessoas mais jovens que deixam recados nos elevadores se oferecendo para sair para fazer compras para as pessoas que são do grupo de risco do coronavírus.

O Eleva também criou o ”Resolve Sim” , uma iniciativa que promove a continuação dos estudos para alunos da rede público de ensino que tiveram as aulas interrompidas por causa da pandemia.

Bons exemplos de solidariedade podem e devem ser trazidos para dentro das escolas. A prática da empatia tende a ser maior entre funcionários, alunos e famílias, visto que a pandemia deixa a lição de que todos nós podemos vivenciar momentos difíceis e, com a ajuda do outro, podemos passar por eles de maneira menos traumática.

Estímulo à colaboração

Como se sabe, ainda não existe remédio nem vacina para combater o coronavírus. A forma mais eficaz de combatê-lo tem sido por meio da colaboração da sociedade, que consiste em usar máscaras, evitar aglomerações, entre outras atitudes que beneficiam o coletivo.

Sabendo que deveremos aprender a viver no que será considerado o novo normal, o que inclui manter hábitos de prevenção até que se descubra a vacina para a covid-19, a colaboração é um dos valores essenciais para sociedade e que também irá se expandir na educação.

Todos os indivíduos têm um papel na vida coletiva e a junção das forças e inteligências é indispensável para criar boas soluções. No que se refere à escola, essa mentalidade incentiva a união para a construção de um ambiente com maior participação de estudantes, funcionários e pais.

Fica evidente que a educação pós pandemia terá grandes alterações nos seus pontos estruturais e socioemocionais. Ao entender as novas tendências, você saberá como aplicá-las conforme as peculiaridades da sua escola, proporcionando aos alunos um ambiente escolar adequado aos novos tempos.

Precisa adaptar a sua escola ao novo cenário de educação? Entre em contato com a Plataforma Eleva e descubra como podemos ajudar você!

Saiba quais são as tendências para a educação pós pandemiaPowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

dezessete − 15 =

[eBook Gratuito]
[eBook Gratuito]