Empatia na educação: saiba por que ela é ainda mais importante no ensino a distância

Empatia na educação
6 minutos para ler

A pandemia de COVID-19 causou impactos nas escolas do mundo inteiro. Conforme dados disponibilizados pela Unesco, o número de estudantes afetados ultrapassou 1,5 bilhão com o fechamento das escolas. Nesse cenário conturbado e cheio de incertezas, a empatia na educação torna-se ainda mais importante.

Professores, pais e alunos precisam adaptar-se a uma nova rotina repentinamente. Assim, além das preocupações habituais, também precisam aprender a usar novas ferramentas de ensino, lidar com a ansiedade e o estresse trazidos pela crise, acostumar-se a uma nova dinâmica familiar.

Todos estamos passando por dificuldades, por isso, a empatia na educação é essencial. Ela é capaz de transformar relacionamentos e faz toda a diferença no ensino a distância. A seguir, entenda melhor a importância da empatia na educação, como ela beneficia o processo de aprendizagem e de que modo pode ser incentivada pelos professores.

Qual é a importância da empatia na educação?

Se buscarmos esse termo em dicionários, veremos que ele significa colocar-se no lugar de outra pessoa e entender o que ela pensa e sente. Isso implica a capacidade de ouvir o outro sem julgamentos, ver pela sua perspectiva e oferecer apoio reconhecendo seus problemas.

Desse modo, no contexto educacional, essa habilidade socioemocional ajuda os professores a entenderem melhor seus alunos e oferecerem apoio considerando as perspectivas deles. Em outras palavras, eles conseguem identificar as dificuldades dos estudantes e se colocarem ao lado deles.

Ao promover essa aproximação, os docentes mostram-se mais acessíveis e fazem os estudantes se sentirem à vontade para procurá-los e esclarecer suas dúvidas, por exemplo. Além disso, os alunos também aprendem a ser empáticos uns com os outros e aplicar essa habilidade em outros âmbitos de suas vidas.

Consequentemente, os relacionamentos entre os membros da comunidade escolar melhoram e o processo de aprendizagem torna-se mais proveitoso e tranquilo, uma vez que o diálogo tende a melhorar diante de problemas e conflitos.

Quais benefícios a empatia traz para a educação a distância?

Na educação a distância, a empatia também traz impactos positivos. Veja alguns deles.

Os professores são mais compreensivos

Com a aproximação entre professores e alunos, proporcionada pela melhora do diálogo, os educadores conseguem identificar as dificuldades de cada estudante e encontrar maneiras eficazes de ajudá-los.

Isso é possível porque os professores conhecem seus alunos e têm uma ideia de como é o seu dia a dia. Então, eles conseguem perceber possíveis problemas quando a participação ou o desempenho de seus alunos é insatisfatório, por exemplo. A partir disso, encontram maneiras de orientá-los e guiá-los de acordo com suas necessidades específicas.

A qualidade das interações entre os alunos aumenta

A empatia acarreta respeito ao outro, o que aumenta a qualidade das interações em ambientes virtuais de aprendizagem, fazendo com que os alunos se sintam confortáveis para compartilhar suas ideias neles.

Assim, os estudantes aprendem uns com os outros e criam laços mais fortes entre si. Durante o período de isolamento social, sentir essa conexão pode ajudar a manter a saúde mental das crianças e adolescentes.

O aprendizado e o aproveitamento dos alunos são otimizados

A empatia pode melhorar a qualidade do ensino a distância, otimizando o aprendizado e o aproveitamento dos estudantes. Isso acontece porque os professores sabem lidar melhor com as dificuldades dos alunos, já que conseguem entendê-las a partir de suas perspectivas.

Além disso, percebendo essa postura dos professores, os alunos tendem a participar mais, seja compartilhando suas dúvidas, seja expressando suas opiniões e ajudando os colegas. Essa postura ativa no processo de aprendizagem faz com que os estudantes aprendam melhor e permite que eles desenvolvam outras habilidades socioemocionais, como a autonomia.

Empatia na educação: saiba por que ela é ainda mais importante no ensino a distância

Como a empatia pode ser trabalhada pelos professores?

Os professores podem trabalhar a empatia na educação de diversas maneiras. Descubra abaixo algumas sugestões.

Estreitando laços de relacionamento

Como já explicamos, adotar uma postura empática aproxima os membros da comunidade escolar. Afinal, quando nos sentimos acolhidos e compreendidos, temos mais facilidade para nos abrir e nos aproximar de outras pessoas.

Para estreitar laços de relacionamento apesar da distância, os educadores precisam ter atitudes exemplares, mostrando como agir com empatia. Observando as atitudes deles, os estudantes aprendem a aplicá-la em todos os seus relacionamentos, tornando-os mais profundos e significativos.

Entendendo a nova rotina dos alunos

Para garantir que a empatia esteja presente na educação a distância, é importante que os professores considerem a nova rotina dos alunos. É verdade que eles passarão mais tempo em casa, mas isso não significa que a carga de estudos deve aumentar.

O ideal é adaptar o plano de aula de acordo com as particularidades dos recursos de ensino a distância, mantendo a normalidade à medida do possível para que as crianças e adolescentes não se sintam ainda mais sobrecarregados com as mudanças repentinas.

Em outras palavras, encontre as melhores maneiras de ensinar seus conteúdos lembrando-se de que os estudantes, assim como você, ainda estão se adaptando a uma nova rotina e precisam aprender a conciliar suas tarefas escolares com outras obrigações em casa.

Buscando alternativas para facilitar a adaptação às mudanças

Algumas pessoas têm muita facilidade para se adaptar a mudanças, mas outras não lidam muito bem com elas. No caso das crianças, é ainda mais natural ter dificuldade com isso, pois elas estão em fase de formação.

Diante da pandemia de COVID-19, as crianças talvez não entendam muito bem o que está acontecendo, assim, tendem a ser mais resistentes às mudanças em suas rotinas. Os professores, que passam uma parte considerável de tempo com elas durante a semana, podem ajudá-las bastante a passar por essa fase de maneira mais tranquila.

Uma maneira de fazer isso é organizar um cronograma baseado no que era usado nas aulas presenciais. Manter as aulas nos mesmos horários e marcar as datas de entrega de atividades e realização de avaliações on-line, por exemplo, dá aos alunos a sensação de normalidade. É como se, apesar da distância, essas coisas continuassem da mesma maneira em um ambiente diferente.

Além de melhorar o aprendizado e o aproveitamento dos estudantes, promover a empatia na educação contribui para a redução da taxa de evasão durante o período de isolamento social. Por isso, ela precisa estar presente especialmente nesse momento delicado.

Aproveite a visita ao nosso blog para entender como aproximar a comunidade escolar e as famílias mesmo quando as aulas ocorrem virtualmente.

Empatia na educação: saiba por que ela é ainda mais importante no ensino a distância