Geração alpha: como educar alunos totalmente imersos no mundo tecnológico

geração alpha
6 minutos para ler

Nos últimos anos, grande parte das instituições escolares tem se atentado para a realidade e o contexto no qual a geração alpha nasceu e se desenvolveu. Isso porque os mais novos estudantes são totalmente imersos no universo tecnológico e apresentam grande familiaridade com a era digital.

Sendo assim, é imprescindível que os diretores busquem avaliar e implementar metodologias inovadoras, modernas, personalizadas e, principalmente, interativas na escola. Os recursos digitais, além de despertarem o interesse dos alunos, também permitem maior aproximação com os estudos e com a transmissão dos diferentes conhecimentos.

Ficou interessado no assunto? Então, acompanhe a seguir e descubra qual o perfil da geração alpha e como as instituições de ensino devem se adaptar para educá-la!

Afinal, o que é a geração alpha?

A geração alpha é caracterizada pelos mais novos estudantes que nasceram a partir de 2010, sendo considerados indivíduos totalmente imersos no mundo tecnológico. Os alphas geralmente funcionam por meio de estímulos sensoriais, ou seja, os alunos aprendem as disciplinas e os conteúdos mais facilmente com animações, jogos, aplicativos, entre outros recursos digitais.

De forma geral, a geração alpha teve acesso a diferentes fontes e canais de informação desde a infância, por isso é natural que tanto as meninas quanto os meninos sejam mais flexíveis, questionadores, adaptáveis e independentes.

Em relação às gerações mais recentes, como a Z, Y e os millennials, os alphas são considerados 100% nativos digitais, tendo maior potencial de estímulo para desenvolver a capacidade intelectual. Com isso, as práticas pedagógicas devem ser personalizadas e os educadores devem propor atividades de acordo com o nível de conhecimento do perfil da geração.

É fundamental, portanto, que as escolas se organizem e consigam ofertar uma metodologia inovadora e focada em atender às atuais demandas da realidade do processo de aprendizagem virtualizado. Isso permitirá que os alunos alcancem um melhor desempenho nas interações e trocas de conhecimento, colaborando para que o ensino seja aperfeiçoado e valorizado.

Geração alpha: como educar alunos totalmente imersos no mundo tecnológico

Como educar e se adaptar à nova geração?

O primeiro passo para conseguir educar e se adaptar à realidade da nova geração é buscar por ferramentas, plataformas e sistemas, como aplicativos, jogos interativos, livros digitais, entre outros, que sejam atrativos e que, ao mesmo tempo, consigam atender às diretrizes do currículo escolar. Atualmente, existe uma série de formas de implementar a tecnologia no processo educativo, independentemente se ele ocorre em casa ou na escola.

Para avaliar a viabilidade e a adaptabilidade dos alunos, a coordenação pode iniciar elencando algumas tecnologias em aulas específicas e fazer um levantamento da interatividade, dos conteúdos criados e dos resultados apresentados na plataforma. Mesmo que a tarefa tenha certos desafios, certamente ela é um passo fundamental para as instituições de ensino que desejam se manter competitivas.

A seguir, descubra quais são as estratégias que a direção escolar pode tomar para se adaptar às particularidades de aprendizado da geração alpha.

Investir em tecnologia e inovação

A tecnologia na educação é uma grande aliada para estimular os estudantes, tanto dentro quanto fora de sala de aula. Por despertar maior interesse nos conteúdos e nas matérias, os recursos digitais também auxiliam a captar a atenção e a participação dos alunos nas atividades propostas pelos professores.

Sendo assim, optar por ferramentas interativas contribui para o engajamento e para a construção de um conhecimento mais significativo e inovador. No entanto, recursos como a realidade aumentada, os jogos virtuais, vídeos e animações devem ser inseridos no currículo educativo sempre considerando o nível de aprendizagem e de adaptação da turma.

Implementar formas de personalização do ensino

Outra maneira de atender adequadamente à geração alpha é implementando formas eficientes de ensino personalizado. Por meio de um acompanhamento pedagógico, a instituição de ensino pode analisar os desafios, as demandas e as dificuldades, e elaborar estratégias para conseguir aperfeiçoar o desempenho dos estudantes a fim de que apresentem melhores resultados.

A personalização também permite que os conteúdos sejam adaptados e direcionados de maneira específica para cada aluno, o que aumenta as chances de atingir sucesso nos estudos. Portanto, entender a individualidade e tentar oferecer um processo de aprendizagem adequado às potencialidades e necessidades de cada pessoa é imprescindível para que a escola atinja seus maiores objetivos.

Capacitar o corpo docente

Outro etapa é investir em treinamento e capacitação para o grupo de professores que fazem parte do corpo docente da instituição escolar. Até mesmo porque, por fazerem parte de uma geração em que a realidade digital chegou de forma mais tardia, os recém-formados educadores ainda podem apresentar dúvidas, dificuldades e desafios para utilizar as funcionalidades das diferentes ferramentas e plataformas.

Nesse sentido, a direção deve se esforçar para capacitar os docentes para que apresentem melhores resultados na atuação em sala de aula. Cursos, eventos e palestras, por exemplo, podem ser oferecidos aos professores, permitindo que aperfeiçoem cada vez mais suas práticas pedagógicas.

Construir um currículo escolar adaptativo

O currículo escolar funciona como um norte para a atuação docente e para a aprendizagem dos alunos. Mesmo assim, diante da geração alpha, é fundamental que o currículo seja adaptado e flexível para atender às demandas e peculiaridades de cada turma. O ideal é que ele se torne apropriado, dinâmico, alterável e passível de ampliação e adequação ao longo de todo o ano letivo.

A coordenação, portanto, deve atuar sempre no sentido de favorecer o acesso ao conhecimento, independentemente do contexto e da realidade no qual os estudantes estão inseridos. Dessa forma, será mais simples exercer a inclusão social no ambiente e superar os mais variados desafios, desenvolvendo um processo educativo mais inclusivo e atento às dificuldades de cada indivíduo.

Não é nenhum segredo que as instituições de ensino devem buscar se adequar o quanto antes para atender às novas demandas e necessidades dos alunos da geração alpha. Até mesmo porque, aproveitando bem essa fase da formação acadêmica, os estudantes terão mais chances de atingir um aprendizado significativo e que seja, de fato, relevante para a sua trajetória educativa e profissional.

Gostou do conteúdo? Que tal conhecer mais sobre as soluções oferecidas pela Plataforma Eleva? Temos uma plataforma ideal para as escolas que desejam se adequar à nova era digital. Entre em contato agora mesmo com a nossa equipe para saber mais!

Geração alpha: como educar alunos totalmente imersos no mundo tecnológico