Como melhorar a gestão escolar após a crise com o apoio das famílias?

Gestão Escolar
17 minutos para ler

Uma coisa é fato: a Covid-19 transformou completamente o modelo estratégico e o andamento da gestão escolar. Diante da pandemia implementada em todo o mundo, as instituições de ensino foram obrigadas a paralisarem suas atividades presenciais por tempo indeterminado, ou pelo menos até os índices de disseminação do vírus apresentarem curvas de redução.

Por conta da situação, as escolas devem buscar se adaptar às mudanças o quanto antes, como forma de manter o seu funcionamento e continuar prestando um bom atendimento a pais e alunos. Felizmente, ainda é possível tomar medidas efetivas para evitar que prejuízos impactem negativamente a imagem do colégio.

Pensando nisso, preparamos um guia completo sobre como melhorar a gestão escolar após a crise do coronavírus, principalmente por meio do apoio familiar. Também falaremos sobre as soluções que a Eleva oferece para ajudar nesse momento tão delicado. Acompanhe a seguir e fique por dentro do assunto!

Desafios da gestão escolar na crise

Em março de 2020, o anúncio de que o mundo vivia uma pandemia devido à rapidez com que o coronavírus se espalhava pelos diferentes países e continentes trouxe uma série de impactos, sobretudo para o setor educacional. O Brasil não demorou e, em poucos dias, obrigou as instituições de ensino a paralisarem totalmente as atividades presenciais, a fim de evitar o aumento das infecções.

A situação tornou-se um dos maiores desafios que a gestão das escolas passa. Por ainda estarmos conhecendo o comportamento do vírus e da doença, é difícil prever as consequências reais e o que ainda será desencadeado com o fechamento das escolas. Mesmo assim, é muito importante que diretores e coordenadores sigam as recomendações oficiais de saúde e continuem contribuindo para o isolamento social.

Para atravessar o problema da melhor forma, a tecnologia na educação vem sendo cada vez mais considerada e utilizada em diferentes partes do país. O que muitas pessoas não sabem é que o ambiente virtual representa, atualmente, um dos espaços mais motivadores e democráticos para a escolarização, sendo bastante eficiente para que diretores e coordenadores consigam viabilizar as metas e os objetivos do planejamento proposto para o ano letivo.

A seguir, saiba quais são os principais desafios que a gestão escolar enfrenta quando está passando por um momento de crise.

Rápida adequação ao ensino não presencial

É um fato que a educação não presencial ainda é uma novidade para muitos estudantes. No entanto, as atuais e novas gerações, por já terem nascido em um mundo cercado de inovações tecnológicas, têm muito mais chances de se adaptar e apresentar resultados efetivos no processo de aprendizagem quando estão tendo aulas na modalidade EAD.

Isso pode não ser tão positivo para diretores, coordenadores e professores, que, por viverem uma realidade distinta dos mais jovens, podem apresentar dificuldades de manipular as ferramentas para o ensino a distância. A escola, nesse sentido, deve se esforçar para viabilizar treinamentos e capacitações ao corpo docente e a todos os envolvidos diretamente com a comunidade escolar.

Comunicação efetiva com as famílias dos estudantes

Cultivar um bom relacionamento com a família dos estudantes é um dos aspectos mais essenciais para a reputação de um colégio. Isso porque ter uma comunicação efetiva com os pais gera maior confiança e demonstra uma preocupação real com o bem-estar e com a qualidade do ensino. Isso tudo é muito importante para se criar credibilidade e ter maior possibilidade de se alcançar uma gestão escolar democrática.

Mesmo assim, fortalecer os laços e manter os pais atualizados da situação dos alunos e do planejamento pedagógico ainda é um desafio para muitas escolas, sobretudo no período de pandemia. O mais indicado, no entanto, é que diretor e coordenadores demonstrem interesse nas necessidades das famílias nesse momento, tendo mais chances de conter a retenção dos alunos e, até mesmo, captar novos discentes no próximo ano letivo.

Prevenção contra inadimplências

Outro ponto de suma importância para a sobrevivência das instituições escolares é priorizar ações para prevenirem-se contra inadimplências. Diante de um período tão complicado e com tantas incertezas, é natural que algumas famílias atrasem as mensalidades ou acabem deixando de realizar os pagamentos mensais, principalmente por não entenderem como será o funcionamento daqui para a frente.

Dessa maneira, os colégios devem buscar facilitar ao máximo os pagamentos, oferecendo meios alternativos para que os boletos sejam quitados online. Outra opção viável para impedir as inadimplências é oferecer descontos para quem antecipa os valores à instituição de ensino. O método também é ótimo para minimizar os impactos da paralisação, principalmente em relação ao aspecto financeiro.

Utilização adequada das ferramentas tecnológicas

A falta de qualificação para o uso adequado das ferramentas tecnológicas é outro desafio que muitos diretores, coordenadores e professores devem lidar no cotidiano educativo. Devido às inúmeras funcionalidades que os meios digitais oferecem para o processo de ensino-aprendizagem, é muito importante estar atualizado das tendências e inovações das tecnologias voltadas para o ensino.

Mesmo assim, ainda existem diversas pessoas que têm dificuldades reais de manter as atividades administrativas e pedagógicas em pleno funcionamento ao fazer uso de tais ferramentas. A gestão escolar, nesse sentido, deve oferecer capacitações e incentivar a comunidade da importância da tecnologia para alcançar maior eficiência no repasse das informações escolares.

Impactos da crise do coronavírus na educação

A paralisação das atividades devido ao novo coronavírus está exigindo que as escolas inovem e proporcionem meios viáveis para que os conteúdos continuem sendo transmitidos aos alunos, de forma que o ano letivo não seja prejudicado. Os esforços também funcionam para que os processos internos não sofram impactos, sobretudo em relação ao bom andamento da gestão.

Mesmo assim, é importante destacar que o ensino não presencial não é algo tão novo assim. A EAD já é uma realidade em muitas instituições de ensino, o que representa uma garantia a mais de que os cursos e aulas, independentemente do objetivo, ocorram de forma eficiente e, até mesmo, com qualidade superior à modalidade presencial.

Isso faz com que o colégio tenha que refletir sobre como a estrutura do processo de escolarização acontece na prática diária e como é possível melhorá-lo para atender às necessidades de aprendizagem dos alunos. A maior urgência é que as escolas consigam se adaptar ao modelo rapidamente, garantindo que o repasse do conhecimento ocorra, mesmo diante de um cenário de tantas incertezas quanto ao futuro.

Tudo isso pode ser uma maneira de acelerar algumas mudanças importantes na cultura e nas propostas da gestão escolar. Ou seja, o momento é bastante propício para ter maior abertura e flexibilidade em relação às novas formas de aprender e ensinar, de maneira que sejam alternativas viáveis em curto, médio e longo prazo.

Os momentos de crise, como visto, exigem um bom planejamento dos diretores, principalmente para que eles possam passar pela situação sem sofrer grandes impactos ou prejuízos.

Importância de se preparar para as mudanças

No período da crise do coronavírus, não é apenas o distanciamento social que tem afetado a sociedade. A questão financeira, por exemplo, também tem sido repensada, sobretudo pelos proprietários e diretores de instituições de ensino. Isso porque o momento pede tranquilidade e, mais do que nunca, preparo para atravessar a situação da melhor forma.

A gestão escolar, com isso, deve estar aberta para conhecer as possibilidades que as ferramentas tecnológicas oferecem para o cotidiano educativo. Diversos softwares, plataformas, aplicativos e programas, por exemplo, já permitem que os processos financeiros sejam otimizados e executados com mais agilidade e segurança.

Além disso, quando o colégio conta com uma solução de pagamentos e cobranças simples e fácil de utilizar, é possível evitar inadimplências ou atrasos recorrentes nas mensalidades. Tudo isso, aliado a um bom plano de redução de riscos, pode impedir que a instituição escolar feche ou perca alunos.

Mas nada disso terá resultado se a gestão escolar não se mantiver aberta e flexível às mudanças. O importante é que o diretor e os coordenadores façam uma análise dos gastos atuais e pensem em tudo o que pode ser cortado ou renegociado. Com uma significativa redução dos custos para o funcionamento da escola, portanto, as chances de sobrevivência são muito maiores.

Principais mudanças na gestão escolar

É fato que toda crise traz oportunidades e mudanças. O novo coronavírus, por exemplo, tem feito com que a sociedade questione e repense diversos hábitos, e não poderia ser diferente na educação. A partir de agora, as escolas terão que realizar modificações no planejamento pedagógico para se manterem ativas.

Isso exigirá bastante abertura e flexibilidade da gestão escolar para implementar novas metodologias de aprendizagem. Até porque a utilização da tecnologia já é uma prática difundida há algum tempo nos diferentes ambientes de ensino, mesmo que muitos diretores e coordenadores ainda apresentem resistência em relação às ferramentas.

No entanto, é preciso considerar as vantagens que o uso de plataformas, aplicativos e sistemas digitais oferecem para as práticas pedagógicas e para os estudantes. Isso porque a tecnologia permite que as aulas sejam cada vez mais personalizadas e adequadas às dificuldades da turma, incentivando o protagonismo e, também, a interação entre os alunos.

Em situações de crise, é muito comum que as pessoas evitem ao máximo a mudança na rotina. Mesmo assim, a transformação digital na escola é uma realidade sem volta e cabe aos diretores terem equilíbrio para conseguir direcionar soluções sem perder o foco, mesmo diante de imprevistos.

Como melhorar a gestão escolar após a crise com o apoio das famílias?

Sugestões para a sua escolar se preparar

Diante das incertezas do atual momento, tomar decisões que sejam favoráveis para a continuação das atividades pós-pandemia deve ser a primeira estratégia a ser traçada. Com isso, o gestor escolar deve reconhecer as condições e dificuldades da comunidade escolar e proporcionar situações em que todos estejam seguros para enfrentar a crise da melhor forma.

Também é de extrema relevância que o diretor tenha reuniões constantes com professores, coordenadores e demais colaboradores da escola, criando um canal de diálogo, acolhimento e escuta para a troca de experiência. Muitos especialistas têm recomendado o estímulo a esse tipo de troca, principalmente para manter o equilíbrio emocional dos educadores no contexto da Covid-19.

Da mesma forma, a gestão financeira deve ser priorizada e muito bem planejada, permitindo que a instituição de ensino corte e reduza custos, evite a inadimplência e garanta todos os pagamentos. Assim, será possível detalhar as finanças do colégio com precisão e sistematização, e usar as informações para elaborar um planejamento pós-crise baseado na realidade atual.

A gestão escolar ainda deve ter bem claro que alguns temas, como o da utilização da tecnologia e a inclusão social, serão preponderantes daqui para a frente. As soluções oferecidas pelas ferramentas digitais contribuem significativamente para a continuidade do processo de aprendizagem. No entanto, ainda existem muitos desafios para as instituições de ensino oferecerem educação remota.

Por isso, é muito importante que a direção estabeleça uma estratégia de comunicação voltada para o fortalecimento do vínculo com os estudantes e com os pais. Isso permitirá maior engajamento e motivação da comunidade com as atividades propostas por meio da tecnologia e, consequentemente, maior aproximação entre os envolvidos.

Relacionamento com a família dos alunos

Outro aspecto de extrema importância que a gestão escolar deve zelar no período de crise é no relacionamento com as famílias. Até porque a educação é construída justamente com base no conjunto dessa relação, permitindo que a criança ou o jovem adquira conhecimento vivenciando experiências com ambos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem.

Cabe à gestão escolar promover essa interação, tendo uma comunicação efetiva com os responsáveis para que todas as informações relativas à proposta pedagógica, o conteúdo programático, o calendário e as atividades extracurriculares sejam divulgadas.

A transparência, nesse sentido, é uma estratégia fundamental, pois além de gerar confiança, também leva maior segurança para a família. Portanto, envolver os pais nos processos da instituição de ensino e contar com uma parceria cada vez mais forte é imprescindível para atingir os objetivos e as metas de aprendizagem definidas para o ano letivo.

A seguir, veja algumas dicas para que a escola estreite os laços com as famílias dos alunos e promova maior confiança e credibilidade.

Esclareça o plano de ensino

É muito importante detalhar todas as atividades que serão desenvolvidas ao longo do ano, explicando a importância de cada ação para o cumprimento do plano de ensino. A gestão escolar pode organizar um evento no início do período letivo para apresentar o programa e as propostas, tendo mais chances de receber contribuições e sugestões de cada família para a melhoria dos métodos escolhidos para a transmissão do conhecimento.

Cumpra as ações propostas

Tendo elaborado o plano para o ano letivo, é preciso também traçar metas para o cumprimento de cada ação proposta, de preferência dentro do prazo estabelecido. Isso fortalecerá a relação de confiança com os pais e os alunos, e permitirá que a escola tenha mais oportunidades de atingir sucesso, reconhecimento e qualidade. Para isso, a equipe escolar deve ser sempre motivada e comprometida, independentemente do setor de atuação dentro da instituição de ensino.

Disponibilize atendimento

Diretores e coordenadores devem reservar alguns dias na agenda para atender a cada família, disponibilizando atendimento às dúvidas, reclamações e sugestões dos responsáveis e dos estudantes. É possível ainda disponibilizar um canal de atendimento que possa ser acessado a qualquer momento pelos pais, sempre que quiserem expor suas necessidades em relação à prática pedagógica ou ao uso das ferramentas tecnológicas, por exemplo.

Apresente os resultados

A gestão escolar também deve disponibilizar os resultados e mantê-los sempre acessíveis para que a família entenda como o projeto de ensino está sendo executado. Isso pode ser feito por meio de redes sociais, e-mails, mensagens de texto, newsletters, entre outros meios digitais, permitindo que os comunicados cheguem a toda a comunidade educativa.

Seja transparente

Tenha em mente que informação gera confiança, por isso, mantenha sempre a transparência em relação aos processos da escola. Existem sistemas e aplicativos voltados para a interação com os pais, o que otimiza tanto os procedimentos de atendimento e comunicação quanto o relacionamento entre a família e o ambiente de ensino.

Auxílio da plataforma Eleva

Nesse momento, diversas escolas estão elaborando estratégias para passar pela crise e dar continuidade às suas atividades. A plataforma Eleva, nesse sentido, tem contribuído para levar soluções eficientes para o enfrentamento da paralisação das aulas em todo o Brasil. Mais do que nunca, a ferramenta pode e deve ser utilizada para acompanhar o desenvolvimento dos alunos.

Assim, para cumprir com os seus objetivos, a Eleva busca promover a adaptação dos educadores, garantindo que o processo de ensino-aprendizagem ocorra, mesmo diante do isolamento social. Por exemplo, são ofertados planos de aula completos para aliviar a carga de trabalho dos docentes, além de lives e webinars sobre assuntos relacionados ao tema da educação a distância.

Outra solução disponibilizada pela Eleva é a plataforma adaptativa, que funciona como uma facilitadora do ensino e avaliação do desempenho educativo. Com isso, os professores contam com listas de exercícios específicas para a turma, com base nos níveis de aprendizagem e dificuldade levantados. Ainda é possível ter relatórios individualizados de cada estudante que mostra a frequência nas atividades e os resultados obtidos nas avaliações.

Como a situação da pandemia pode se tornar ainda mais agravante, é imprescindível que as escolas se esforcem para promover inovações no ensino e maior inclusão social. A Eleva pode ser um recurso extremamente valioso para a gestão escolar, dando um auxílio a mais na adaptação ao ensino não presencial. O maior objetivo é reduzir os impactos da pandemia e manter a qualidade na educação para todos os membros da comunidade.

Como a Eleva está lidando com a crise da Covid-19

Desde a primeira semana da implementação do isolamento social, a plataforma da Eleva tem se esforçado para se adaptar e oferecer todo o apoio necessário a diretores, coordenadores, corpo docente e discentes. Em março de 2020, a Eleva se dedicou a entender o que estava acontecendo e quais seriam as demandas imediatas das escolas que são suas parceiras.

Com isso, a organização preparou e promoveu ações de forma ágil para dar suporte aos educadores e alunos, mesmo diante de um tempo de incertezas. Já na segunda semana de isolamento, a plataforma iniciou a oferta de planos de aula completos, voltados para todas as séries e disciplinas.

Assim, todo o atendimento da Central de Relacionamento e da assessoria pedagógica mudou para o modelo online, uma vez que a Eleva passou a disponibilizar lives e webinars com o tema do ensino a distância no contexto da Covid-19.

Outra grande novidade foi a criação da plataforma Resolve Sim, fruto de uma parceria com a Estácio. O objetivo é ajudar gratuitamente os estudantes a se prepararem para o exame do Enem. No canal, há mais de 200 vídeos gravados por professores da Eleva, além de 85 podcasts e 1800 questões de simulado.

Com essa iniciativa, a Eleva reforça o seu compromisso com uma educação de qualidade, que atende verdadeiramente às necessidades estudantis. Buscamos, com isso, entender tanto as demandas quando levar o que existe de mais moderno na aprendizagem para todos os envolvidos no processo educativo.

É preciso pontuar também o perfil do gestor escolar e suas responsabilidades diante do momento de crise. É imprescindível que o profissional mantenha um alinhamento com toda a equipe e reafirme os objetivos, os valores e a missão da instituição de ensino sempre que possível. Com o uso da plataforma Eleva e de um bom trabalho de gestão, a escola terá mais chances de elaborar um planejamento eficaz para dar andamento às suas atividades.

É muito importante ter em mente que não existe um manual de instruções pronto sobre como atravessar uma crise da melhor forma. No entanto, o fortalecimento da gestão escolar nesse período é fundamental para a criação de estratégias de sobrevivência. Desse modo, a instituição de ensino deve se esforçar para se adaptar e garantir o atendimento aos pais e alunos, demonstrando que oferecer um processo de ensino de qualidade é a maior prioridade.

Gostou do conteúdo? Quer saber mais sobre como as soluções da Eleva podem ajudar a sua escola a passar por esse momento de crise? Então, entre em contato com a nossa equipe agora mesmo!

Como melhorar a gestão escolar após a crise com o apoio das famílias?
Como melhorar a gestão escolar após a crise com o apoio das famílias?
Como melhorar a gestão escolar após a crise com o apoio das famílias?