7 dicas de como incentivar os alunos à leitura desde o início do retorno às aulas

7 dicas de como incentivar os alunos à leitura desde o início do retorno às aulas
7 minutos para ler

Trabalhar com atividades de leitura em sala de aula é um recurso vital para o pleno desenvolvimento do aluno. Isso porque, quando lemos, adquirimos a habilidade de interpretar textos, enriquecemos o nosso vocabulário, melhoramos as nossas capacidades cognitivas e, assim, conseguimos ter uma visão crítica e de argumentação sobre o mundo.

Porém, com tantas tecnologias que possibilitam uma leitura rápida e rasa, incentivar os alunos à leitura aprofundada de um livro tem sido um desafio cada vez mais evidente para as instituições de ensino.

De acordo com a pesquisa ‘’Retratos da Leitura no Brasil’’, feita pelo Instituto Pró-Livro (IPL) e publicada em 2020, o número de leitores no país caiu de 56% em 2015 para 52% em 2019, além de 30% dos entrevistados nunca ter comprado um livro.

Esse distanciamento com o hábito de ler é extremamente prejudicial para os estudantes, pois afeta a sua evolução e formação não só na escola, mas como cidadão. Para combater o problema, é fundamental utilizar estratégias que incentivem a leitura.

Neste post, vamos abordar as as melhores dicas de atividades de leitura para que os seus alunos leiam mais. Confira!

1. Inclua tempo para a leitura durante as aulas

Aumentar o contato com a leitura é indispensável para estimular o aluno a desenvolver o gosto por livros. Por isso, uma iniciativa simples, mas que abre o caminho para alcançar esse objetivo, é destinar um tempo da sua aula exclusivamente para a leitura.

O ideal é combinar com a equipe pedagógica um horário específico para que isso seja feito, que pode ser diariamente ou em dias determinados da semana.

Os livros a serem lidos podem ser fornecidos pela própria escola ou levados pelos estudantes, devendo estar de acordo com a faixa etária e interesse deles. Também é interessante que, além da biblioteca, a escola ofereça lugares aconchegantes em que o discente possa se sentar confortavelmente, relaxar e mergulhar em uma nova história.

2. Faça a leitura ser algo prazeroso

É necessário ter em mente que a leitura não pode ser impositiva, mas sim, algo prazeroso. A arbitrariedade só serve para afastar o estudante do desejo natural de ler. Afinal, quando somos obrigados a ler sobre um assunto sobre o qual não nos interessamos, a tendência é que o nosso foco seja desviado para outra atividade.

Diante disso, o professor deve ajudar os alunos a explorar novos estilos literários para que descubram aqueles com os quais mais se identificam. Uma ideia interessante é levar os alunos até a biblioteca periodicamente e deixá-los à vontade para escolher livros que sejam do seu interesse.

Quando houver a necessidade de fazer a leitura obrigatória de livros para seguir a ementa, o educador deverá fazer uma abordagem mais lúdica para que a atividade seja atrativa, como debater sobre o conteúdo, falar sobre o contexto do autor ou fazer a teatralização do texto. Desse modo, mesmo que seja uma tarefa imposta, todos poderão se divertir.

3. Ofereça gêneros literários variados

Um dos grandes benefícios da literatura é nos permitir visitar diferentes mundos e conhecer personagens extraordinários. Um dia podemos embarcar em uma história de muita ação em cenários futurísticos, enquanto no outro nos debruçamos para voltar ao passado e experienciar como era a vida há alguns séculos. Incrível, né?

Para encorajar a sua turma a ler mais, nada como oferecer gêneros literários variados, como fábula, conto, novela, drama, policial, romance, ensaio, infantil, história em quadrinhos, crônica, comédia, tragédia, entre outros.

7 dicas de como incentivar os alunos à leitura desde o início do retorno às aulas

Mais uma vez, vale dizer que os gêneros selecionados devem estar alinhados à idade dos estudantes, pois, do contrário, eles terão dificuldade para acompanhar a linha de raciocínio do conteúdo.

Quanto mais diversificadas forem as experiências literárias dos alunos, mais ampla será a sua visão de mundo, além de a leitura de tornar sinônimo de diversão. Conversar previamente com a turma sobre as diferenças entre cada gênero ajuda a entender melhor as obras e a deixar para trás qualquer preconceito literário.

4. Invista em projetos de leitura

Por meio da leitura, podemos nos tornar mais criativos, o que pode e deve ser explorado pelas instituições por meio de projetos inovadores. Após a leitura de um livro, o professor pode, por exemplo, pedir que cada aluno crie a sua própria versão da história que leu e vote na versão que mais gostou.

Essa competição saudável é uma ótima estratégia para que os discentes queiram ler mais, além de permitir que pratiquem a escrita, utilizando o vocabulário e os recursos literários que estão aprendendo. Ou seja, mais do que bons leitores, também serão bons escritores.

5. Use a tecnologia como aliada

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a tecnologia pode ser uma aliada para estimular a leitura. As ferramentas tecnológicas, como tablets e e-readers, podem contribuir positivamente para o processo pedagógico, já que facilitam o acesso aos livros e, inclusive, comportam várias obras simultaneamente.

Nesse contexto, o educador pode compartilhar links de livros de domínio público para que os estudantes baixem e leiam em seus dispositivos. Com isso, podem levar o conteúdo para onde quiserem e até mesmo visitar bibliotecas internacionais sem sair de casa.

6. Tenha o auxílio da família

A participação da família é muito importante para o incentivo à leitura, especialmente em se tratando dos alunos que estão nos anos iniciais da escola. Para tanto, conscientize os pais e responsáveis sobre a relevância desse hábito para o desenvolvimento do discente e convide-os a participar ativamente das iniciativas realizadas pela escola.

Pode-se, por exemplo, passar atividades de leitura para que o estudante leia um livro em parceria com a sua família e produza um texto com base na reflexão que tiveram após a leitura. O apoio dos responsáveis é primordial para que o hábito de ler se estenda para além da sala de aula.

7. Seja um educador-leitor

Se o assunto é leitura, o professor deve ser referência para os seus estudantes. Isso implica em ser um educador-leitor, que demonstre durante as aulas o encantamento pela leitura e, sempre que possível, indique livros que estejam relacionados aos temas trabalhados na disciplina.

A figura do professor é vista como exemplo para os alunos nas mais variadas situações, o que também acontece nesse caso. Falar sobre os seus livros e autores preferidos auxilia as crianças e adolescentes a obter novas referências e a aperfeiçoar os seus interesses literários.

As atividades de leitura que citamos aqui são apenas algumas das inúmeras opções que aproximam o estudante dos livros. A escola tem um compromisso com a formação de cidadãos conscientes e é exatamente isso que o hábito de ler proporciona. Com a adoção de estratégias diferenciadas, a leitura se torna prazerosa, além de favorecer o uso das habilidades linguísticas e o exercício da imaginação e criatividade.

A adoção de livros interativos é um recurso inteligente para engajar os discentes no hábito da leitura. Com a Plataforma Eleva, a sua instituição de ensino pode ter acesso a materiais interativos, pensados exclusivamente para a nova geração.

Achou este post interessante? Que tal seguir as nossas redes socais para acompanhar mais conteúdos sobre educação? Estamos no Instagram, Facebook, LinkedIn e YouTube!

7 dicas de como incentivar os alunos à leitura desde o início do retorno às aulas