O que é a individualização do aprendizado e qual sua importância?

O que é a individualização do aprendizado e qual sua importância?
6 minutos para ler

O ensino tradicional sempre usou a mesma metodologia de ensino para todos os alunos de forma igual. Porém, nos últimos anos, esse pensamento tem sido revisto, uma vez que cada pessoa apresenta características únicas e que influenciam na forma como aprendem, o que deu origem à individualização do aprendizado, que leva em consideração as necessidades específicas do estudante.

A finalidade dessa tendência é potencializar a capacidade de aquisição de conhecimento dos discentes, garantindo que aprendam dentro do seu próprio ritmo, de uma forma mais atrativa e com maior autonomia. Neste post, você vai entender como funciona e quais são os benefícios desse método para a sua escola. Confira!

O que é individualização do aprendizado?

Reconhecido como um dos maiores educadores do Brasil, Paulo Freire defendeu o pensamento de que o aprendizado só acontece de maneira efetiva quando o aluno consegue compreender o que está ao seu redor, tendo condições de realizar as suas próprias conexões e, assim, construir um conhecimento que realmente seja assimilado e faça sentido para a sua vida.

Nesse sentido, é necessário que o ensino seja visto como um processo dinâmico, que exige a participação ativa do aluno, pois se dá de forma diferenciada para cada indivíduo. Diante disso, surge a individualização do aprendizado, em que os professores e pedagogos da instituição de ensino traçam o perfil dos alunos e desenvolvem estratégias para tratá-lo de acordo com as suas características e necessidades individuais.

O principal diferencial desse método é ter um olhar pessoal para o estudante, em que o educador disponibiliza tecnologias e instruções baseadas nas carências de aprendizagem da contraparte. Embora seja uma alternativa que traz autonomia para os discentes, o professor continua tendo um papel crucial na condução do aprendizado.

Por que essa tendência vai ser cada vez mais comum nas escolas?

É consenso entre muitos especialistas da área que a educação de massa não contempla as características da geração atual, devendo passar por uma reformulação. Um dos principais questionamentos sobre esse assunto é justamente a importância de as escolas compreenderem as demandas específicas dos alunos.

Segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2018, 36,5% dos jovens brasileiros com 19 anos não concluíram o Ensino Médio, 62% deles não frequentam mais as aulas e 55% deixaram de ir para a escola ainda no Ensino Fundamental. Além dos aspectos sociais e pessoais que estão relacionados a esse cenário, uma das razões para a desistência dos estudos é a dificuldade que muitos estudantes encontram para se encaixar no modelo tradicional de educação.

Sendo assim, a individualização do aprendizado deve avançar nos próximos anos, possibilitando a adequação dos processos de ensino às individualidades dos alunos. Outro fator que contribui para impulsionar a tendência é o crescente uso da tecnologia nas escolas, que possibilita o estabelecimento de métodos inovadores de ensino e proporciona dinamismo e originalidade para as aulas.

Além disso, as ferramentas tecnológicas, como aplicativos e plataformas educacionais, auxiliam na individualização do ensino, pois conduz o aluno em uma jornada de estudos focada nas suas necessidades e dificuldades. Um exemplo disso é o Teoria de Respostas ao Item (TRI), recurso utilizado pelo Enem para identificar o nível de conhecimento individual e direcionar o estudante sobre a melhor forma de adquirir conhecimento.

Como a individualização do aprendizado é aplicada no Novo Ensino Médio?

O Novo Ensino Médio caracteriza-se como a reforma da grade curricular e a reorganização da estrutura do Ensino Médio, que tem por objetivo atender a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e trazer flexibilidade para os alunos brasileiros.

A individualização do aprendizado está presente nesse novo modelo de ensino por meio da disponibilização dos itinerários formativos, que são um conjunto de projetos, disciplinas e oficinas que poderão ser escolhidos e cursados pelos jovens de acordo com os seus interesses. Focada nas áreas de conhecimento e formação técnica e profissional, a mudança visa promover uma educação de qualidade, mais próxima da realidade dos estudantes atuais.

Desse modo, espera-se que haja maior engajamento do público estudantil, fazendo com que tenham mais comprometimento com os seus estudos, já que vão estudar aquilo que gostam — o que, consequentemente, também tende a diminuir os números de evasão escolar no país.

Quais são os benefícios do método para os estudantes?

Sem dúvidas, os alunos são os principais beneficiados pelo aprendizado individualizado, pois o método é capaz de gerar uma série de melhorias tanto no comportamento da criança e adolescente quanto no seu desempenho escolar. Veja quais são as suas vantagens.

Aumenta a autonomia

A partir da individualização do ensino, o aluno passar a aprender no seu próprio ritmo e tem responsabilidade sobre a sua aprendizagem, o que aumenta a sua autonomia. Assim, o método ajuda a moldar o seu comportamento, contribuindo para que seja mais proativo e compromissado com as suas atividades dentro e fora da escola.

Possibilita adaptação às necessidades do aluno

Em toda a turma, o professor estuda e traça o perfil individual dos seus estudantes, utilizando estratégias específicas para cada um deles. Com isso, o aluno pode se adaptar mais facilmente aos desafios que encontra nos seus estudos, pois eventuais dificuldades são substituídas por visões ou técnicas adequadas para as suas características.

Amplia o engajamento

O engajamento é um fator preponderante para a evolução do aluno. Afinal, quanto mais interessado e disposto a aprender ele estiver, melhor será o seu processo de aprendizagem. No entanto, essa questão depende do interesse pelo assunto, relacionamento com os educadores e percepção sobre a sua importância no ambiente de ensino.

Geralmente, o estudante perde o seu interesse pela aula ao não conseguir acompanhar o conteúdo. A proposta da individualização verifica se o discente está de fato aprendendo e demonstra que a escola se preocupa com o seu crescimento individual por meio de estratégias pensadas para ele, o que amplia o seu engajamento.

Melhora no desempenho

Como resultado de todos os benefícios citados acima, é possível constatar uma melhora considerável no desempenho dos alunos. Isso porque as adaptações os ajudam a transpor os obstáculos com os quais se deparam na hora de aprender, além de explorar os seus pontos fortes e tirar o melhor de cada um.

Portanto, fica evidente que a individualização do aprendizado é uma tendência que deve ganhar mais espaço nas instituições de ensino nos próximos anos, firmando-se como uma importante ferramenta para motivar os estudantes e ajudá-los para compreender até mesmo os conteúdos mais complexos. Para isso, as escolas e seus professores precisam se preparar para essa nova realidade.

Achou esse conteúdo interessante? Deixe o seu comentário aqui embaixo para compartilhar a sua opinião!