Inteligências múltiplas: o que são e como trabalhá-las na escola?

Inteligências múltiplas: o que são e como trabalhá-las na escola?
6 minutos para ler

A implementação das chamadas inteligências múltiplas é uma tendência cada vez mais forte na educação. Diante de um mundo influenciado pela tecnologia, a abordagem é uma grande aliada para aprimorar o projeto pedagógico e para aperfeiçoar os resultados na escola.

Ao contrário da inteligência tradicional, que mede o aprendizado por meio de testes de QI (quociente de inteligência), o conceito prioriza os talentos e as habilidades dos alunos. Com isso, as instituições escolares têm investido em metodologias ativas que trabalham inúmeras competências e dão oportunidade para que os estudantes se tornem protagonistas em sala de aula.

Para que você entenda mais sobre o assunto, explicamos, a seguir, o que são as inteligências múltiplas e como implementá-las da melhor forma no cotidiano de ensino. Confira!

O que são inteligências múltiplas?

O conceito de inteligências múltiplas foi criado pelo psicólogo Howard Gardner, que teve como objetivo demonstrar a variedade de competências apresentadas pelas pessoas. No âmbito escolar, a abordagem ajuda a eliminar o paradigma de que alguns alunos podem ser menos inteligentes e que outros podem contar com aptidões especiais.

A inteligência tradicional, praticada por muito tempo nos diferentes modelos de ensino, prioriza a aplicação de conteúdos e avaliações, sem considerar os contextos de cada estudante. Assim, as inteligências múltiplas surgem em contraposição a essa ideia, proporcionando mais oportunidades aos estudantes de desenvolver seu potencial em sala de aula.

Alguns alunos, por exemplo, apresentam mais facilidade em conhecimentos lógicos ou que demandam grande capacidade de raciocínio lógico, enquanto outros colegas podem ter um melhor desenvolvimento musical e linguístico. Todas as inteligências devem ser valorizadas em sala de aula, sem que um estudante se sobressaia sobre o outro.

Quais são os tipos de inteligências múltiplas?

Existem inúmeros tipos de inteligências múltiplas que podem ser trabalhadas no cotidiano dos espaços educativos. Saiba mais sobre cada um deles a seguir.

Lógico-matemático

O conhecimento lógico-matemático é bastante utilizado em atividades que dependem de raciocínio lógico, como as disciplinas de Exatas. Os alunos que apresentam esse tipo de inteligência tem facilidade com enigmas, jogos, problemas matemáticos e identificação de padrões.

Linguística

A inteligência linguística se relaciona com a capacidade de comunicação, escrita, apresentação de trabalhos, contação de histórias e teatro. Os estudantes que contam com essa habilidade têm domínio da linguagem escrita e oral, sendo essencial para a vida acadêmica e profissional.

Interpessoal

A inteligência interpessoal é a qualidade de se relacionar com as outras pessoas e criar empatia diante das diferentes histórias e realidades. Esse tipo de inteligência pode ser estimulada por meio de trabalhos em grupo ou em projetos voluntários implementados pela instituição de ensino.

Espacial

A inteligência espacial ou visual permite ao estudante criar imagens mentais com facilidade para resolver problemas. Na escola, ela pode ser trabalhada por meio de atividades artísticas e em aulas que transmitam os conteúdos por vídeos, filmes e imagens.

Musical

Os estudantes que apresentam familiaridade com instrumentos musicais e conseguem reconhecer melodias, ritmos ou notas apenas pela audição, podem ter uma inteligência musical bem desenvolvida. É interessante que o aluno participe de corais, de práticas de musicalização e seja incentivado a aprender por meio de canções que tenham relação com as disciplinas.

Café Com Prof 1
Inteligências múltiplas: o que são e como trabalhá-las na escola?

Intrapessoal

Quem apresenta inteligência intrapessoal consegue gerenciar suas próprias emoções e pensamentos. Esse tipo de competência é fundamental para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais nos alunos, pois trabalha a autoexpressão e favorece a autonomia.

Cinestésica

A inteligência cinestésica está relacionada à coordenação motora e a atividades que permitem o movimento corporal, como a dança e os exercícios físicos. Em geral, os estudantes também podem ter aptidão para atuar com trabalhos manuais.

Como estimular as inteligências múltiplas na escola?

As inteligências múltiplas podem ser aplicadas em sala de aula por meio de algumas práticas pedagógicas. O uso de abordagens e metodologias diferenciadas, por exemplo, tornam as aulas mais interessantes e atrativas para os alunos.

A tecnologia também é um recurso que deve fazer parte das atividades, permitindo maior engajamento e motivação. Algumas ferramentas, como a gamificação e a robótica, são ideais para desenvolver habilidades e competências nos estudantes de qualquer nível de escolaridade.

Veja, a seguir, algumas dicas de como estimular as inteligências múltiplas na realidade escolar.

Utilize metodologias inovadoras no ensino

Algumas metodologias permitem que os alunos se tornem protagonistas e tenham mais autonomia no processo de aprendizagem. As atividades podem promover as diferentes inteligências, como a musical, interpessoal e lógica, de forma divertida e prazerosa.

Um exemplo é o design thinking, uma abordagem cujo objetivo é solucionar problemas. A ideia é que a turma consiga trabalhar de forma colaborativa para resolver as diferentes questões levantadas pelo educador em sala de aula, por meio de etapas e ações que envolvem tomada de decisão e ajuda mútua.

Crie projetos

O ensino baseado em projetos também é bastante eficiente para estimular as diversas inteligências múltiplas. Nesse caso, os alunos criam, investigam e propõem soluções, por meio de tarefas e desafios que incentivam o desenvolvimento de um projeto ou produto específico.

Em geral, os professores escolhem problemas da realidade para manter a atenção e o foco dos estudantes, que devem trabalhar em equipe para alcançar um bom resultado. A prática pedagógica ainda trabalha a interdisciplinaridade e pode ser útil para atender às necessidades e dificuldades de aprendizagem.

Ofereça um ensino individualizado

Ao oferecer um ensino individualizado, a escola deve observar individualmente as demandas dos estudantes para que consigam desenvolver suas inteligências e talentos. As atividades geralmente são personalizadas e auxiliam a turma a adquirir capacidades especiais.

Para que a metodologia realmente apresente resultados positivos, os educadores devem levantar as necessidades dos alunos antes mesmo de definir as atividades. É interessante que a instituição escolar ofereça apoio e orientação em todo o processo, facilitando, com isso, o incentivo às inteligências múltiplas.

As escolas que desejam se aprimorar e oferecer um ensino de mais qualidade devem investir em abordagens que promovam as diferentes inteligências múltiplas nos estudantes. Para isso, é preciso considerar o potencial de cada aluno para estabelecer práticas pedagógicas mais eficientes e que realmente contribuam para a formação acadêmica.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite a visita e entenda também como as metodologias ativas auxiliam o aprendizado!