Qual a importância dos jogos educacionais para o desenvolvimento dos alunos?

jogos educacionais
7 minutos para ler

[kkstarratings]

Os jogos educacionais são uma constante na vida das crianças há décadas. Mesmo quando não têm brinquedos por perto ou um colega com quem partilhá-los, elas usam as brincadeiras como passatempo, se divertindo, até mesmo com poucos recursos, e desenvolvendo a criatividade.

Nesse cenário de transformação da sociedade, proporcionada pelas novas tecnologias, as brincadeiras também vão se adaptando. Aos poucos, as amarelinhas e o esconde-esconde foram substituídos pelos jogos de videogame, — momento em que os pais começaram a questionar sobre como esses novos hábitos interferem na vida dos filhos.

Desse modo, apesar de algumas pessoas ainda enxergarem os jogos digitais com certo receio, por acharem que seus filhos podem se expor a conteúdos inadequados, essa concepção vem mudando nos últimos anos, —principalmente com o reconhecimento dos jogos educacionais como uma forma eficiente de ensino.

Neste artigo, vamos entender de que maneira eles são usados nas escolas e qual é a sua importância para o aprendizado dos alunos. Confira!

Qual a importância dos jogos educacionais para o desenvolvimento dos alunos?

Como os jogos educacionais são trabalhados nas escolas?

Mesmo antes da popularização dos games, as escolas já se aproveitavam de alguns materiais mais lúdicos para o ensino. Contudo, nesse cenário, os professores se restringiam ao básico, utilizando jogos da memória, tangram e quebra-cabeças.

Como as novas gerações têm forte conexão com os recursos tecnológicos, era somente uma questão de tempo até que eles também dominassem o ambiente escolar.

Agora, as aulas de informática oferecem muito mais do que apenas ensinar técnicas de digitação e pesquisa. Assim, é possível colocar os estudantes diante de exercícios interativos, aulas dinâmicas e diversos formatos de conteúdos.

Desafios da implementação

A digitalização de muitos processos que acontecem na escola é, muitas vezes, um imenso desafio para os professores. Em grande parte dos casos, isso acontece devido à falta de familiaridade que eles têm com as tecnologias, vendo-as como dificultadores em sua rotina de trabalho.

Dessa forma, cabe à gestão escolar engajar também o corpo docente, de modo a incentivar os educadores a aprenderem como ministrar as aulas com a ajuda desses recursos e se envolverem em todo o processo.

Outro desafio do uso de jogos educacionais é ensinar as crianças quando devem parar. As brincadeiras são divertidas e o lúdico traz mais encanto do que o modelo tradicional de explicações escritas em uma lousa.

Por esse motivo, os professores devem estipular um tempo máximo para utilizar os games em sala de aula ou no ambiente escolar — 2 horas já são suficientes. Afinal, o conteúdo programático não deve ser deixado de lado.

Qual a importância da gamificação no aprendizado?

Muitos estudantes sentem dificuldades na escola por não conseguirem acompanhar o ritmo das aulas. Em algumas situações, a falta de engajamento se faz presente, principalmente quando eles não se integram aos conteúdos programáticos. É por essa razão que materiais contextualizados fazem toda a diferença — e, nesse sentido, os games são ótimos aliados.

Com eles, pode-se proporcionar imersão ao que se é ensinado, colocando os problemas mais próximos da realidade dessas crianças e jovens para que encontrem resoluções criativas e eficientes. Em outras palavras, os jogos educativos têm um poder maior de fixar o aprendizado e envolver os estudantes no ambiente escolar.

Além disso, há ganhos visíveis em criatividade, autonomia e concentração — sem falar que os games potencializam o raciocínio lógico e o pensamento crítico. Para Vitor Rangel, coordenador de Tecnologia da Eleva, a importância dos jogos educativos vai além: “o melhor é saber que os alunos, fora dos muros da escola, continuam desenvolvendo as habilidades acadêmicas deles”.

Plataforma Eleva Educação: como funciona?

Você acha possível que um estudante tenha um desempenho 25% superior com o auxílio dos jogos educacionais? Com a plataforma adaptativa da Eleva, isso é certamente viável. Afinal, ela traz personalização em diferentes etapas do ensino, respeitando o estágio de conhecimento de cada aluno.

Para crianças e jovens do Infantil e do Ensino Fundamental I, por exemplo, as atividades são mais lúdicas, a fim de conquistar sua atenção e despertar seu interesse pelo conteúdo. Há também o incentivo ao conhecimento de conceitos socioemocionais, para que os pequenos se desenvolvam de forma saudável e plural.

Já para os alunos do Fundamental II e Ensino Médio, o desafio aumenta com um banco de mais de 60 mil questões. Com essa funcionalidade, os professores conseguem ver o progresso desses jovens nas atividades e mensurar o engajamento com os conteúdos propostos.

De acordo com Vitor Rangel, a plataforma “tem algoritmos que fazem a leitura do aproveitamento dos alunos dentro dessa trilha de aprendizagem”. Isso dá insumos aos educadores, a fim de que eles saibam quando determinado estudante precisa de materiais complementares ou mesmo uma atenção especial para motivá-lo.

Aliás, a própria plataforma já tem essa capacidade de trabalhar com as respostas dos alunos. Por meio de uma tecnologia de ponta, ela consegue saber se um estudante está acompanhando o nível de seus colegas. Se não estiver, recebe a sugestão de ler os materiais didáticos com as respostas das questões que ele errou ou assistir aos vídeos relacionados ao assunto (existem mais de 5 mil opções audiovisuais disponíveis).

Essa trilha de aprendizagem torna-se viável graças à divisão dos conteúdos em tags. Além de ser bastante intuitiva, essa estrutura oferece aos estudantes um maior conforto, uma vez que eles podem escolher o formato com o qual se identificam — ou seja, aquele em que será mais fácil compreender o assunto em questão.

Com tantas funcionalidades, a plataforma adaptativa da Eleva promove benefícios para diferentes frentes desse processo de ensino-aprendizado:

  • para os estudantes, que se veem diante de conteúdos atrativos e dinâmicos, com capacidade de potencializar sua compreensão dos assuntos abordados;
  • para os professores, que acompanham o desempenho de seus discentes e encontram na plataforma uma grande aliada para promover educação;
  • para a escola, que vê o rendimento de seus estudantes aumentar, podendo até refletir na produtividade de seus funcionários e minimizar a evasão escolar. Além disso, tem o controle de acessos e, com isso, pode ter insights de como trabalhar melhor esses recursos para otimizar o ensino;
  • para os pais, que sentem a segurança de que seus filhos estão aprendendo e se divertindo nessa etapa de suas vidas.

Os jogos educacionais são ótimas formas de engajar os alunos e estimular habilidades como concentração e criatividade. Com eles, os professores conseguem ter uma noção do desenvolvimento de seus estudantes e se aproximarem ainda mais deles. Por isso, é interessante que a escola insira essa metodologia em sua estrutura — de preferência, contando com uma plataforma completa e adaptativa para apoiar toda a comunidade escolar.

Se você deseja essa solução inovadora para sua escola, aproveite para conhecer melhor os benefícios e recursos da plataforma da Eleva Educação. Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

Qual a importância dos jogos educacionais para o desenvolvimento dos alunos?