Metodologias ativas: como colaboram para uma aprendizagem significativa?

Metodologias ativas: como colaboram para uma aprendizagem significativa?
6 minutos para ler

Entre as diversas abordagens de ensino, as metodologias ativas se destacam por promover o protagonismo do aluno e fazer parte da educação na sociedade pós-pandemia. Essa forma de ensino implica um maior uso de tecnologias e novas formas de trabalho, de modo que os estudantes possam se preparar com novos conhecimentos e habilidades.

Ao longo deste artigo, você vai descobrir o que são as metodologias ativas e quais são os seus tipos. Aproveite para descobrir também como elas podem fazer parte do ensino. Boa leitura!

O que é metodologia ativa e por que ela é importante?

Como o nome já diz, este modelo visa colocar o aluno no centro da sua formação, de forma ativa. Diferentemente do que se via no passado, quando o aluno era receptor de conhecimento e podia até não compreendê-lo, agora ele também assume a responsabilidade por seu aprendizado.

Isso significa que, com as metodologias ativas, o estudante recebe um grande incentivo para aprender de forma mais autônoma, estimulando o desenvolvimento da criatividade e a construção do conhecimento. Para isso, ele tem como base situações reais do mundo em que vive.

Dessa forma, a formação se expande para além do conhecimento teórico, incluindo o desenvolvimento em outras áreas e levando em consideração também o seu papel de cidadão. Assim, ele pode:

  • desenvolver a independência;
  • construir seu pensamento crítico;
  • aprender a trabalhar de forma coletiva;
  • ser ético e ter respeito por pessoas diferentes;
  • ser capaz de resolver problemas.

Quais são as metodologias ativas?

Agora que você sabe a importância das metodologias ativas, é hora de conhecer os seus diferenciais. Veja a seguir.

Aprendizagem baseada em problemas

Na aprendizagem baseada em problemas, o professor expõe uma situação que deve ser resolvida pelos alunos a partir do uso de determinados recursos.

Nesse caso, o docente tem o papel de mediador, instigando os estudantes na busca por caminhos de forma independente. Além disso, também pode fazer observações para que os alunos reflitam sobre as suas ações no contexto do problema.

Aprendizagem baseada em projetos

Muito parecida com a aprendizagem baseada em problemas, na metodologia baseada em projetos os alunos desenvolvendo habilidades literalmente “aprendendo a fazer” determinados processos, que resultem no projeto proposto finalizado.

Aprendizagem em times

O foco da aprendizagem em times é aprender em equipe. Ou seja, por meio de um projeto ou estudo de caso, os alunos trocam informações, buscam soluções em conjunto e aprendem a trabalhar com pessoas diferentes, a fim de se chegar ao resultado.

Gamificação

A gamificação é outro tipo de metodologia muito usada no mundo de hoje. Com a disponibilidade de diferentes softwares, acesso a canais digitais dentro da sala de aula e materiais interativos, são muitos os recursos para promover o aprendizado.

Ou seja, o aluno não fica mais preso a um suporte engessado, mas tem acesso a conteúdos de áudio e vídeo, além de usar plataformas de pesquisa online e obter resultados de pesquisa instantâneos e precisos. Com isso, a possibilidade de engajamento e entendimento de conceitos também é maior.

Aprendizagem entre pares

Nesse modelo, o aprendizado ocorre em dupla. Assim como em times, os alunos devem respondes questões em conjunto, podendo utilizar tecnologias para realizar as respostas e acompanhar os resultados. Caso o entendimento não tenha sido comprovado, o professor pode remanejar os pares ou explicar melhor os conceitos.

Sala de aula invertida

O modelo de sala de aula invertida é muito importante na aprendizagem significativa, sendo um formato que complementa as metodologias ativas. O objetivo é que o aluno, de forma independente, estude determinados assuntos previamente e traga suas conclusões para a sala de aula, trocando informações com os colegas.

Nesse caso, a sala de aula se expande em termos de espaço para outros ambientes, seja a biblioteca ou a própria casa do estudante. Isso porque, com a ajuda de recursos digitais, o jovem tem meios de explorar o assunto proposto, podendo refletir sobre ele antes da aula. Assim, o tempo na escola é otimizado, pois é evitada a necessidade de explanação do conteúdo.

Como aplicar as metodologias ativas na aprendizagem?

Como você conferiu, as metodologias ativas podem ser usadas de diferentes formas, a fim de promover o engajamento dos alunos e alcançar um ensino mais completo. Dessa forma, cada fase educacional pode contar com suas vantagens. Confira alguns exemplos a seguir.

No ensino infantil

Na educação infantil, a gamificação é uma boa estratégia para auxiliar o desenvolvimento. Com ela, é possível trabalhar aspectos lúdicos, que prendam a atenção da criança. Somado a isso, pode-se também usar o conceito de storytelling e outras técnicas para motivar o aprendizado.

No ensino fundamental

Já no ensino fundamental, quando o aluno começa a lidar com conceitos mais complexos, a aprendizagem por problemas, em equipe e sala de aula invertida também são bons caminhos para propor o interesse pelos diferentes conceitos.

Essas metodologias também podem promover a troca de conhecimentos entre os alunos e o uso de tecnologias que fazem parte de seu cotidiano.

No novo Ensino Médio

No Novo Ensino Médio, o aluno terá um foco maior na área de conhecimento que mais sente aptidão. Sendo assim, o desenvolvimento do pensamento crítico, independência para buscar conhecimento e fazer conexões serão fundamentais para que os jovens possam construir seu aprendizado.

Nesse sentido, metodologias como a aprendizagem por projetos é uma forma de estimular o trabalho em equipe, desenvolver a criatividade e buscar soluções sobre determinadas questões que competem à área escolhida. Isso contribui para que o estudante desenvolva habilidades que serão usadas no mercado de trabalho, em um futuro não muito distante.

Outro conceito importante que pode ser implementado é o da sala de aula invertida. Nesse caso, preparando-se previamente, os alunos podem explanar sobre o assunto, debatendo opiniões e chegando a conclusões mais sólidas, algo que pode aumentar sua capacidade de internalizar o conteúdo que será posteriormente usado no Enem e no vestibular.

O mundo mudou e a educação também. O que era praticado há 20 anos hoje pode não fazer tanto sentido para as gerações atuais. Sendo assim, para alunos nativos digitais, novas formas de ensino, como as metodologias ativas, surgiram para incentivar seu aprendizado.

Essa forma de ensino também é capaz de estimular a construção de conhecimento e promover o desenvolvimento de novas habilidades. Assim, os alunos podem se preparar com conhecimentos sólidos para o futuro no mercado de trabalho.

Gostou do post? Então, aproveite para nos seguir nas redes sociais — estamos no InstagramFacebook e Linkedin!