Metodologias ativas: entenda como elas auxiliam o aprendizado

metodologias ativas entendacomo elas auxiliam o aprendizado
12 minutos para ler

Modernização do ensino significa transformar escolas considerando o mundo atual e o perfil dos alunos dessa geração. A ideia é desenvolver as competências e habilidades de cada um ao máximo, o que inclui desafios e o constante estímulo da mente, não só da forma tradicional, mas também com o uso de recursos tecnológicos.

Afinal, as novas tecnologias caminham juntas às mudanças na educação. Uma forma de concretizar essa ideia é incentivar os estudantes a aprenderem de modo participativo, colocando-os como agentes principais do processo de aprendizagem — para tanto, pode-se utilizar as metodologias ativas.

Como essa é uma abordagem atemporal, vale refletir sobre as melhores aplicações dentro de um cenário tenso, em que as pessoas se veem obrigadas a mudar suas rotinas e dar continuidade ao aprendizado à distância — vivemos esse momento em função da pandemia pelo novo coronavírus.

Neste post, explicaremos o que são as metodologias ativas, como elas podem ser utilizadas no processo de aprendizado e os principais benefícios dessa técnica. Confira!

O que são metodologias ativas?

O uso das metodologias ativas permite que o aluno deixe de ser um agente passivo no processo de aprendizagem para ser o ativo, ou seja, ele participa efetivamente da construção do próprio conhecimento.

Isso é importante porque a retenção e consolidação da informação é única e diferente para cada estudante, afinal, cada um tem seu ritmo de aprendizado. A ideia de usar a metodologia ativa valoriza todas as formas de conhecimento, de maneira que os alunos sejam estimulados e possam consolidar o que foi estudado.

Para que os alunos consigam desenvolver e assimilar o próprio aprendizado, uma abordagem baseada na resolução de problemas é usada, assim, os estudantes, em colaboração, solucionarão situações que acontecem no cotidiano.

Nesse caso, pode-se utilizar a tecnologia e outros recursos para investigar, refletir e criar hipóteses diante da situação problematizada. O professor deixa de ser o agente principal para ser um mediador, já que todos os estudantes serão convidados a dar ideias e apresentar soluções.

Desse modo, a aula se torna mais dinâmica, o que aumenta o interesse dos alunos e, consequentemente, o seu aprendizado. A casa solução apresentada e aplicada, que surte um resultado positivo, o aluno tende a perceber o poder do pensamento criativo, individual e coletivo.

Como elas são utilizadas no processo de aprendizado?

No modelo tradicional, o professor pode passar até cerca de 2 horários (100 minutos de aula), explicando as informações do tema da aula e fazendo uso de algumas ferramentas, como o livro didático ou apresentação de Power Point.

Houve uma pesquisa que verificou que, conforme a aula progredia, os alunos ficavam entediados e deixavam de prestar atenção, considerando que o tempo era extenso e se associava a algo monótono, sem grandes novidades ou desafios.

As metodologias ativas foram criadas para que o estudante pudesse participar e, assim, ficasse mais interessado na aula. Isso acontece quando o professor pede para os alunos lerem um material previamente para ser discutido em sala. Dessa forma, é possível promover debates sobre quem é a favor ou contra o tema e por que e quais são os benefícios e malefícios, o que é muito interessante para testar o conhecimento e absorver novas informações.

Outro modo de aprendizado baseado na metodologia ativa é a promoção de gincanas, por exemplo, separa-se a sala em grupos, que são instigados a resolver uma situação, discutindo todos os aspectos sobre ela. Depois, ocorre uma apresentação sobre o tema, defendendo cada ponto de vista. Assim, é possível promover uma discussão sobre visões diferentes e o que foi positivo e negativo nos resultados.

Ainda, a utilização de estratégias de gamificação, ou seja, uso de games dentro da sala de aula também pode favorecer o processo de aprendizagem. Afinal, quando o professor usa algo que é do universo de seus alunos, o interesse é despertado.

Entre os aspectos diferenciados que são usados nas metodologias ativas estão:

  • uso da sala de aula invertida;
  • uso de tecnologia para potencializar o conhecimento;
  • união de aula teórica e prática;
  • estudo de casos e resolução de problemas;
  • utilização de jogos, gincanas e problematização em grupo;
  • promoção de competições e desafios, que podem ser feitos individualmente ou em grupo;
  • estímulo a liderança, empreendedorismo e trabalho em equipe.

Quais são os benefícios das metodologias ativas?

As metodologias fogem do ensino tradicional sem, contudo, deixar afetar a qualidade do aprendizado. Despertar o interesse e estimular a participação dos alunos traz diversos benefícios.

Proporciona maior retenção do conteúdo

Como falado, no modelo tradicional o estudante participa de forma passiva. Dessa forma, é muito fácil perder a atenção e se desconectar da aula por longos períodos. Estima-se que a retenção de conteúdo nesse modelo seja de apenas 10% a 20%.

No entanto, quando o aluno é convidado a participar e discutir, é preciso que a atenção esteja completamente voltada para o assunto. Assim, o índice de retenção do conteúdo que é escrito ou discutido pode aumentar consideravelmente, ou seja, o conhecimento é mais amplo, aprofundado e, ainda, melhor consolidado.

Melhora a capacidade escrita e oral

É natural que grande parte dos alunos tenha dificuldade de se comunicar em público. O interessante é que as metodologias ativas trabalham essa habilidade, visto que é preciso discutir, argumentar, apresentar ideias e participar de jogos com respostas verbais.

Além disso, é possível dizer o mesmo da comunicação escrita, uma vez que nas metodologias ativas é preciso, muitas vezes, sintetizar frases e extrair resumos dos conteúdos, apontando o que há de mais importante. Promover essa habilidade também é essencial para o processo de estudo em casa.

Propõe uma rotina dinâmica

No modelo tradicional, todas as aulas do semestre terão a mesma característica. Para alguns alunos, isso pode ser desmotivador e monótono, deixando o rendimento muito aquém do esperado.

Logo, incluir algumas metodologias ativas em intervalos de tempo, como duas aulas por semana, muda completamente a rotina de aprendizado, visto que as abordagens podem ser diferentes a cada aula.

Gera vínculos entre alunos e professores

Sem dúvidas, grande parte da retenção de conhecimento está relacionada ao vínculo com o professor. Afinal, os alunos costumam associar dedicação à pessoa que a ensina. Sendo assim, ao melhorar o elo entre estudante e educador, há um estímulo maior para o aprendizado.

Estimula o trabalho em equipe

É fundamental que, em seu futuro profissional, o aluno trabalhe em equipe, independente da área escolhida. Sendo assim, é imprescindível estimular esse tipo de habilidade ainda na escola.

Em muitas metodologias ativas os alunos são divididos em grupos para trabalhar na resolução de problemas. Mas é interessante que essa divisão seja feita de formas diferentes a cada prática, a fim de que eles sempre atuem em equipes diferentes.

 

Quais são as diferenças das metodologias ativas para as tradicionais?

Enquanto a metodologia tradicional coloca o aluno em um papel mais secundário, a metodologia ativa o torna protagonista do seu próprio aprendizado e ele tem a oportunidade de interagir e ajudar a definir melhores formas de aprendizado.

Embora o professor seja a figura de suporte e fonte de consulta, os alunos têm a oportunidade de buscar soluções por si mesmos. Na verdade, eles são estimulados e resolvem os problemas usando a criatividade

Ainda, o processo investigativo é mais profundo na metodologia ativa do que no modelo tradicional. Com recursos tecnológicos e mais dinâmicos, o interesse dos alunos tende a aumentar, assim como o engajamento.

Como é a porcentagem de assimilação com cada tipo de técnica de aprendizado?

As pessoas têm formas e tempos distintos de aprendizado, por isso, não há como definir um modelo padrão e ideal para um grupo. Há diversas técnicas e mecanismos que, efetivamente, colaboram para o conhecimento de todos.

Ainda, existem modelos e percentuais diferentes de aprendizado, defendidos pelo psiquiatra americano William Glasser. A teoria mostra que a efetividade está presente nas metodologias ativas, nas quais os alunos são mais proativos. Vejamos a distribuição:

  • 10% aprendem lendo;
  • 20% aprendem escrevendo;
  • 50% aprendem observando e escutando;
  • 70% aprendem discutindo com os colegas;
  • 80% aprendem praticando;
  • 95% aprendem ensinando.

Metodologias ativas: como usá-las de forma prática na educação?

Os diversos caminhos de aplicação das metodologias ativas dão vasão a uma série consistente de aprendizado, ao passo que leva para dentro da sala de aula algo diferenciado, capaz de manter os alunos motivados a participar.

Por meio de alguns exemplos práticos, entenda em que a metodologia ativa faz total sentido e contribui para bons resultados no aprendizado dos alunos e na conclusão dos planos de aulas dos professores.

Ensino Híbrido

A tecnologia é essencial para a implementação do ensino híbrido. Com o uso de recursos tecnológicos há uma mescla do ensino tradicional, dentro de sala de aula, com as atividades EAD, ou seja, à distância.

Trata-se de um aspecto importante para instigar os alunos a buscarem, de modo online, por dados, informações e exemplos que ajudem a elucidar os problemas e elaborar melhores soluções — uma forma dinâmica de complementar o que foi estudado na sala de aula.

Sala de aula invertida

Literalmente, uma inversão da forma de estudo tradicional, em que o professor passa um conteúdo que deverá ser assimilado pelos alunos em casa. Desse modo, os alunos têm acesso ao que será estudado antes de interagir com seu educador.

O objetivo da sala de aula invertida é que as dúvidas comecem a surgir antes mesmo do início da aula na escola e que os professores sejam a fonte de pesquisa para resolução das atividades.

Gamificação

A gamificação, como o próprio nome diz, é a criação de jogos de ensino para estimular a competição saudável entre os participantes, que aprendem de uma forma lúdica e estimulante.

Dessa forma, todos buscarão soluções em um universo mais amplo e embasarão as respostas em pesquisar diferentes daquelas abordadas em sala de aula, para complementar as jogadas em busca de bons resultados.

Ainda, é um modo de transformar a rotina em um momento descontraído sem, contudo, deixar de abordar as disciplinas e conteúdos necessários. Assim, os alunos aprendem por meio dos jogos e interagem com mais empenho — a intenção de vencer o jogo e sair vitorioso intensifica a dedicação aos estudos.

Recursos audiovisuais

A utilização de videoaulas, lives e palestras pode aproximar melhor os alunos de determinados temas. Os vídeos podem ajudar tanto os professores para ministrar as matérias quanto os alunos na absorção de conteúdos que ainda não foram discutidos nas aulas.

Para tanto, as plataformas podem disponibilizar conteúdos EAD para ajudar no aprendizado, uma vez que a tendência é que os alunos aprendam melhor observando e escutando, em vez de apenas lendo um material.

É possível reter melhor a atenção de alunos usando os vídeos de aulas gravadas, palestras e lives, com assuntos relevantes e atualizados, que não fujam do contexto do aprendizado, nem do cronograma de atividades, mas sejam aplicados de forma motivadora.

Logo, caso a escola tenha à disposição uma ferramenta que permita discussão e interação entre os alunos, por meio de vídeo, poderá ser uma estratégia interessante, que desperte o desejo de participação e absorção de ensinamentos.

De acordo com a teoria de Glasser, 90% das pessoas aprendem ensinando, o que torna os alunos mais didáticos quando estão envolvidos em uma situação que precisam defender ideias e contribuir para o aprendizado do outro.

Aprendizagem com base em problemas

Apresentar problemas e lançar aos alunos o desafio de encontrarem soluções pode ser uma excelente aplicação da metodologia ativa. Conhecido como ABP (Aprendizagem Baseada em Problemas), trata-se de um método que tem foco na interdisciplinaridade, com utilização dos diversos campos de conhecimento.

Isso não quer dizer que disciplinas, como Português, Matemática, História e Geografia deixarão de ser ministradas de acordo com o cronograma. A ideia é que o aprendizado aconteça em um universo interdisciplinar, com flexibilidade para o estudo, permitindo que os alunos sejam mais analíticos e participativos, contribuindo com ideias e sugestões.

Vale lembrar que o aprendizado é uma trajetória longa na vida de todas as pessoas e que o conhecimento é adquirido de acordo com a capacidade de aquisição de cada indivíduo, sendo possível à escola aplicar métodos diferenciados para abranger o coletivo.

Nesse sentido, a metodologia ativa abre caminho para uma nova forma de interação entre a escola, os alunos e os recursos de ensino para auxiliar o percurso. Com grande interferência da tecnologia e velocidade da informação, já não é mais possível reter a atenção de crianças e jovens sem criar mecanismos mais efetivos.

Por fim, destacamos que é importante incorporar as metodologias ativas no ensino porque os estudantes atuais estão imersos em uma cultura digital e têm expectativas diferentes em relação ao processo de aprendizagem. Isso também demonstra a necessidade de orientação para os professores, que cada vez mais estão sendo avaliados em relação às suas competências didáticas.

E então, viu como há vários modelos eficazes no processo de aprendizagem? Que tal se inscrever no nosso canal do Youtube e ficar por dentro do que acontece no mundo da educação?

Metodologias ativas: entenda como elas auxiliam o aprendizado