Entenda quais foram as mudanças nos vestibulares devido à pandemia

mudanças nos vestibulares
6 minutos para ler

A pandemia de Covid-19 impactou profundamente a área da educação, provocando mudanças nos vestibulares. O final do ano é tradicionalmente uma época em que os estudantes do Ensino Médio estão ansiosos para prestar vestibular. Em 2020, esse sentimento se tornou ainda mais intenso devido às incertezas quanto à realização do evento.

Algumas universidades optaram por alterar o modo como a prova é aplicada para preservar a segurança e a saúde dos alunos, enquanto outras adiaram o processo seletivo para 2021. Diante disso, é fundamental que as escolas acompanhem essas mudanças e saibam como preparar os discentes e familiares para lidar com esse novo cenário.

Neste post, vamos mostrar como será o vestibular das principais universidades do Brasil durante a pandemia. Confira!

Universidades particulares apostam no vestibular online

A realização do vestibular 2020 se converteu em um grande desafio para as instituições de ensino. Isso porque o processo seletivo envolve um grande número de estudantes e exige que as universidades sigam as medidas preventivas contra o coronavírus, como o distanciamento entre as carteiras e a redução de alunos por sala, o que necessitaria de uma quantidade muito maior de salas disponíveis. Todas essas questões acabaram complicando o vestibular presencial, que poderia gerar riscos para a população em geral.

Levando isso em consideração, as universidades privadas decidiram manter o vestibular de fim de ano, mas buscaram outras saídas para não gerar aglomeração, recorrendo à aplicação do teste por meio da internet. Esse é o caso da Pontifícia Universidade Católica (PUC), Fundação Getúlio Vargas (FGV), Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e Mackenzie. Esta última ressalta que vai oferecer duas opções de acesso aos cursos superiores: prova online realizada em novembro e notas do Enem de 2018 e 2019.

O vestibular no formato online pode ser customizado conforme as características e necessidades das instituições. Assim como acontece na modalidade presencial, a prova é de múltipla escolha mais a redação. Dependendo da área do processo seletivo, o vestibulando terá que fazer uma prova teórica e outra prática.

Segurança contra fraudes

A aplicação do vestibular online abre espaço para fraudes de pessoas mal-intencionadas. Para que isso não aconteça, as faculdades vão utilizar uma sistema que trava o navegador da internet, fazendo com o que candidato não tenha como sair do ambiente virtual em que está respondendo a prova para abrir o e-mail ou consultar o Google, por exemplo.

Além disso, a maioria das instituições utiliza mecanismos de monitoramento pela câmera do computador, com um fiscal capaz de detectar movimentos estranhos. Assim, caso alguém seja flagrado tentando trapacear, certamente será punido. Desse modo, todos os participantes terão as mesmas condições e chances de aprovação.

Universidades públicas decidiram adiar o vestibular 2020

Os vestibulares das universidades públicas costumam ser os mais concorridos do país, fazendo com que os estudantes se preparem durante todo o Ensino Médio para garantir a sua vaga no curso dos seus sonhos. Porém, os alunos terão que aguardar um pouco mais para conquistar esse objetivo, visto que as instituições de ensino públicas adiaram o vestibular deste ano para 2021. Veja para quando as novas datas foram marcadas.

Unesp

O processo seletivo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), que inicialmente estava marcado para 15 de novembro, agora terá a primeira fase nos dias 30 e 31 de janeiro de 2021, enquanto a segunda fase, que aconteceria entre 13 e 14 de dezembro, vai ocorrer em 28 de fevereiro. Antes, o resultado com lista dos aprovados saía no final de dezembro. Com as mudanças das datas, a divulgação será feita em 19 de março.

USP

A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), que tem a missão de selecionar os vestibulandos da Universidade de São Paulo (USP), informou o adiamento da prova da primeira fase do dia 29 de novembro para 10 de janeiro. Outra novidade diz respeito ao que será cobrado no exame, já que a Fuvest disse que vai se basear nos conteúdos estudados no primeiro e segundo ano do Ensino Médio.

Unicamp

Provavelmente, o vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi o que mais sofreu alterações. A primeira fase seria em 22 de novembro, passando para 6 e 7 de janeiro. Para evitar aglomerações, os candidatos vão ser separados por segmentos. Assim, as provas dos cursos de Humanas, Exatas, Artes e Tecnológicas acontecem no sábado, e as provas da Ciências Biológicas e Saúde estão previstas para domingo.

Dessa vez, os estudantes não terão que responder as tradicionais 90 questões, mas sim 72. O tempo de aplicação de prova também foi reduzido para de 5 para 4 horas. Os exames serão diferentes, porém apresentam as mesmas características, além de tratar dos mesmos conteúdos.

UnB

No ano de 2010, a Universidade de Brasília (UnB) decidiu sair do Sistema de Seleção Unificado (Sisu), no qual disponibiliza 25% das suas vagas, e formulou um novo processo seletivo com a nota do Enem, que foi chamado de Acesso Enem UnB.

Contudo, em decorrência da pandemia, o processo teve que ser alterado para que os vestibulandos possam concorrer às vagas usando a nota do Enem 2019. Por enquanto, a medida é válida para selecionar os estudantes para o segundo semestre letivo de 2020, cujo início será em 1º de fevereiro de 2021.

Uerj

A prova de qualificação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) foi marcada para 28 de fevereiro de 2021 e o exame discursivo está definido para 25 de abril. Para ser mais prática, a prova de qualificação foi reduzida, contando com apenas 69 questões de múltipla escola. Por sua vez, o exame discursivo terá uma redação e duas provas discursivas específicas, conforme a área do curso.

Por que acompanhar as mudanças nos vestibulares?

O acompanhamento das alterações das datas e formatos dos vestibulares é importante para que as escolas saibam como orientar seus alunos durante esse período. É possível, por exemplo, aplicar simulados formulados de acordo com as novas regras para que os estudantes possam se adequar aos novos processos.

Para conter a ansiedade e as incertezas dos vestibulandos, existe a possibilidade de desenvolver práticas que os conscientizem sobre a necessidade de entender e como encarar esse momento. Desse modo, o impacto das mudanças nos vestibulares será menor, permitindo que eles continuem focados e tenham mais chances de obter a sua aprovação, mesmo em um ano letivo cheio de adversidades.

Quer saber quais são os principais pilares da educação do futuro? Clique aqui e baixe o e-book.

Entenda quais foram as mudanças nos vestibulares devido à pandemia