O que é um relatório escolar e como ele pode ajudar a melhorar o ensino?

O que é um relatório escolar e como ele pode ajudar a melhorar o ensino?
6 minutos para ler

Acompanhar a performance do aluno em sala de aula é fundamental para que a escola entenda o seu processo de evolução e, assim, possa oferecer oportunidades de melhoria. Para isso, o principal instrumento utilizado é o relatório escolar, que traz um panorama dos resultados dos discentes tanto para a equipe pedagógica quanto para os pais e responsáveis.

Cada criança e adolescente apresenta o seu próprio tempo de desenvolvimento. Por meio de um olhar individual sobre o aluno, é possível identificar os seus pontos fortes e maiores dificuldades. Neste post, vamos trazer tudo o que você precisa saber sobre o relatório descritivo do estudante e como colocá-lo em prática. Confira!

O que é o relatório escolar?

O relatório escolar caracteriza-se como um documento que demonstra, a partir de informações descritivas, a jornada de desenvolvimento do estudante dentro de um determinado período de tempo, que pode ser semestral ou anual, por exemplo.

Em muitas escolas, o relatório escolar tem sido uma alternativa para substituir o tradicional boletim. Isso porque ele tem o mesmo objetivo, mas se diferencia pelo fato de ter uma abordagem mais moderna e adequada, uma vez que é mais detalhado, oferecendo uma visão completa da evolução de cada discente.

Na maioria das escolas de nível básico, fundamental e médio, a apresentação desse documento é obrigatória. Ele é elaborado pelo professor e deve conter os seguintes dados:

  • questões cognitivas que apontem a observação e compreensão do discente quanto aos seus níveis de desenvolvimento;
  • possibilidades do aluno se desenvolver e trabalhar competências ainda não adquiridas;
  • avanços e conquistas do estudante;
  • necessidades e intervenções identificadas e realizadas no decorrer do processo de ensino-aprendizagem.

Qual a sua importância para o aprendizado dos alunos?

Na educação atual, a realização do relatório escolar tem grande impacto na avaliação do desenvolvimento e aprendizado dos alunos. Enquanto o antigo boletim evidencia apenas números, os relatórios mostram detalhes da aprendizagem, tendo como base diversos aspectos relacionados ao estudante, como criatividade, comportamentos sociais e solução de problemas, além pontos técnicos que se referem às disciplinas, bem como desempenho global dos estudantes.

A análise do documento permite um ensino personalizado a partir da identificação dos pontos em que os educandos precisam de mais atenção e suporte. Com isso, os professores e pedagogos podem criar estratégias didáticas específicas para contemplar os pontos de dificuldade do aluno.

Uma pesquisa feita pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) com adolescentes de 15 anos, em 70 países, revelou que os estudantes cujos pais participam da sua aprendizagem têm um melhor desempenho, alcançando uma média de 414,08 pontos em ciências, por exemplo.

Diante disso, o relatório é importante para que os responsáveis se mantenham informados e participativos sobre a vida escolar da criança ou adolescente, ajudando-o a se desenvolver não só na sala de aula, mas também nas atividades realizadas em casa.

O que é um relatório escolar e como ele pode ajudar a melhorar o ensino?

Quais são os tipos de relatório escolar?

Antes de qualquer coisa, há que se dizer que não existe um único tipo de relatório escolar correto, haja vista que há diversos modelos, que se distinguem pela forma como são colocados em prática. Conheça os principais métodos avaliativos e como realizá-los.

Avaliações tradicionais

Geralmente, as avaliações tradicionais, como trabalhos e exames, são as mais utilizadas pelas instituições de ensino na hora de produzir o relatório escolar. A aplicação desses formatos possibilita verificar qual é o nível de compreensão do aluno sobre um determinado assunto e, assim, quantificar o aprendizado.

Para isso, é necessário que os professores elaborem provas ou trabalhos que abordem os assuntos trabalhados em sala de aula, de uma maneira que possibilite aos discentes expressar os seus conhecimentos. É importante respeitar o nível de complexidade das atividades trabalhadas anteriormente nas aulas.

Discussões abertas

Ouvir os alunos também é uma forma muito funcional de ficar a par dos seus êxitos e dificuldades. É exatamente isso que as discussões abertas proporcionam, já que dão aos educandos a oportunidade de falar abertamente o que pensam sobre os métodos utilizados para lecionar os conteúdos da disciplina, o que aprenderam, quais foram os maiores desafios e o que acreditam que poderia ter sido melhor.

Nesse caso, a alternativa é mais indicada para o público adolescente, que tem mais facilidade para entender o propósito da avaliação. O professor vai ser o mediador da conversa, dando espaço para que todos os discentes falem sobre as suas experiências, além de anotar individualmente as informações fornecidas por eles.

A reunião do grupo também pode mostrar aspectos coletivos que o educador ainda não tinha se dado conta e encorajar a turma a dar feedbacks que apontam quais pontos devem ser reforçados nas aulas. Para melhores resultados, recomenda-se que o processo se repita trimestralmente.

Trabalhos em grupo

Se a intenção é avaliar o comportamento e desenvolvimento social dos estudantes, uma das melhores práticas são os trabalhos em grupo, que mostram a capacidade de interação, responsabilidade, comprometimento e cooperação do estudante com os colegas.

O método é bem simples: basta separar a turma em grupos, orientando-os sobre o tipo de trabalho que deve ser desenvolvido, em qual formato e como será apresentado. Durante a apresentação do trabalho, o professor conseguirá construir o relatório com base na avaliação da participação coletiva e individual dos estudantes.

Autoavaliações

Essa é mais uma opção que se adequa melhor aos adolescentes, que normalmente têm uma maior capacidade de discernimento, podendo fazer uma autoavaliação do seu desenvolvimento sobre os conteúdos lecionados. Aqui, o aluno tem a chance de manifestar a sua visão sobre o próprio aprendizado.

A autoavaliação pode ser feita de maneira oral ou por escrito. O ideal é que os educadores tragam pontos que orientem o aluno sobre como se autoavaliar, com os itens que devem ser considerados nesse processo, para que tenham um ponto de partida para a sua reflexão.

O relatório escolar é uma atividade de suma importância na rotina dos educadores, pois possibilita uma melhor compreensão do desenvolvimento de cada aluno — fator indispensável e que serve de guia para o aperfeiçoamento do planejamento e estratégias de aprendizagens aplicadas em sala de aula.

Nesse contexto, a tecnologia é uma grande aliada das escolas, como é o caso de plataformas específicas para o aluno, em que ficam registradas as suas tarefas diárias, além do desempenho em trabalho e provas. Assim, os professores podem acessar dados seguros e detalhados sobre a performance dos estudantes, o que contribui para a construção de relatórios mais precisos.

Quer fazer relatórios mais modernos e eficientes? Veja como o relatório individual do aluno funciona na Plataforma Eleva!

Café Com Prof 1
[eBook Gratuito]
[eBook Gratuito]