7 passos para reduzir custos na escola sem perder a qualidade

7 passos para reduzir custos na escola sem perder a qualidade
6 minutos para ler

Manter uma escola não é algo fácil. Afinal, existem diversos compromissos financeiros para garantir um bom padrão e uma estrutura necessária para oferecer um ensino de qualidade aos jovens. Sendo assim, é importante adotar medidas que possam reduzir custos na escola e otimizar cada investimento.

No post a seguir, entenda a importância de realizar o controle financeiro da escola e veja ainda 7 dicas para reduzir os custos de sua manutenção!

A importância do controle financeiro na escola

Uma escola depende de investimentos em vários aspectos para se manter. Tanto no quesito operacional quanto na adoção de novas tecnologias para melhorar o ensino, os custos são consideráveis.

Sendo assim, é preciso ter um grande controle financeiro, a fim de que haja recursos suficientes para cada necessidade. Para isso, também é preciso realizar uma boa gestão financeira. Isso porque, com o planejamento certo, é possível analisar as entradas e saídas, reduzir custos na escola, organizar o futuro e aproveitar novas oportunidades.

De outra forma, o gestor correria o risco de não saber aplicar bem o dinheiro, deixar passar o pagamento de compromissos e colocar em risco o equilíbrio e a saúde econômica da instituição.

Como reduzir custos na escola com 7 dicas

Investir em reduzir custos na escola é muito importante. Felizmente, é possível fazer isso sem perder a qualidade do ensino ou comprometer as necessidades da instituição. Veja como com as 7 dicas a seguir!

1. Conscientize a equipe

Não é possível reduzir custos na escola se somente uma pessoa na gestão adotar certas medidas. Além disso, é preciso que toda a equipe se conscientize e, por sua vez, transmita aos alunos as ações que eles também podem tomar para otimizar os gastos da escola. Isso é especialmente importante quando se trata do uso de materiais e recursos que, no final do mês, podem fazer bastante diferença.

Dessa forma, além de criar uma boa cultura organizacional, as pessoas podem ter uma maior consciência do custo e disponibilidade de recursos para seu trabalho, evitando o desperdício e ajudando a escola.

2. Aposte em sustentabilidade

A adoção de ações sustentáveis nas empresas tem se tornado algo bastante comum nos últimos anos. Afinal, além da responsabilidade social, é possível garantir uma boa redução de custos com essas iniciativas.

Com o investimento em energia renovável, por exemplo, a conta de luz da instituição pode ficar mais barata, já que se utiliza um sistema limpo com a instalação de painéis solares. Já adotar lâmpadas LED em todas as salas e criar campanhas para o uso consciente de luzes e equipamentos eletrônicos são outras medidas que ajudam nesse fator.

Além disso, também é possível aplicar outras soluções e engajar os alunos, como:

  • não desperdiçar alimentos;
  • trazer sua própria garrafa de água;
  • reciclar;
  • reaproveitar papéis;
  • criar uma horta.

3. Otimize os canais de comunicação

A comunicação entre escola, pais e alunos é outro aspecto que, além de melhorado, pode contribuir com a economia. Isso porque, quando se disponibiliza canais de atendimento tradicionais, como ligações telefônicas, é necessário ter um funcionário para cuidar desse setor e também há muitos gastos com tarifas.

Nesse sentido, otimizar os canais de comunicação e incentivar os alunos e seus pais a usá-los é uma forma de economizar, deixando esse tipo de despesa apenas para o que é realmente necessário.

Dessa forma, contar com aplicativos de mensagens ou realizar a comunicação dentro de um sistema próprio da escola, como plataformas de ensino, pode ajudar nesse aspecto, unindo mais necessidades em um só lugar, facilitando o atendimento e reduzindo custos.

4. Controle a inadimplência

A inadimplência é um fator que desestabiliza todo o planejamento financeiro da escola para o ano. Sendo assim, é fundamental tomar medidas para controlá-la e reduzi-la.

Para isso, é interessante contar com uma equipe especializada, que possa conversar com os pais dos alunos e propor boas condições de pagamento e, inclusive, vantagens para pagamentos antecipados ou caso a família tenha mais de um filho matriculado.

5. Digitalize processos

As escolas são conhecidas por lidar com muitos dados, papéis e processos. Contudo, em um mundo digital, não faz mais sentido manter um grande número de arquivos com documentos impressos, que representam um grande investimento em tinta e folhas.

Assim, é mais produtivo e prático digitalizar os processos e assumir uma cultura digital, na qual os dados dos alunos e todas as informações da escola possam estar disponíveis em sistemas próprios da escola, tanto para o gestor quanto para aqueles da equipe que precisarem. Dessa forma, os custos com espaço e materiais são reduzidos.

6. Corte gastos

Para reduzir custos na escola, também é preciso olhar para o ambiente interno e descobrir onde é possível economizar e cortar gastos. Nesse sentido, cada pequeno detalhe pode fazer uma grande diferença, especialmente na hora de lidar com uma grande quantidade de pessoas.

Sendo assim, além de identificar despesas que possam ser diminuídas ou otimizadas, como com a troca de fornecedores, por exemplo, é importante olhar para os gastos do futuro e analisar a sua necessidade. Nesse caso, é importante não ter medo de mudar e optar por soluções que podem ser melhores e mais baratas.

7. Planeje a retenção dos alunos

O período de matrículas é sempre um momento complicado na escola. Afinal, é preciso captar novos alunos e trabalhar a retenção para que as turmas fechem.

Dessa forma, é importante ter um cuidado extra nessa época, criando campanhas de marketing, ouvindo os pais dos alunos e os estudantes e oferecendo boas condições para que continuem. Afinal, mantendo ou aumentando o número de alunos, as receitas crescem, há equilíbrio na gestão de custos e pode-se disponibilizar recursos para melhorias futuras.

Pensar em reduzir custos na escola é uma prática muito importante, pois além de otimizar processos e garantir um melhor uso do dinheiro, é algo que interfere diretamente em uma maior competitividade.

Se é possível gastar menos, sem perder a qualidade, a escola conta com mais possibilidades de investir em melhorias e também cresce no mercado. Por isso, aplique as nossas dicas no seu dia a dia e determine um bom planejamento para reduzir os custos e otimizar os investimentos na sua escola.

Gostou do post? Compartilhe-o nas suas redes sociais e mostre a outros gestores como essas dicas podem ser úteis!

7 passos para reduzir custos na escola sem perder a qualidade