Pensamento crítico: qual é a sua importância e como ensinar aos alunos?

pensamento crítico
7 minutos para ler

O pensamento crítico é a habilidade de analisar temas com clareza e racionalidade, compreendendo as informações de maneira objetiva e com ampla capacidade de julgamento. Aplicado no ambiente escolar e na vida como o todo, é algo que envolve a análise de recursos, fenômenos, fatos, datas e outras referências para auxiliar na tomada de decisão estratégica.

Para os alunos, o pensamento crítico pode contribuir de maneira muito positiva, seja nas formas de pensar sobre quais disciplinas priorizar no estudo ou na necessidade de uma pausa para descanso. Ainda assim, também é uma habilidade que auxilia quanto à análise das questões apresentadas pelos professores. Por isso, contribui para uma melhor compreensão dos temas abordados.

Quer saber mais sobre a importância do pensamento crítico e como estimulá-lo em sala de aula? Neste conteúdo, você descobre como essa capacidade pode contribuir para o engajamento dos alunos. Confira!

Saiba como o pensamento crítico se aplica para os alunos

Quando um aluno é convidado a refletir sobre uma questão, o processo de aprendizado se acelera. Uma das maneiras de compreender uma questão, que se encaixa no pensamento crítico, é por meio da solução de problemas. Para tal, pode-se contar com o apoio da tecnologia na educação para potencializar as pesquisas e análises.

Essa é uma prática que alimenta o questionamento e faz com que o estudante aprenda habilidades que serão úteis não apenas no período escolas, mas também na vida adulta — até mesmo durante a carreira profissional.

O pensamento crítico é um hábito. É algo que deve ser desenvolvido continuamente, com o auxílio dos educadores e familiares. Ele está interligado com a capacidade analítica, que também ressalta a necessidade de que as emoções sejam colocadas em segundo plano.

Como desenvolver o pensamento crítico?

O pensamento crítico pode ser desenvolvido essencialmente na prática diária. Não é algo que será assimilado de forma instantânea. É necessário um estímulo contínuo, que pode ocorrer com o apoio de:

  • exercícios contextualizados que estimulem a identificação de um problema;
  • conversas sobre temas atuais, como os impactos da pandemia nas nações, avaliando diferenças de ações e posicionamentos (a ser trabalhado nas aulas de geografia);
  • abordagem relacionada com a história de outras grandes pandemias que impactaram o mundo (tema que pode ser debatido em aulas de história);
  • análise de soluções que funcionaram ou não funcionaram;
  • desenvolvimento de reflexões relacionadas com questões sociais;
  • combinação da criatividade com a análise de dados;
  • coleta de informações por meio de pesquisas, conectadas com as aulas de ciências ou mesmo com a geografia — permitindo ações altamente práticas;
  • processo de descoberta para formas de identificar e implementar uma solução para problema.

Dessa forma, pode-se perceber que é muito simples desenvolver o pensamento crítico. Ele pode ser estimulado em meio às tarefas cotidianas, devendo ser incluído no ensino e no compartilhamento de informações em variadas disciplinas.

Quais os benefícios do pensamento crítico?

O desenvolvimento dessa habilidade contribui ativamente para o aluno. Entre exemplos, pode-se perceber:

  • melhor análise dos fatos;
  • solução de problemas agilizada;
  • aprimoramento na comunicação;
  • observação ativa das situações.

Por fim, estimular o pensamento crítico também permite que os jovens tenham a capacidade de julgar, interpretar, questionar, reconhecer padrões e quebrar o ceticismo.

Veja como desenvolver o pensamento crítico nos alunos

Uma educação interdisciplinar contribui fortemente para a conquista do pensamento crítico pelos alunos. Uma forma de contribuir para tal é criando um ambiente propício para o questionamento e para a interação.

Nesse contexto, as atividades coletivas — como os trabalhos em grupo ou as pesquisas compartilhadas — são uma ótima sugestão. Elas permitem a troca de ideias, que contribui para uma discussão ativa.

É o que acontece quando os professores convidam os alunos para realizar um trabalho que envolva algum tipo de entrevista ou troca de ideias com pessoas que tenham algum conhecimento prático (que se relacione com o tema abordado em sala de aula). Ou mesmo quando as atividades permitem que as famílias se reúnam em torno dos estudos, para criar, refletir e debater.

Outra abordagem muito adequada para o pensamento crítico é a apresentação de problemas que devem ser solucionados. Construir uma situação complexa ou levar para a sala de aula algo que está em voga na sociedade serão atividades envolventes.

Dessa forma, o estudante pode engajar com o tópico a ser abordado, incentivando o contato entre a comunidade escolar com a família e os amigos, até chegar a uma conclusão.

Comece incentivando os debates e estimulando a reflexão

Incentivar os debates em sala de aula é uma das maneiras mais ricas de se trabalhar o pensamento crítico. Para tal, a cada assunto tratado em uma disciplina, pode-se separar um momento para que os estudantes possam compartilhar a sua opinião — inicialmente em grupo, posteriormente para toda a turma.

Os benefícios são inúmeros, e vão desde ao aprendizado da argumentação, até o respeito às opiniões diversas.

A boa notícia é que não existe uma idade mínima para se começar a trabalhar o pensamento crítico dos alunos. Ainda na educação infantil, é possível contribuir para tal, estimulando a participação de toda a turma nas conversas sobre os assuntos mais diversos.

O incentivo, no entanto, não deve acontecer sob a forma de crítica ou questionamento. Ele deve ser feito com naturalidade. Ou seja, dando espaço para que o maior número de pessoas participe das interações.

Entenda como incentivar o pensamento crítico

A tecnologia na educação é uma importante aliada para o estímulo do pensamento crítico nos estudantes. Acima de tudo, ela possibilita o acesso à informação, por meio de pesquisas aprofundadas e rápidas.

Com recursos digitais é possível validar a veracidade das informações, esclarecer dúvidas, coletar dados e reunir recursos e referência que deixem o debate ainda mais rico. Por isso, a internet e suas ferramentas disponibilizam maneiras diversas para conectar a pesquisa de um tema com a realidade do momento.

Com o acesso à internet, as escolas podem contar com ferramentas muito poderosas. Entre elas, áudios digitais, bancos de imagens, vídeos, jogos digitais, visitas em museus, entre outros, que ampliam muito o pensamento do estudante.

Para superar os desafios da desinformação, os recursos tecnológicos garantem uma riqueza de informações. Tanto as soft skills quanto as hard skills são beneficiadas e podem favorecer significativamente a vida do estudante.

O pensamento crítico é algo essencial na formação do indivíduo. Ele vai contribuir para que uma pessoa seja capaz de refletir sobre uma questão, avaliar todo o contexto, analisar fatores internos e externos, ter uma capacidade de decisão mais avançada e resolver problemas de forma assertiva.

O aluno com habilidades avançadas de pensamento crítico será capaz de separar opiniões pessoais dos fatos. Com isso, ele conseguirá avaliar os dois lados de uma situação, sabendo como tirar conclusões sem, necessariamente, misturar julgamentos pessoais com fatos reais.

Agora que você já sabe o que é pensamento crítico, aproveite para descobrir como ele pode ser ensinado com ajuda da tecnologia educacional.

Pensamento crítico: qual é a sua importância e como ensinar aos alunos?