Pesquisa sobre ensino remoto: o que avaliar e por que é tão importante?

pesquisa sobre ensino remoto
7 minutos para ler

A educação foi um dos setores mais afetados com a pandemia do novo coronavírus. Para continuar funcionando, as escolas não tiveram outra saída a não ser adotar o ensino online ― em certos casos, de maneira improvisada, com poucos recursos e a inexperiência comum dos profissionais ao lidar com as novas tecnologias e inovação.

Por outro lado, dificilmente as atividades online deixarão de ser usadas no período pós-pandemia pelo fato de irem ao encontro das tendências para a educação no século XXI, oriundas principalmente da transformação digital.

Como toda fase de amplas mudanças precisa ser realizada com cautela e planejamento, ouvir o feedback da comunidade escolar (alunos, professores, pais etc.) é importante para que a direção e a coordenação da instituição de ensino consigam construir atividades pedagógicas na pandemia que realmente contribuam para a formação dos alunos.

Então, neste post, vamos falar a respeito da pesquisa sobre ensino remoto e por que você deve considerá-la como parte do seu processo educacional!

Qual a importância de avaliar o ensino remoto?

Até antes da pandemia, os recursos digitais posicionavam-se como uma ferramenta a mais para o ensino, embora a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aborde a necessidade da inclusão de Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs) no contexto escolar.

Acontece que a surpresa da pandemia exigiu políticas pedagógicas emergenciais e deu pouco tempo às escolas, não apenas para se adaptarem, mas, principalmente, para construírem uma cultura digital junto aos alunos e suas famílias.

Por esse motivo, a pesquisa sobre ensino remoto tem o objetivo de estreitar a comunicação entre a família, professores e escola, a fim de que o trabalho pedagógico seja realizado de maneira mais sólida e capaz de favorecer o protagonismo do aluno.

Do ponto de vista da gestão escolar, essa interação propõe dar voz aos atores envolvidos diretamente no dia a dia do ensino remoto e ouvir suas opiniões, críticas e sugestões. Ao mesmo tempo, promover mudanças a partir dessas considerações permite melhorar o serviço prestado, bem como estimular a confiança no papel da escola.

O que é preciso saber a respeito da pesquisa sobre ensino remoto?

Nos tópicos a seguir, separamos alguns pontos importantes a serem considerados na pesquisa sobre ensino remoto. Confira!

Como funciona

A melhor forma de realizar uma pesquisa de ensino remoto é englobar questões técnicas, pedagógicas e institucionais, levando em consideração as necessidades individuais de cada grupo de alunos.

As respostas permitiram entender questões macro ― como informações sobre a postura da escola em relação ao ensino remoto e a qualidade das ferramentas e tecnologias utilizadas ― e específicas dos níveis de ensino.

Além disso, é preciso planejar sua pesquisa para que a taxa de retorno seja alta. Para isso, crie um questionário de fácil preenchimento e bastante objetivo, utilizando uma estratégia que forneça dados reais.

O que avaliar

Veja os principais temas a serem avaliados por meio da pesquisa sobre ensino remoto:

  • Atividades e aulas: qual a eficiência das atividades propostas, transmissões ao vivo e videoaulas?
  • Comunicação com a escola: qual a eficiência dos canais de comunicação disponíveis para contato com professores e a própria escola?
  • Acompanhamento pedagógico: como é a qualidade do acompanhamento pedagógico e controle da presença nas aulas online?
  • Cronograma: o cronograma de aulas respeita o currículo e tem horários predeterminados?
  • Efetividade: as habilidades previstas no projeto pedagógico estão sendo bem desenvolvidas com os recursos das aulas online?
  • Funcionalidade: as funcionalidades dos recursos disponíveis permitem fácil acesso aos conteúdos e alto desempenho nas habilidades previstas?
  • Instrumentos de avaliação: as técnicas e instrumentos de avaliação são satisfatórios?
  • Materiais didáticos: os materiais didáticos que complementam as atividades online contribuem para a aprendizagem?
  • Orientações dos professores: os alunos conseguem receber a atenção necessária dos professores?
  • Planejamento: como a escola adaptou seu Projeto Político Pedagógico (PPP) ao ensino remoto na pandemia?
  • Plano de aula: o plano de aula atual facilita a adesão dos alunos e pais?
  • Recursos digitais: há uma variabilidade de recursos digitais disponíveis (videoaulas, exercícios, testes, fóruns, jogos, canais de comunicação)?

Como elaborar

Para aplicar sua pesquisa sobre ensino remoto, a metodologia mais recomendada é a NPS (Net Promoter Score), criada pelo estrategista de negócios norte-americano, Fred Reichheld. Além de permitir o conhecimento de dados concretos, esse é um instrumento muito utilizado pela área de marketing nas pesquisas de satisfação e fidelização de clientes, e consagrado pela Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Para cada pergunta que fizer utilize uma escola de 0 a 10, sendo que:

  • 0 a 6 = insatisfação;
  • 7 ou 8 = neutralidade;
  • 9 ou 10 = satisfação.

O cálculo do índice de satisfação é feito subtraindo o percentual de insatisfação pelo percentual de satisfação de cada resposta. Com isso, é possível identificar pontos positivos e que precisam de melhoria.

As etapas de construção de sua pesquisa, com base na NPS, são:

  • definir corretamente os objetivos ― qual a pretensão da escola com os resultados;
  • alinhar cada questão aos objetivos, de maneira precisa;
  • ter assertividade na comunicação com os pais;
  • manter a confidencialidade do participante;
  • classificar e interpretar os resultados, identificando corretamente cada grupo de respostas.

Quais são as dicas para fazer uma pesquisa eficiente?

Agora que você já sabe por que e como elaborar uma pesquisa sobre ensino remoto, veja algumas dicas para ganhar eficiência nessa ação.

Determine a melhor maneira de veicular a pesquisa

Certifique-se de que o canal por onde será respondida a pesquisa é de fácil acesso aos entrevistados. Uma saída mais sofisticada é adaptar a plataforma de estudos, criando um hotsite da pesquisa, ou por meio de um aplicativo para isso. Porém, se economizar é a melhor alternativa, formulários do Google, do Typeform ou do SurveyMonkey são gratuitos e podem ser facilmente preenchidos até mesmo pelo celular.

Faça perguntas simplificadas

Não faça textos complicados para evitar que o entrevistado fique confuso. Logo abaixo de cada pergunta, crie de forma bem clara os botões com a escala de satisfação. Permita também que sejam feitos comentários para justificar a resposta ou dar algum feedback.

Ordene as perguntas de maneira lógica

Lembra-se dos temas propostos? Pois bem, organize-os de maneira lógica para facilitar o raciocínio dos entrevistados. Além disso, essa ordem facilita que eles compreendam o que são questões amplas ou específicas de um curso ou faixa etária.

Quem ainda pensa que a tecnologia afasta as pessoas sem dúvida está enganado. Ao romper as barreiras geográficas, nunca estivemos tão conectados uns aos outros. Logo, é possível conhecer em detalhes os movimentos do nosso público, o que ele pensa e como gostaria de receber nossos serviços.

No que tange à educação, a pesquisa sobre ensino remoto contribui positivamente para o oferecimento de um ensino de maior qualidade, bem como oferece inúmeros insumos para um processo de melhoria contínuo na escola.

Já que estamos falando de tecnologia na escola, clique aqui e baixe nosso e-book sobre Tecnologia Humanizada.

Pesquisa sobre ensino remoto: o que avaliar e por que é tão importante?Powered by Rock Convert