Veja como será o protagonismo do aluno no Novo Ensino Médio

Veja como será o protagonismo do aluno no Novo Ensino Médio
7 minutos para ler

O ensino tradicional como vem sendo aplicado há décadas deixou de ser atrativo para os estudantes brasileiros, o que leva milhões deles a deixarem a escola antes mesmo de concluírem o seu ciclo de aprendizagem.

Para combater esse e outros problemas, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) propôs a criação do Novo Ensino Médio, que tem como objetivo aumentar o protagonismo do aluno e, consequentemente, o seu engajamento escolar.

De acordo com o projeto de lei (nº 13.415/2017), a implementação do Novo Ensino Médio deve ser iniciada em 2021 e finalizada em 2022. Assim, é fundamental que as instituições de ensino se adequem à proposta, além de adotar medidas que estimulem os discentes a assumirem a autonomia dos seus estudos da melhor forma possível.

Quer ser bem-sucedido nesse processo? Acompanhe, neste post, o que é e como trabalhar o protagonismo do aluno na sua escola!

Quais são as mudanças propostas pelo Novo Ensino Médio?

De modo geral, o Novo Ensino Médio pretende trazer mais dinamismo para a formação dos alunos, atendendo as demandas da sociedade atual, o que inclui as habilidades técnicas exigidas pelo mercado de trabalho.

Levando isso em consideração, foi determinada a flexibilização da grade curricular, que garante que 40% da carga horária de estudos seja definida pelo próprio aluno, que vai ter à disposição os seguintes itinerários formativos:

  • Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias;
  • Matemática e Suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas;
  • Ciências da Natureza;
  • Formação Técnica e Profissional.

Vale ressaltar que a escola tem a obrigação de oferecer apenas um itinerário formativo, estando livre para adicionar trilhas disciplinares relacionadas aos itinerários disponibilizados. A intenção do Ministério da Educação (MEC) é contribuir para a integração entre os ensinos regular e técnico — logo, enquanto o aluno estuda, ele já vai estar se preparando para o mercado de trabalho.

Outra novidade diz respeito à tecnologia e inovação, uma vez que 20% das aulas poderão ser lecionadas na modalidade de educação a distância (EAD), podendo chegar a 30% para o curso lecionado no período noturno.

Por que o protagonismo do aluno é um dos principais pontos do Novo Ensino Médio?

A ideia do Novo Ensino Médio é fazer com que o aluno ocupe o papel principal na jornada da aprendizagem. Nesse projeto, ele deixa de ser apenas o receptor de informações e passa a construir o seu conhecimento em parceria com os educadores.

Uma educação mais centrada no discente ajuda a despertar os seus interesses, aumentando o seu engajamento com as aulas. E esse fator contribui para reduzir a evasão escolar e prepara o indivíduo para lidar melhor com os desafios da vida adulta.

Para tanto, a proposta criou os itinerários formativos, que se caracterizam como um conjunto de disciplinas, oficinas, projetos e núcleos de estudo, que podem ser escolhidos pelo estudante. Assim, ele tem autonomia para decidir o que e quando deseja aprender, conduzindo o seu processo de aprendizagem conforme as suas necessidades.

Porém, o aluno sempre será orientado pela instituição de ensino e educadores que, juntos, vão auxiliá-lo a fazer uma escolha responsável, disponibilizando um ambiente adequado e ferramentas necessárias para a sua formação.

Segundo o MEC, a nova organização curricular foi projetada para compreender as expectativas dos jovens, permitindo que aprofundem os seus estudos nas áreas de conhecimentos com as quais mais se identificam e têm pretensão de seguir carreira. Nesse contexto, a tendência é que os alunos se sintam estimulados a participar mais das aulas e permanecer na escola.

Como estimular o protagonismo do aluno?

É importante ter em mente que o protagonismo do aluno não se resume apenas à possibilidade de escolher o que deseja estudar, pois também envolve a forma como ele age e contribui para o seu desenvolvimento e o da comunidade escolar como um tudo.

Diante disso, é importante que a escola estimule o estudante a verdadeiramente ocupar a função de protagonista. Confira as melhores dicas para fazer isso na prática.

Abra espaço para a criatividade

O protagonismo dos estudantes está diretamente ligado à criatividade, que é indispensável para desenvolver o pensamento crítico e inovador. Ao estimular o lado criativo, os estudantes trabalham a sua curiosidade natural pelo mundo e pelas coisas, bem como a capacidade de analisar as situações, administrar emoções e pensamentos e fazer escolhas.

Nesse sentido, é preciso que a escola dê aos alunos formas de compartilhar suas ideias nas aulas e demais eventos e construam soluções que sejam vantajosas para todos. Dessa maneira, terão uma sensação maior de pertencimento e de que são relevantes para o bom funcionamento da instituição de ensino.

Incentive a comunicação

Uma boa comunicação é indispensável para que o aluno aprenda a se posicionar nas situações vivenciadas na rotina escolar e na vida fora da sala de aula. Sendo assim, proporcione um ambiente favorável ao diálogo, em que os estudantes entendam a necessidade de considerar a opinião do outro e tomar decisões em grupo.

Nessas circunstâncias, os jovens percebem a variedade de perspectivas existentes e aprimoram a habilidade de analisar os diferentes pontos de vista sobre um único assunto. Com isso, o estudante protagonista passa a ter um olhar crítico sobre os temas lecionados pelos professores, tendo condições de estabelecer correlações com outros assuntos e, assim, formar uma opinião própria, sem deixar de respeitar a dos seus colegas.

Trabalhe a autonomia responsável

Não basta somente pedir para que os alunos façam as suas escolhas no decorrer do processo de aprendizagem — é necessário auxiliá-los a seguir esse caminho de forma consciente e responsável. Para isso, ofereça as ferramentas adequadas para que busquem novos conhecimentos, indo além do que é ensinado nas aulas, por exemplo.

Além disso, oriente o jovem a colocar na balança todos os prós e contras de uma situação antes de chegar a conclusões e tomar as suas decisões. Ressalte que cada escolha tem consequências, que terão que ser assumidas por ele, e que é preciso considerar não só o seu presente, mas também o seu futuro.

Qual deve ser o papel do professor nessa mudança?

Uma vez que o protagonismo do aluno é o objetivo principal da escola, o papel do professor sofre alterações, pois ele deixa de ser visto apenas como fonte de transmissão de conhecimento para também assumir a função de facilitador e mediador do processo de aprendizagem.

Isso significa que o educador tem a missão de guiar os estudantes, dando liberdade para que, em conjunto, consigam decidir para qual direção despender os seus esforços de aprendizado.

Em linhas gerais, o protagonismo não significa que o aluno vai estar apto a seguir as suas vontades individuais, sem qualquer tipo de questionamento ou limite. Isso porque, mais do que estimular a participação do discente no cotidiano escolar, o professor vai conduzi-lo para que siga um propósito inteligente e adequado às suas necessidades e objetivos de vida.

A partir do Novo Ensino Médio, o protagonismo do aluno é entendido como uma construção coletiva, que será aplicado em todos os momentos. Dessa forma, os discentes ganham autonomia e se tornam cidadãos amplamente preparados para lidar com as suas responsabilidades sociais e desafios enfrentados durante e depois da formação escolar.

Quer preparar a sua escola para a nova realidade de ensino? Veja como implementar o Projeto de Vida do Novo Ensino Médio!