Transformação da educação na prática: casos de sucesso

Transformação da educação na prática: casos de sucesso
10 minutos para ler

Observando a forma como temos nos relacionado com outras pessoas e superado as dificuldades durante a pandemia do novo coronavírus, fica clara a nossa capacidade de adaptação. Entre as mudanças que temos enfrentado, a transformação da educação foi, de longe, a mais impactante.

Esse cenário pandêmico foi e ainda tem sido desfavorável a todos os setores econômicos e sociais. Evidentemente, a educação não estaria imune às consequências negativas desse quadro.

De acordo com a UNICEF, cerca de 1,6 bilhões de estudantes ao redor do globo tiveram sua trajetória escolar severamente prejudicada durante a crise sanitária. O dado apenas comprova a urgência em desenvolver métodos educacionais que sanem essa lacuna.

Pensando nisso, neste artigo vamos mostrar como a tecnologia pode ser uma grande aliada para promover a transformação da educação durante a crise sanitária e após o período pandêmico. Continue a leitura e confira!

Quais os impactos da pandemia na educação brasileira?

Os estudantes do mundo inteiro sentiram as duras consequências da suspensão das aulas presenciais e da migração para o modelo não presencial.

No Brasil, quase 20 milhões de alunos matriculados na educação básica e superior sofreram com o fechamento das escolas e universidades Como consequência, os estudantes foram impedidos de crescer acadêmica e cognitivamente, gerando, inclusive, complicações no desenvolvimento socioemocional.

No entanto, o contexto educacional brasileiro já se mostrava desfavorável antes mesmo da chegada do vírus em território nacional, uma vez que as lideranças políticas há muito tempo menosprezam alguns propósitos educacionais considerados imprescindíveis.

Manutenção de métodos obsoletos

Um problema facilmente observado hoje é a pressão sofrida pelos estudantes durante a preparação e realização de exames vestibulares. Os alunos precisam decorar incontáveis informações e conceitos para se sair bem nas provas.

No entanto, técnicas baseadas na repetição, memorização e massificação dos conteúdos estão para lá de obsoletas. Há muito tempo é discutida a eficácia desses métodos no processo de aprendizagem, e várias metodologias de ensino já deixaram de aplicá-los.

As pessoas só conseguem entender os conteúdos quando veem a aplicabilidade daquele conhecimento em seu dia a dia. Estabelecer essa relação entre o aprendizado e o cotidiano dos alunos é o primeiro passo para a transformação da educação.

Falta de interação social entre os alunos

A rígida rotina de decorar as informações de todas as disciplinas era, de certa forma, aliviada pela interação social de professores e alunos no ambiente escolar. As conversas, trocas e brincadeiras ocorriam de forma natural e tornavam a experiência mais enriquecedora.

Na esfera remota, entretanto, é um pouco mais complicado preservar essa espontaneidade ― mas apenas num primeiro momento. Alunos com câmeras e microfones fechados dificultam a criação de laços socioemocionais, tão importantes para o aprendizado.

Essa dificuldade de engajar os estudantes tem várias razões, mas talvez a principal tenha relação com a forma brusca como o processo de ensino-aprendizagem foi rapidamente migrado para os meios digitais. As instituições apenas replicaram os métodos presenciais dentro do campo online, acentuando traços como desinteresse, desmotivação e até a evasão escolar.

Nessas horas, vemos que a transformação da educação é urgente e precisa começar já. A boa notícia é que podemos promover essa mudança por meio da tecnologia, e já temos bons exemplos de como isso é possível.

Como promover a transformação da educação? Veja 3 casos de sucesso

Diante de todos os obstáculos enfrentados durante a pandemia pelas quase 180 mil escolas brasileiras, há apenas uma certeza irrefutável: cada instituição educacional fez o possível para oferecer as melhores soluções para que os estudantes conseguissem manter um nível razoável de aprendizagem.

No entanto, com o grande número de alunos em ambiente escolar ― número esse que tem aumentado gradativamente ―, o principal desafio se tornou adaptar o currículo a essa nova realidade e tentar oferecer uma experiência completa para os estudantes que estão aprendendo em casa.

Para promover a transformação da educação, é fundamental que as instituições escolares consigam aprender umas com as outras, trocar experiências e práticas de sucesso e, por fim, idealizar o que de efetivo e acertado pode permanecer quando finalmente os alunos puderem comparecer à escola presencialmente.

Pensando em ajudar outras instituições de ensino interessadas em dar início à transformação da educação, separamos três escolas parceiras do Sistema de Ensino Eleva que tiveram sucesso e podem servir de inspiração. Acompanhe!

1. Colégio Módulo

Para o Dia do Vestibulando, comemorado no dia 24 de maio, o Colégio Módulo buscou ir além. A escola desenvolveu uma série de práticas e atividades ao longo do que foi intitulado de mês do vestibulando. O objetivo da ação foi tentar aproximar os alunos e trazer mais dinamismo para o cenário de ensino completamente remoto.

Esse talvez seja, inclusive, o grande problema enfrentado pelos estudantes do último ciclo da educação básica: a preocupação com o vestibular leva a um alto nível de afastamento dos colegas e da realidade fora do núcleo educacional.

Dessa maneira, as lideranças da escola convidaram semanalmente profissionais de diversas áreas para conversar com os alunos sobre o mercado de trabalho dentro da realidade de cada profissão e, claro, como tem sido o processo de adaptação durante a pandemia.

Transformação da educação na prática: casos de sucesso

Além disso, para fechar o projeto com chave de ouro, no dia 24 de maio, ex-alunos aprovados no ano anterior nos mais diversos vestibulares de 2020 foram convidados para uma conversa bem dinâmica sobre diferentes métodos e estratégias de estudo que deram certo dentro do contexto de ensino remoto.

O Colégio Módulo buscou também alunos que já se encontram na graduação para compartilhar um pouco da experiência do ensino superior e falar sobre aspectos cruciais envolvidos no contexto universitário.

2. Colégio Saint John

Transformação da educação por meio da inovação é uma realidade bastante concreta no Colégio Saint John, no Rio de Janeiro. A instituição escolar adaptou suas disciplinas eletivas oferecidas antes apenas no formato presencial para o modelo híbrido ― que mescla ambiente físico e virtual.

Disciplinas como Meio ambiente e Saúde, Relações Internacionais e Direito Constitucional, Empreendedorismo e Gastronomia são exemplos de unidades eletivas que promovem práticas experimentais, discussões sobre diferentes temas.

Esses debates levam em conta o contexto atual e a realidade dos alunos, gerado reflexões sobre aborto, aquecimento global, política etc. Além disso, há um grande incentivo para que tais disciplinas não sejam trabalhadas de forma independente e que passem a conversar entre si, de maneira interdisciplinar.

Temáticas tão importantes não poderiam deixar de ser trabalhadas em razão da pandemia. E é aí que entra a inovação como promotora da transformação da educação.

Em uma das ações, a escola convidou uma empreendedora que produz biquínis utilizando redes de pesca para dar uma palestra aos alunos das disciplinas de Empreendedorismo, Direito Constitucional e Relações Internacionais.

Fazer essa interseção foi possível porque a convidada obtém as redes de grandes pesqueiros internacionais que as jogam no mar. Essa informação permitiu que ela também abordasse tópicos pertinentes aos estudantes cursando a disciplina eletiva de Meio Ambiente e Saúde.

O caso mais evidente de harmonia entre as unidades eletivas é, certamente, entre Gastronomia e Empreendedorismo. A ideia é que os alunos envolvidos nas respectivas disciplinas mantenham um contato constante para trocar ideias fundamentais não só sobre aspectos científicos por trás das receitas, mas também no que diz respeito a elementos do empreendedorismo que auxiliam na manutenção da empresa júnior chamada Bro.wnie.

Com o auxílio e orientação de uma professora, os alunos que passam semestralmente pelas disciplinas envolvidas trabalham, em momentos específicos, na fabricação e comercialização dos brownies.

O projeto por si só é extremamente fascinante, mas talvez o mais admirável seja o fator humanitário que foi incorporado pela comunidade escolar. Aqui, todo o lucro arrecadado é dedicado à Casa da Criança com Câncer. Um excelente exemplo de transformação da sociedade por meio da educação.

3. Colégio São Francisco de Assis

Nosso último caso de sucesso é o Colégio São Francisco de Assis, localizado em Tocantins, que decidiu inovar na esfera do ensino online, único método possível ao longo de 2020. A instituição de ensino colocou em xeque a visão estigmatizada que as pessoas têm sobre o ensino online, frequentemente apontado como sendo uma modalidade educacional de baixa qualidade.

A escola optou pela sala de aula invertida como forma de conduzir o processo de ensino-aprendizagem de seus alunos durante o período de pandemia. Esse conceito é uma abordagem pedagógica na qual os estudantes fazem o trabalho da sala de aula em casa e o trabalho de casa em sala de aula.

Essa é, portanto, uma prática bastante associada ao ensino híbrido, já que mescla o componente presencial com algum tipo de recurso digital que o aluno fará uso em casa. Nesse caso, a transformação da educação perpassa pelo digital, principalmente porque, nesse contexto, a sala de aula é um espaço inviável.

Os professores do Colégio São Francisco de Assis aproveitaram todos os recursos digitais disponíveis, como vídeos, podcasts, screencasts, simuladores que serviriam para dar apoio às atividades assíncronas etc. para enriquecer o e-learning.

Nos momentos síncronos, eles aplicam atividades e coordenam discussões que aprofundariam e ampliariam os conhecimentos previamente construídos por meio da utilização de tais mídias digitais.

Vale ressaltar que essa prática de sucesso só foi possível graças ao suporte essencial da liderança escolar, que buscou expandir as perspectivas de seus professores na pandemia sobre os métodos de aprendizagem aplicáveis no contexto remoto, presencial ou híbrido.

Finalmente, o Colégio São Francisco de Assis tem a expectativa de dar sequência à transformação da educação, integrando permanentemente a abordagem de sala de aula invertida mesmo após um eventual retorno ao ambiente físico da escola.

Por que uma plataforma de ensino ajuda na transformação da educação?

A crise sanitária foi o estopim para uma grande evolução tecnológica em muitos setores, promovendo a transformação da educação, saúde, economia e de diversos segmentos da sociedade.

Com a suspensão das aulas e o fechamento de várias instituições, o ensino precisou ser repensado para o ambiente remoto, deixando métodos obsoletos de lado e lançando mão de novas técnicas para engajar os alunos e tornar o aprendizado completo e efetivo. Nessas horas, a adoção de uma plataforma de ensino com recursos avançados é a melhor saída.

Para abandonar o modelo educacional arcaico, nada melhor do que contar com a Plataforma de Ensino Eleva, um ambiente educacional que fornece material didático, tecnologia e gestão escolar para promover uma verdadeira transformação da educação na sua instituição.

Para saber mais sobre os métodos inovadores da Plataforma de Ensino Eleva, se inscreva no nosso canal do Youtube!